Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

A Bíblia

06
Mai15

Aquela série tão bem comentada e falada na altura em que estreou em todo o mundo fez-me companhia nos últimos dias pela primeira vez! O que dizer agora? Aprendi, chorei e fiquei a querer saber um pouco mais! Contentes caros católicos que me atormentam dia após dia?

Gravei a série na altura do Natal passado quando o canal História a repôs com o pensamento de que talvez a pudesse ver, sem ter uma verdadeira certeza sobre esse talvez. Agora e porque as séries que acompanho estão em pausa com os meses de paragem entre temporadas resolvi começar a ver o que tem estado em fila de espera! A primeira série a sair do baú foi então A Bíblia, com o português Diogo Morgado, que ao contrário do que pensei, só aparece nos últimos dois episódios da produção!

Ao início e como desconhecedor de grande parte da história bíblica, confesso que fiquei meio baralhado com a passagem do tempo e o aparecimento de mentores da verdade da fé. Mortes e mais mortes, crenças e mais crenças e nada parecia ser diferente, sempre com o próximo a mostrar sinais de violência física para agarrar um lugar onde acreditava ser melhor que o actual detentor do título. Aos poucos lá comecei a apanhar algumas personagens e partes que já conhecia até conhecer Maria e José que de burro lá chegaram ao destino onde a história mais conhecida começou a desenrolar-se!

Aí e com o actor que tantos portugueses veneram e que contínuo a não achar a mínima piada, lá entrei verdadeiramente no espírito da série! A pesada história de um herói que sofre por um povo até morrer por ser mais do que qualquer um conseguia sequer imaginar alcançar. A partir do momento em que Jesus aparece consegui enrolar-me com a História e acabei por sofrer quando o grande apogeu aconteceu! Chorei, enrosquei-me na cama e fiquei de coração apertado, lágrima ao canto do olho e pensamentos controversos!

Leitores do blogue

06
Mai15

Já passaram mais de dois anos e meio desde que publiquei o primeiro texto no blogue. Com a certeza de andar a fazer o que quero a pensar no futuro e no que desejo realmente para este espaço, existem momentos e comentários que me deixam a pensar na vontade de conhecer as pessoas que estão por detrás de palavras e partilhas pelas redes sociais dos textos que tenho vindo a escrever.

Cada vez mais começo a perceber que existem leitores regulares d' O Informador que comentam, fazem gostos e partilham também alguns dos textos publicados, tendo por vezes aquelas palavras certeiras que colocam pelos posts que são publicados diariamente sobre o que penso, sinto e quero fazer.

Com o tempo sei que vou conhecer alguns dos leitores do blogue, tendo essa vontade, querendo conversar e perceber quem está do outro lado, quem me lê e quem segue o trabalho ao qual me tenho dedicado. Uma coisa é saber e perceber que existem pessoas do outro lado do ecrã, outra é conhecer essas mesmas pessoas e perceber realmente a razão pela qual acompanham os meus textos, podendo partilhar ideias e até ouvir alguns conselhos para conseguir melhorar este pequeno projeto pessoal. 

Já pensei em daqui a algum tempo organizar um jantar ou uma saída com quem alinhar na ideia, tendo também pensado numa ida ao teatro entre O Informador e um convidado que seria eleito através de passatempo. Tenho ideias e há que as colocar em prática porque quero conhecer os leitores deste espaço de outra forma, quero saber quem está por detrás dos ecrãs de tantas casas espalhadas não só por Portugal, mas pelo Mundo.