Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Uma Promessa de Amor

01
Set15

uma promessa de amor.jpg

Autor: Tiago Rebelo

Ano: Março de 2002

Editora: ASA

Número de páginas: 216 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião:

Tiago Rebelo tem uma capacidade de relatar uma história de amor com uma fluidez única entre os autores nacionais. Com narrativas ágeis e sem os malabarismos de quem pretende grandes prémios, o autor cria o enredo que cruza amor com traição e onde no final a divisão tem de recair sobre um dos lados. 

Uma Promessa de Amor não é o primeiro nem o segundo livro que leio do autor, não sendo também o último que pretendo ter como companheiro e sempre termino uma sua leitura satisfeito e descontraído. Primeiro todas as histórias criadas podem acontecer a qualquer leitor, não sendo criações tão elaboradas que não consigam ser reais ao virar da esquina. Depois porque a forma como tudo é contado prova-nos que um bom romance literário pode ser do mais livre possível, ajudando o leitor a descansar quando saído de autores pesados, como foi o caso.

Embalagens solidárias

01
Set15

CTT.JPG

Infelizmente a divulgação de iniciativas como a das Embalagens Solidárias dos CTT não são divulgadas como deviam e mesmo quando se tenta fazer uma pesquisa pela internet pouco ou nada se consegue encontrar. O que corre mal então nesta forma gratuita de podermos ajudar instituições nacionais sem qualquer custo? A sua divulgação! A ideia está lá, sem custos e com todos os dados sobre os locais que podem ser seleccionados para receberem o que já não nos faz falta mas que pode ajudar quem está do outro lado. Então e porque a maioria de nós não tem acesso a tal informação que funciona como um ato solidário?

Tantas e tantas divulgações da treta e notícias por tudo e por nada e depois com estes casos tudo fica mudo e talvez com a esperança que não se saiba que tais iniciativas existem porque dão algum trabalho, não se percebe! O modelo está feito, os CTT são uma marca de confiança e agora é juntar o que já não nos faz falta em casa e que pode aconchegar de uma forma ou outra quem está dependente da ajuda de pequenos atos solidários que vão fazendo a diferença.