Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Ao chegar a casa...

23
Jul15

... Pela hora de chegar a casa sempre estão dois ou três vizinhos sentados num banco como se não existisse nada mais para fazer. Se fosse gaja ainda pensava que os seniores estavam todos os dias religiosamente à espera de me ver a sair do carro. Mas como sou gajo isso não me parece acontecer... Perco assim uma oportunidade de não levantar o ego mas sou controlado na mesma na chegada a casa, minuto a minuto, hora a hora!

Hoje é dia de... As Raposas

23
Jul15

Hoje o serão vai ter um toque bem teatral. O Teatro Aberto irá receber-me para assistir a uma das últimas sessões desta temporada do espetáculo As Raposas. Pelos próximos dias darei a opinião sobre esta peça que ao que tudo indica poderá estar de regresso marcado pelos próximos meses, mas depois voltaremos a falar sobre tal situação. Agora o que interessa é que irei ver e tu podes ler a sinopse de As Raposas, de Lillian Hellman. Acredito que está aqui um bom espetáculo!

 

As Raposas.jpg

 

Sinopse:

Uma família de grandes proprietários quer expandir o seu negócio para aumentar o seu capital e, assim, realizar tudo aquilo que o dinheiro parece poder comprar. Na luta pelo poder dentro da família, revelam-se diferentes maneiras de pensar e agir: quem olha a meios e quem só olha a fins, quem se adapta ao presente, quem se agarra ao passado, quem vence pela força e quem espera pelo momento certo, quem é pragmático, quem escuta o coração. No fim, quem leva a melhor?

Esta versão, que transporta para os nossos dias a acção desta peça de 1939, salienta as paixões desencadeadas pela ânsia de poder e de dinheiro e questiona os valores que regem as sociedades globalizadas em que vivemos.

Filho / Mãe

23
Jul15

A relação mãe e filho aqui por casa nem sempre, ou melhor, raramente é das melhores! Com feitios semelhantes, venho a confessar, com o passar do tempo percebo que estou cada vez com menos paciência para qualquer implicância que seja feita por coisas mesquinhas e sem nexo.

Tudo me irrita em casa porque a minha mãe está ano após ano como a maioria das mães deste nosso país, a ficar cada vez mais insuportável com o seu mundo. Tudo o que é feito e que não calha bem com as suas ideias já dá para conversas e mais conversas de minutos, muitas vezes a solo onde o tema é moído e remoído até ter um final por ninguém dar troco ou então por quem respondeu calar-se para tentar que o assunto fique por ali. 

É complicado lidar com uma mãe com um feitio destes, onde tudo tem de ser feito como tem na ideia. Como geralmente a minha ideia do correcto não bate certo com a sua complicação, o choque acontece e lá se dá uma discussão onde nem apetece dar respostas mas como são minutos atrás de minutos a ouvir que isto e aquilo está mal ou que deixaste o outro torto acabo por ter de dizer algumas vezes o que não quero, sendo um pouco impulsivo nas palavras.