Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

31
Ago13

Olham para mim pelos óculos

Não sei se é, e isto pode mostrar uma atitude de vaidade, mas desde que mudei de óculos que sinto que as pessoas olham mais para mim, o que me intimida um pouco quando o olhar parece feroz e sem necessidade de existir!

2013-06-07

Gostaria de ter uma verdadeira opinião... Ao olharem para esta imagem e se passassem por mim na rua, os meus óculos poderiam atrair o vosso olhar até mim?

Não gosto de dar nas vistas, no entanto adoro os meus óculos e não irei mudar tão cedo porque me sinto bem com eles. Mas existem olhares que me intimidam!

31
Ago13

Sapatos para a roupa casual

SapatosDepois de ter comprado a Roupa casual para o casamento a que irei a meio de Setembro pela praia de Tróia, agora chegou a vez de completar o visual com os sapatos. Sim, finalmente e praticamente um mês depois de ter comprado a roupa, lá encontrei os sapatos que me piscaram o olho e a um bom preço.

Foi na Seaside, loja onde não costumo comprar mas que me conquistou desta vez com estes sapatos de pele entre o azul e o cinzento, que me deixei levar através de 29,95€ por este par de sapatos com algumas ramificações e que me parecem combinar com as calças, casaco e tshirt que já tinha escolhido para o casório.

Bem, que chegue o dia do enlace com cheiro a Verão porque eu já estou praticamente pronto! Praticamente, porque tal como acontece com as noivas, existem sempre pormenores de última hora para serem resolvidos.

30
Ago13

E lá verti o café

Eu sou um poço de acontecimentos inesperados e sou tão irresistível que até o café se atira a mim de uma forma capaz de me colocar envergonhado.

Então não é que de manhã, ao ir até ao café onde costumo passar uns bons minutos a colocar os assuntos da internet em dia e a ler um pouco antes de ir trabalhar, baralhei de tal forma as mãos que quando dei por mim já estava a dar uma chapada na chávena que se atirou para a mesa como se não houvesse amanhã? Com a chávena deitada na mesa, onde foi parar o café? Pois bem, às minhas calças! Comecei bem o dia, pois então!

Como se já não bastasse quando olhei para a frente estava uma conhecida que ainda me disse alguma coisa, mas como eu fiquei tão danado nem percebi as palavras que me foram dirigidas. Que vergonha!

Conclusão, umas calças com duas enormes nódoas, um novo café na mesa e o retomar da leitura porque o dia ainda estava a começar.

30
Ago13

Pimba até nas unhas

Quando vi uma jovem mulher com as unhas da mão pintadas de várias cores não queria acreditar porque o meu primeiro pensamento foi... Já não bastava ter todo um visual pimba e ainda estica isso às unhas! Que coisa feia mulherio!

Será que as pessoas não têm noção do ridículo quando se preparam para sair de casa? Ter uma unha de cada cor e ainda por cima com os florescentes em grande destaque é mesmo para quê? É que aquilo não bate a bota com a perdigota e se aquela moça quer ser reconhecida socialmente e ter talvez um emprego decente isso não deverá acontecer com aquelas unhas coloridas e chamativas e também com o seu visual onde do cabelo mascado à roupa de lycra nada fica bem num conjunto imperfeito por vontade própria e sem o mínimo de bom gosto.

Aquelas unhas em tom amarelo, verde, laranja, e sei lá mais que cores, faiscaram-me de tal modo os olhos que me chocaram por ver o cúmulo da pimbalhada à minha frente, ao vivo e sem cortes. Que coisa feia!

29
Ago13

Emprestar livros

Emprestar livros não é a mesma coisa que emprestar um CD ou uma peça de roupa! Para mim os livros são preciosos e só em raras excepções empresto algum que já tenha lido porque se os gosto de ler deixando-os em boas condições, quando deixo alguém tocar-lhes para também saberem a sua história, o regresso não acontece da mesma forma. 

Desde cedo e a partir do momento em que emprestei os primeiros livros que percebi que não voltavam da mesma maneira como tinham ido e aí comecei a ganhar uma certa protecção para com as páginas literárias que me fazem companhia ao longo de horas e horas. A partir do momento em que percebi que gosto de manter os livros como novos e que nem todos são como eu, comecei a evitar e afirmo mesmo a quem me pede que não gosto de emprestar livros, sendo isto um dos poucos exemplos que me faz comichão se tiver mesmo de acontecer.

Um pormenor, tal como não gosto de emprestar, também não gosto de ler livros de ninguém ou alugados. Se estiveres com ideias de me pedir algum objeto literário emprestado tira isso da ideia porque vais levar uma tampa e também não te irei pedir nenhum porque as palavras dos livros que não me pertencem não se absorvem em mim como deveria acontecer.

Os empréstimos literários não funcionam comigo!

Pág. 1/13