Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Nô e Eu, a vencedora!

13
Abr15

O passatempo para oferecer um exemplar do livro Nô e Eu chegou ao fim! Com este final de prazo para as participações poderem ser aceites, eis a hora de revelar o nome do vencedor deste desafio!

Quem irá receber a obra lançada em Portugal pela editora Guerra e Paz é a leitora Sofia Otto que viu o seu nome ser o eleito através do sistema automático random.org. Há vencedora dou os Parabéns e a todos fica a promessa de que novos passatempos irão surgir neste canto onde o esperado e o inesperado aparece após um clique momentâneo! 

O Bicho da Seda

13
Abr15

Rowling é excelente, já Galbraith fica um pouco atrás da original autora. Sim, se Uma Morte Súbita conquistou-me com a escrita a que J. K. Rowling nos habituou em Harry Potter, já Quando o Cuco Chama e O Bicho da Seda ficam-se somente pela tentativa de serem grandes obras. Lêem-se e estão bem desenhadas, no entanto a grande magia e criação da autora não foi passada para o seu pseudónimo Robert Galbraith com toda a sua plenitude.

Após o desaparecimento de um conhecido escritor, Owen Quine, o detetive privado Cormoran Strike volta a ser chamado para um caso polémico onde o que parece não é, tal como já havia acontecido anteriormente. Ao lado da sua assistente e cada vez mais parceira de investigação, Robin Ellacott, o inspector inicia as buscas e os percalços transtornam o caminho. A busca pelo criminoso começa, os contratempos vão aparecendo, um toque de romance é dado a esta investigação e os dados são lançados. Vingança, inveja, prazeres sexuais e incertezas tornam esta obra uma boa continuação de Quando o Cuco Chama, embora não seja necessário ler o primeiro para entender na perfeição O Bicho da Seda. 

Através de Bombyx Mori, o livro secreto e que causa tanta confusão e a morte do seu autor, várias personagens são apresentadas com todos os seus podres e vidas disfarçadas para que o leitor também sinta a baralhação do detetive destacado pela família para resolver este crime sinistro. A dupla pega na sua bagagem de outros tempos e juntos começam a criar o enredo e a desenhar os contornos de um crime quase perfeito onde só os pequenos pormenores conseguem mostrar quem é o verdadeiro assassino. Cormoran e Robin discutem entre si, ganhando a outrora secretária destaque nesta obra, formando a dupla quase perfeita entre mentor e aprendiz. 

O que não gostei em O Bicho da Seda. Primeiro a escrita, demasiado fácil e sem os grandes malabarismos tão característicos de Rowling. Sim, eu sei que este livro foi lançado pelo seu pseudónimo, no entanto falta toda aquela magia, parecendo esta obra mais uma de um outro autor amante do crime e sua obrigatória investigação. Segundo, a rapidez com que tudo termina. Páginas e páginas a enrolar com personagens a moverem-se entre festas, entrevistas, conversas rápidas, buscas e depois em pouco mais de uma dezena de folhas tudo parece acontecer, dando a sensação que depois de tantas horas de escrita a intenção é despachar tudo para não se ter mais trabalho. O momento do clímax é bem rápido e sem alma com o criminoso a descoberto, os factos a serem revelados e está feito para se poder dizer «siga para bingo». 

No geral gostei mas podia estar bem melhor porque os trabalhos anteriores mostraram bem a capacidade de Rowling/Galbraith!