Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

14.05.16

O vestido transparente de Rita Pereira


O Informador

image.jpeg

Rita Pereira conquistou Portugal desde o seu aparecimento na segunda temporada de Morangos com Açúcar e desde então que não tem parado de somar sucesso atrás de sucesso pelo mundo da televisão, moda e campanhas publicitárias, sendo um dos rostos mais caros pelo nosso país. Portugal conhece bem Rita Pereira, Angola há uns anos também ganhou conhecimento deste furacão que não descansa enquanto não conquista o que ambiciona! Agora foi no Festival de Cannes que a nossa atriz fez furor e colocou a imprensa internacional aos seus pés graças a um vestido criado pela sua estilista de eleição, Micaela Olivera.

Com um vestido destacadamente transparente, Rita Pereira enfrentou a passadeira vermelha de Cannes e criou impacto. O Daily Maily e a Vogue italiana deram ênfase à presença da portuguesa, que chegou a ser notícia na Turquia também. Rita quer conquistar o Mundo e tem sabido gerir a sua carreira, imagem e presenças a favor do que espera alcançar no futuro!

14.05.16

Companhia Limitada - Estação Terminal


O Informador

companhia.jpeg

Não existe possibilidade de contornar a questão no início deste texto onde o espetáculo Companhia Limita - Estação Terminal é comentado. Este foi, de todas as produções a que já assisti pelo Teatro Nacional D. Maria II, o mais divertido, o mais enérgico, o mais reconfortante e um dos que me ficará para sempre na memória. 

Com direcção artística de Madalena Victorino e Pedro Salvador, em Companhia Limitada - Estação Terminal somos convidados a percorrer os corredores do Teatro, passando por locais que estão habitualmente vedados ao público. Os recantos da Sala Garrett, as Casas de Banho, o grande Salão Nobre, o Bar, as salas de Costura e Provas e os inúmeros locais com que ao longo de três horas somos convidados a percorrer com a finalidade de conhecer e sentir as emoções do que em casa espaço vai sendo representado ao mesmo tempo que o público é convidado a saborear e a deixar-se levar pelas sensações do momento onde histórias isoladas vão sendo retratadas num ambiente bem disposto e onde a solidão é o tema central. 

Será que no centro de uma festa pode existir solidão? A noite é um bom conforto para os momentos de solidão? O excesso e o travestismo conseguem esconder marcas de solidão? A solidão é retratada através de vários estados sociais onde o isolamento e sofrimento pessoal vão acontecendo de forma sucessiva sem por vezes os outros, sempre os outros, se darem conta do que se passa verdadeiramente pelo estado de espírito de um ser que não é diferente, simplesmente tem opções, por vontade própria ou obrigação, que a maioria não tem. 

Caminhando pelo Teatro para conhecer, absorver e experimentar, em Companhia Limitada - Estação Terminal o serão estende-se ao longo de três horas onde ainda é possível adquirir sementes e alimentos no Mercado que chega de fora ao D. Maria II onde vendedores de rua ganham o seu espaço ao lado de membros da associação Cais e convidados especiais que tornam este espetáculo ainda mais especial.