Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Santos lisboetas

13
Jun15

O serão de ontem foi de Santos! Fui, não pela primeira vez, mas sim por mais tempo e com outro espírito para Lisboa com a intenção de viver a grande noite de romaria da capital.

Começando a jantar pelo Honorato Hamburgueres Artesanais nas traseiras da Avenida da Liberdade, a noite prometia diversão e bom tempo. E assim foi! Jantar despachado e o percurso até às marchas tinha de ser feito. Em meros minutos já estávamos no marchódromo para o início de quilómetros de andamento, paragens para perceber o que se ia passando pela avenida central e com a intenção de terminar a noite por um bairro onde a festa é vivida em modo arraial. 

Depois de vermos as primeiras marchas a passar, umas melhores que outras, rumamos ao bairro da Bica. Oh, que multidão que ali estava instalada do início ao fim do elevador! Confesso que nunca vi uma rua tão íngreme lutada por milhares de pessoas que se empurravam e acotovelavam, sempre com música de fundo e uns bons gritos festivos pelo meio. Lá andamos, com pés a pisar pés, empurrão daqui e dali mas chegamos à paragem final. Com isto e depois de tudo ter começado por volta das nove, só sei que a noite por Lisboa acabou pelas duas. Sim, eu sei que fui fraquinho e que pensava que iria aguentar até mais tarde, mas o sobe e desce na Bica deu cabo das costas mais resistentes da noite, muito certamente. 

Nomes tatuados

13
Jun15

Não tenho tatuagens! Já pensei em ter mas quase na hora h optei por ficar quieto no meu canto sem qualquer marca pintada no corpo! No entanto aprecio uma bela tatuagem e também penso que existem belos casos em que poderiam ter ficado quietos porque só ficariam a ganhar!

Que passará pela cabeça das pessoas que tatuam nomes no seu próprio corpo? Os filhos, os companheiros, os pais, os irmãos e até mesmo os amigos, existem tatuagens de nomes com dedicatórias para todos, podendo até quase apostar que os animais também têm direito a tal feito pelos seus donos. Não percebo quem tatua um nome, seja o seu ou o de outrem. Primeiro porque ao olhar para uma palavra marcada num corpo logo a identificamos com alguém que poderá estar ou não com quem marcou o seu próprio corpo com algo que já lhe disse muito anteriormente. Sei que ao fazer tal feito pensam que tudo é eterno mas não acreditam nas roturas e zangas, sejam elas com quem forem? Com tanta arte para poderem imprimir nas costas, nas pernas ou onde quiserem, qual a razão de escolherem um simples nome muitas vezes ridículo?

Para além de nomes, a moda agora também anda a recair com os bonecos. Uma mãe compra um desenho para o seu corpo com o filho consigo de mão dada, colocando o pai na imagem. Consoante os filhos vão aumentando a tatuagem, linda que se farta, em rabiscos vai recebendo novos inquilinos.