Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Ia morrendo!

24
Jun15

24062015.jpg

É muito bonito ir correr e querer ficar sempre por cima do resultado alcançado no último treino, o pior é o que vem ao longo do percurso!

Após ter feito na Segunda-feira seis quilómetros em trinta e cinco minutos, achei que hoje conseguiria ultrapassar tal valor! Conseguir consegui, o pior foram as paragens, a língua de fora, a sede e as dores que apareceram subitamente pelo pé. 

No final de contas cheguei a casa cansado, mais morto que vivo, mas valeu a pena e ultrapassei o valor que tinha feito anteriormente.

Vencedores de Lar Doce Lar

24
Jun15

Sexta-feira assinala o regresso do espetáculo Lar Doce Lar aos palcos nacionais, mais concretamente ao Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa. Como vi anteriormente a peça e adorei ver as excelentes interpretações de Maria Rueff e Joaquim Monchique, consegui fazer com que quatro de vocês fossem agora ter a experiência que outrora foi minha. Como tal e com o apoio da Força de Produção tive em passatempo quatro bilhetes duplos para Lar Doce Lar, sessão de Sexta-feira, 26. Chegou então a altura de revelar o nome dos sorteados que irão assistir a esta comédia que consegue contagiar toda a plateia do início ao fim de cada sessão. 

  • Edite Rocha
  • Maria do Rosario Carvalho
  • Ana Colmonero
  • Paulo Reis

Cagaram-me na cabeça!

24
Jun15

Não tinha outra forma de colocar em título senão o "cagaram-me na cabeça" porque foi mesmo isso que aconteceu!

Acabei de levar com líquido das necessidades de uma qualquer gaivota na cabeça! Como se não bastasse e como aquele tipo de animal não é meigo a despejar, conseguiu ainda espalhar a sua nhanha para a mochila e telemóvel! 

Caca de gaivota para mim e para as minhas coisas! Yupi!

Dia H da Presença

24
Jun15

image.jpg

Feira do Livro de Lisboa despachada e várias promoções em livrarias e sites também já terminaram quando a Editorial Presença lança o seu Dia H, o dia onde todos iremos querer comprar livros e mais livros lançados pela editora.

Será a partir das 00:00 de dia 25, Quinta-feira, que este dia começa no portal da Presença! Quem irá resistir a este encontro?

Final aproxima-se... Não!

24
Jun15

inside_out_sadness___disney_pixar-wallpaper-2880x1

Ainda falta uma semana para as férias terminarem, no entanto o malvado pensamento de que o final aproxima-se já começou a bater à porta. Domingo estou de regresso a casa mas só na Quinta-feira, dia 2, regressarei à recruta diária e laboral. 

Não quero que a boa vida termine! Não! Não! Não!

«Sinto-me tão triste!»

Porto Seguro

24
Jun15

Porto Seguro.jpg

Autor: Danielle Steel

Ano: 2013

Editora: Bertrand Editora

Número de páginas: 368 páginas

Classificação: 4 em 5

 

Opinião:

Amante confesso do trabalho de Danielle Steel, Porto Seguro é mais um livro que se encaixa na perfeição dentro de toda a obra da autora. Com uma história que une duas famílias destroçadas, cada personagem neste romance tem as suas particularidades únicas que as transportam até ao grande final onde os momentos inesperados vão acontecendo com as grandes mudanças de vida que podem bater à porta de qualquer um.

Ophélie, Pip e Matt são as principais personagens deste livro onde a mágoa e o desalento tomam lugar em vidas que já acreditaram sentir alguma vez a plena felicidade. Envoltos na tragédia que os marcou em algum momento com a perda dos seus cônjuges, Ophélie e Matt conhecem-se através de Pip, a filha da primeira. Com a praia como pano de fundo para as primeiras conversas entre Matt e a criança, rapidamente, devido a contratempos, Ophélie conhece o amigo adulto da filha. O tempo, a ajuda mútua e a tristeza vão fazendo com que Ophélie e Matt se aproximem com a ajuda da jovem Pip e os sentimentos começam a ficar trocados. 

O que começa com uma inimizade e embirração passa para um plano onde a amizade é sustentável. Com o tempo e com a permanência pela vida um do outro, estes dois adultos começam a perceber que a união que têm sentido um pelo outro tem mais do que simples amizade, sendo um verdadeiro amor onde o que outrora tiveram com outras pessoas que deixaram mágoa acaba por já nada significar. Corando feridas e deixando os dramas familiares para trás, o amor acontece em Porto Seguro e os mal entendidos de outrora conseguem ser ultrapassados com a ajuda de um sentimento que consegue fazer magia quando vivido em plenitude. 

Um romance bem característico da autora que sabe elaborar histórias e personagens sentimentais como ninguém. Danielle Steel levou-me desta vez às lágrimas nos momentos finais quando os inesperados vão acontecendo e percebe-se que a solidão é transformada em menos de um ano numa grande união familiar onde de casa cheia se consegue encontrar a plenitude da felicidade. 

Internet reduzida

24
Jun15

Estar de férias com internet reduzida é sinónimo de aparecer menos vezes pelo blog e também em deixar um menor número de comentários pelas casas blogueiras que andam por aí!

Peço perdão se estou assim mais para o ausente mas as circunstâncias assim o obrigam!

Vizinho noturno

24
Jun15

E nós que pensávamos que os vizinhos do andar de cima neste período de férias andavam a fazer bastante amor por toda a casa e hoje descubro que não é nada disso!

Os de cima podem fazer bastante amor, no entanto todo o barulho noturno que temos ouvido durante estes dias, ou melhor, destas noites, vem debaixo! 

Hoje, como acordei antes das cinco da matina com falta de sono percebi rapidamente que o vizinho também acordou e já andava a arrumar a casa. Após ter rebolado na cama, andado em pé e por aí fora e depois de ver que o sol começava a nascer fui para a varanda e lá andava o senhor a arrumar a sua varanda com um barulho ensurdecedor.

Obrigado a madrugar

24
Jun15

São cinco da manhã e estou há mais de hora e meia sem conseguir fechar os olhos e dormir. Há mais de duas semanas que andava a conseguir descansar sossegado mas agora assim, de um momento para o outro, tudo parece ter voltado atrás.

Dormi uma hora e pouco após me ter deitado, acordei e agora aqui estou. Já olhei para o tecto na escuridão, andei de pé, comi, fui há varanda ver o que nada se passava e voltei para a cama onde já li e acabei por ligar o telemóvel para visitar o blog e fazer este texto meio "insonático".