Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

4 números e 1 estrela

23.06.13Publicado por O Informador

O sorteio do Euromilhões não me tem sido favorável, mas um dos últimos poderia ter saído bem perto de mim e sei que ficaria bem na vida se tal sorte tivesse calhado à minha tia madrinha. É que foram 4 números e 1 estrela que saíram naquele boletim e a confirmação estava a ser feita ao mesmo tempo que o sorteio foi transmitido na televisão. Imagino aqueles corações!

Foi no mega Jackpot da última sexta-feira, o de 166 milhões de euros, que os meus tios - tio e madrinha - ficaram a ganhar 200 e poucos euros, no entanto chegaram a pensar que estavam a caminho do grande prémio que estava a ser sorteado nesse dia e a ser revelado por Iva Domingues no ecrã da TVI. Todos os primeiros números que saíram estavam no boletim, menos o último, com as estrelas, a falha também aconteceu com uma. Com duas escolhas erradas ficaram com o quinto prémio do sorteio, o que equivale a uma grande diferença do valor que lhes chegou a passar pelas cabeças numa fracção de segundos.

Sei que se o Euromilhões lhes tivesse saído, neste momento não seriam só eles a estar bem e também a minha vida iria levar uma voltinha para melhor. Ai, porque aquele número e aquela estrela não estiveram do lado da nossa família naquele momento? Seria tão bom, mas mesmo bom, a jeito de fantástico!

Tanta desistência no Big Brother

22.06.13Publicado por O Informador

A atual e remodelada edição do Big Brother, em versão Vip, tem contado com novidades todas as semanas e em doses industriais no que toca às mudanças e alterações das regras a que os concorrentes estão sujeitos para entrarem, nomearem, saírem e serem expulsos do jogo. Serão estas trocas e baldrocas que têm levado tantos concorrentes a deixarem a casa mais vigiada do país por vontade própria? É que não são um, nem dois... Já três concorrentes abandonaram o jogo!

Marta Melro, Liliana Queiroz e Francisco Macau foram os concorrentes que entraram no primeiro dia para dentro da casa da TVI e que ao longo da sua estadia foram mostrando sinais que a desistência podia acontecer... Até que os avisos se tornaram realidade! Os três jovens concorrentes decidiram deixar este jogo da vida real, bem modelado pela produção, e saíram do Big Brother mostrando que tinham mais para fazer cá fora do que dentro de quatro paredes e vigiados por inúmeras câmaras.

O que terá levado a estas três desistências? Não me parece que tenham sido as vidas que esperavam cá fora, onde a realidade acontece, mas sim a estratégia de jogo que a Endemol e a TVI adoptaram para os concorrentes dentro da casa. Este jogo já não é virgem como as primeiras edições dos reality shwos em Portugal foram. Agora tudo pode ser provocado e feito para criar polémica, nem que para isso se tenham que pisar vidas e provocar emoções em pessoas normais como nós, com a diferença de estarem fechadas dentro de um programa televisivo.

A manipulação do jogo e as estratégias adoptadas pela produção, estação e pelos próprios concorrentes dentro da casa podem ser os principais motivos para tantas desistências terem acontecido, mas como isso não é admitido publicamente, os telespetadores ficam com a ideia que os três concorrentes saíram por estarem com saudades da família e com projetos à sua espera no mundo bem real e também complicado! Eu não acredito nas desculpas adoptadas para as desistências, fazendo-me tudo crer que foi a pressão que levou a tais acontecimentos, no entanto, isto é a minha singela ideia!

Inveja amigável

22.06.13Publicado por O Informador

Não sofro inveja pelo que as pessoas de quem gosto têm ou fazem, mas percebo que exista quem não se sinta bem quando os seus amigos preferem, em determinadas alturas, outras pessoas que não elas próprias. Mas na vida existe sempre tempo para quem queremos, nem que sejam cinco minutos, porque quem gosta e pode ser chamado de Amigo está sempre lá, seja em que circunstância for e há hora que for.

Até hoje não me lembro de sentir ciúmes dos meus amigos e também não sinto que seja alvo disso, mas vejo situações em que penso... «Comigo esta relação não resultava» e por muito que gostasse da pessoa, existem limites porque amigos amigos, invejas e ciúmes aparte.

As pessoas têm que perceber que os outros não vivem à sua volta e talvez por não terem quem as ature e valorize, achem que aqueles seres que vêem como amigos e de quem estão mais próximos têm que estar sempre ao seu dispor e à sua espera para o que der e vier. Isso não pode acontecer sempre porque todos temos as nossas vidas e conhecemos outros humanos com quem gostamos de estar e conviver e ao longo da nossa existência na terra não vivemos exclusivamente em função de uma ou duas pessoas.

Primeiramente vivemos para nós próprios e para o nosso próprio bem-estar e depois gostamos de partilhar a nossa vida com quem gostamos e aí não entram só uma ou duas pessoas, mas sim várias, a que nos estimam e as que merecem estar nos nossos sentidos.

«Tu hoje não me disseste nada!» ou «Vais ter com os outros e não queres saber de mim!»... Isto é o quê? Para mim coisas deste género poderão ser chamadas de amizades obsessivas e só mostram o quanto uma pessoa está depende de outra. Aqui não falo em amor nem nada disso porque aí tudo é diferente, mas quando se trata de amizade tudo tem que ser entendido como um bem essencial que todos precisamos para viver, mas tudo tem limites e quando uma pessoa cerca outra e a quer só para si já se torna complicado de lidar com a situação.

Ter um amigo que só nos quer para ele não dá, mas é que não dá mesmo, e quando a pessoa obsessiva não percebe o quanto desconfortável está a ser poderá entrar num caminho bem chato em que quando der por isso já será tarde porque aí o afastamento começa a ser cada vez maior porque quem está a ser perseguido inicia a fase de planear tudo e a pensar que não quer a sua sombra nos seus arredores.

Invejas amigáveis que não me batam à porta porque vejo que são bem chatas e não sei lidar com elas!

Rapariga do Euromilhões com má disposição

21.06.13Publicado por O Informador

As pessoas de manhã são bem mais complicadas que ao longo do resto do dia, não é verdade? Cada vez sinto que pertenço mais a este grupo e revejo-me com quem me cruzo diariamente. A rapariga que trabalha na papelaria onde costumo apostar no Euromilhões tem uma má disposição matinal bem complicada, no entanto, tem algumas diferenças com o disfarce em relação a mim!

Arrogante e sem olhar para os clientes são dois dos tiques que aquela rapariga tem logo de manhã. Será que custa assim tanto às pessoas que lidam com o público ter um certo cuidado com o que mostram aos outros? Eu lido com pessoas diferentes todos os dias e mesmo que me esteja a custar, tento sempre disfarçar, para quem não me conhece, que aquelas primeiras horas da manhã não são nada fáceis. Porque os outros não fazem o mesmo?

Parece-me que começarei a ir a outro local para colocar a chave mágica porque de maus modos está o mundo cheio, mas posso sempre fugir de alguns, não é verdade? Assim pode ser que tenha também mais sorte ao jogo!

Crematório

21.06.13Publicado por O Informador

A partida de uma pessoa para o além não é fácil para quem fica, mas existem formas de despedida que doem mais que outras... Pela primeira vez tive um familiar que optou pela cremação na hora da sua despedida e embora não custe tanto no último adeus, fica um sentimento de «já está?», isto ao mesmo tempo que se ouvem os sons que saem de uma sala onde tudo está a acontecer!

Enquanto num enterro se observa a descida do corpo e se vivem os últimos momentos da pessoa perante os nossos olhos, no espaço do crematório o que existe de tempo para as despedidas é algo tão rápido, que o caixão rapidamente entra numa passadeira para de lá não mais sair. Aquele entrar significa o «até sempre» e está feito!

Restou depois ouvirem-se os barulhos, a conversa de ocasião e posteriormente, já fora da capela, e para os mais atentos, o que pode mexer mesmo com os sentimentos, a saída do fumo por uma fuga... Dizem que aquele fumo não é do corpo, mas sim só do caixão, mas não é isso que os pensamentos obtém naquele momento!

Desconvite de Rita Ferro Rodrigues

20.06.13Publicado por O Informador

Antes de mais quero dizer que eu não sou grande fã de Rita Ferro Rodrigues, mas existem coisas que têm de ser faladas porque acontecem entre nós e estamos cá para as poder relatar e comentar, não é verdade?!

A apresentadora da SIC e autora do livro Deve Ser Isto o Amor deixou a seguinte mensagem há algumas horas no seu mural do Facebook...

Coisas que me deixam muito triste : 

Há cerca de uma semana recebi um convite do programa da RTP " 5 para a Meia -Noite " para estar presente , esta quinta -feira , dia 20 , no directo conduzido pelo apresentador Pedro Fernandes , para falar do meu novo livro " Deve Ser Isto o Amor ".

Aceitei o convite de bom grado : há uma espécie de " acordo de cavalheiros " entre os canais , de não haver constrangimentos, quando um apresentador ou pivot, ou jornalista, lança um livro , de ser convidado pelos outros canais como AUTOR de forma a falar de uma outra dimensão do trabalho ( e da pessoa ) que nada tem a ver com a televisão.

Para que esta entrevista fosse preparada , respondi a uma extensa e bem feita entrevista feita pela equipa de conteúdos do programa, respondi a emails da produção do mesmo e organizei a minha vida familiar no sentido de estar presente hoje , às 23 h no estúdio , para o directo.

Pois , no próprio dia, sou desconvidada.

Através da minha editora ( incrédula) sou informada que a minha presença não é bem vista pela Direcção de Programas da RTP, " por ser uma cara da concorrência e ter um programa no ar".

Reparem na falta de chá ( para não dizer outra coisa) : fui desconvidada no próprio dia.

Sei ( porque estas coisas se sabem ) que esta decisão ultrapassa a equipa de conteúdos do programa e o próprio apresentador. 

Tenho um carinho enorme pela RTP , foi o canal onde nasci como profissional e por isso estou perplexa e muito triste .Na Sic, é com muito prazer que convidamos autores de outros canais , eu em particular lembro -me , de belíssimas conversas que tive com vários autores ( José Rodrigues dos Santos, por exemplo) sobre os seus livros numa antena aberta e livre .

Achei , nestes tempos estranhos em que vivemos , que devia partilhar isto.  Porque francamente, acho uma vergonha .

Claro que tem a importância que tem e há coisas muito mais importantes nesta vida... Mas não é do meu feitio calar -me , perante uma atitude no mínimo, indigna.

Rita Ferro Rodrigues

Então vamos lá ver, se convidaram a Rita para ir ao programa falar do seu livro e da sua paixão pela escrita sabendo que ela é um dos rostos que está atualmente no ar num canal concorrente, porque depois lhe fazem um desconvite no dia em que a conversa com Pedro Fernandes ia acontecer? É certo que o convite pode ter surgido da produtora e os altos cargos do canal depois não quiseram ter a Rita como convidada do 5 Para a Meia-Noite, mas não se diz a ninguém que já não a queremos receber em nossa casa quando a convidamos dias antes, pois não?

Boa educação é muito bonita para ser colocada em prática e o que aqui aconteceu foi desrespeito pelas pessoas e pelo que elas representam na nossa sociedade cada vez mais conflituosa e cheia de interesses egocêntricos!

Sabe-se que horas depois aconteceu um pedido de desculpas por este acontecimento, mas o mal já estava feito e o acontecimento relatado. Decisões e atitudes incompreendidas que mostram bem o tipo de pessoas que estão à frente de alguns cargos onde só se pensam em números e onde todos nós não passamos disso mesmo!

Assuntos do Momento no Twitter

20.06.13Publicado por O Informador

Tenho conta no Twitter mas não sou muito assíduo a passar por lá, no entanto sempre que me ligo à rede social tenho que olhar para os Assuntos do Momento e existem coisas tão engraçadas por lá que me pergunto... Mas quem inventa tais temas para serem debatidos pelos outros ao longo de horas?

Há dias vi os seguintes Assuntos do Momento...

#PutaNoMeioDeNomeDeFilmes

#CenasQueDigoFrequentemente

#Pessoas5EstrelasQueConheciNoTwitter

#RaparigasGirasDoTwitter

#CoisasDificeisDeSeOuvir

#AqueleMomentoDeFama

A questão é... Mas este tipo de assuntos interessam mesmo a alguém para serem debatidos? Isto é mais um passatempo que outra coisa porque passar várias horas a falar de um destes temas é como estar a olhar para a televisão e ver um programa bem fútil e que não acrescenta nada à nossa sabedoria.

Entendo o gosto que as pessoas têm por esta rede social, mas quando vejo estes temas como sendo os que mais são comentados fico com a ideia de quem por lá anda não tem mesmo mais nada para fazer e não procura bons temas para comentar e de que falar. E agora não me venham dizer que não comentam coisas parvas pelo Twitter como as pessoas que dizem que não vêem o Big Brother, porque se estes assuntos são os mais badalados do momento é porque a maioria das pessoas que estão ativas naqueles minutos fala deles! Não digo que todos o fazem porque percebo quem anda a comentar a política, a sociedade e o desporto e quem por lá anda porque sim e porque não tem assunto de que falar e opta por se deixar levar por estes temas tão fúteis como as suas cabeças.

Os Assuntos do Momento no Twitter têm tendências tão estranhas como os seus comentadores!

A busca pela Granta continua...

19.06.13Publicado por O Informador

A Granta Portugal já saiu há umas semanas e ainda não consegui trazer para casa o meu exemplar deste já sucesso nacional. Depois de fazer as delícias mundiais com as suas publicações internacionais, o universo Granta atacou o nosso país e somente com o primeiro volume publicado existem factos que permitem dizer que o sucesso está do lado desta revista/livro também em Portugal.

Não sei o que se passa com o número de exemplares que cada edição tem, mas o que é certo é que já se espera pela terceira e se não a for buscar logo nos primeiros dias, quando lá chegar aposto que já voou para outras mãos. É certo que na primeira tiragem existiu um cuidado porque o público podia não estar tão receptivo para grantear em português, mas depois com as vendas repentinas que aconteceram logo nos primeiros dias, não seria comum terem feito um maior número de exemplares na segunda edição deste primeiro volume da Granta?

Eu já andei por Lisboa, em várias livrarias, por Torres Vedras e até quando tive de férias procurei na Bertrand e na Fnac da Guia e sempre me têm dito o mesmo: Esgotada! Agora sabe-se que está prestes a sair a terceira edição, mas aposto que no fim-de-semana quando a for procurar já não existe em lado nenhum.

Falando por mim mas também por achar que é o pensamento de outras pessoas... De tanto procurar, acabo por me cansar de andar a perguntar e me devolverem sempre a mesma resposta, será que é benéfico isto acontecer, para mais ao longo de tantos dias?!

Atualizações do telemóvel

19.06.13Publicado por O Informador

É muito bonito ter um telemóvel de que se gosta, com várias funcionalidades e com acesso à internet, mas não é nada engraçado ter atualizações diárias para serem feitas e que nos ajudam a gastar o nosso tráfego mensal quando não estamos em zona wifi e deixamos o telemóvel atualizar o que quiser e sem pensar que depois até ao final do mês a quantidade de acesso à internet que foi paga para aqueles trinta dias vai diminuindo.

Mas que raiva que é os programas, jogos e tudo e mais alguma coisa andarem sempre com novas atualizações para serem instaladas. Se fosse de vez em quando ainda se compreendia, mas existem aplicações que todas as semanas têm coisas novas a palpitar e com a mensagem que querem ser colocadas no nosso telemóvel.

Com isto e porque as operadoras também gostam e bem que os seus fornecedores de serviços atraiam clientes e as façam consumir algo nos telemóveis que possuem fico a pensar que quando uma aplicação é feita tem logo mil e uma coisas mas que não são disponibilizadas na altura, sendo que depois todas as semanas lançam para o mercado uma nova versão para que se tenha que fazer a atualização gerando assim mais gastos de internet.

O comércio do mundo das tecnologias é um ciclo vicioso e todos já estamos tão infiltrados nesse mundo que já não conseguimos viver sem estas aplicações que exigem atualizações constantes e que se tornam chatas e gastadoras.

Contribuinte na fatura Fnac

18.06.13Publicado por O Informador

Sou cliente Fnac há alguns anos e tenho o cartão que me identifica como tal e onde os meus dados estão contidos. Agora o que não percebo é a razão das caixas manuais desta conhecida loja me perguntarem se quero colocar o meu número de contribuinte quando este já consta nos dados de cliente.

Fui à Fnac do Centro Comercial Vasco da Gama e comprei um livro para o meu primo - The Walking Dead - A Ascenção do Governador, da Saída de Emergência -, quando me dirigi à caixa de pagamento, aquelas que não têm funcionário, comecei a fazer a compra, passei o meu cartão cliente, o livro e depois surge a pergunta: Deseja colocar o NIF na fatura?

Então? Se o meu número de contribuinte consta nos dados pessoais do cartão, qual a razão para surgir esta questão quando vou fazer o pagamento de alguma coisa nesta cadeia de lojas? Não percebi e acho que tal devia ser automático, mas pronto, parece que não irei perceber sem que me expliquem, enfim...

Epic - O Reino Secreto

18.06.13Publicado por O Informador

Epic

Sinopse: A história de uma batalha nas profundezas da floresta entre as forças do bem e as forças do mal. Quando uma adolescente se vê, como por magia, transportada para este universo secreto, ela tem de se juntar a um extravagante e divertido bando, e ajudá-los a salvar o seu mundo... e o nosso.

Epic - O Reino Secreto foi o filme que fui ver ao SBC Cinemas - Fórum Algarve enquanto estive de férias. Primeiramente quero falar do preço incompreendido dos bilhetes, 7,20€, num bilhete normal para um filme de animação... O que não compreendi visto que tenho ido ao cinema por um preço mais baixo e em salas bem mais frequentadas que estas! Queixam-se que as pessoas não vão ao cinema, mas depois com estes preços parece que o que querem mesmo é afastar público e não aproximar, mas as administrações lá sabem!

Agora o filme! Sendo uma animação dos criadores de A Idade do GeloRio, confesso que esperava mais. Epic não me parece ser assim um filme tão elaborado como os dois antes criados e que se revelaram dois sucessos de bilheteira, tendo conquistado o público. Nesta nova aventura que foi criada, onde uma adolescente acaba por se transformar num pequeno ser e onde se junta a um mundo mágico, tendo de ajudar a combater o mal, parece que tudo foi feito em modo previsível, sendo o final o que todos sabemos logo à partida. Tem uma boa imagem e excelente dobragem, mas falta história neste reino secreto que pode ser descoberto por qualquer pessoa que vá ver este filme.

É um bom filme de entretenimento, mas não é uma grande obra cinematográfica de animação e fica bem longe disso quando comparado com as criações mais recentes que se têm revelado com bastante qualidade de história, texto e imaginação. Epic - O Reino Secreto não passa de mais um filme que não irá fazer história neste mundo cada vez mais competitivo.

Fernando Pessoa no LxFactory

17.06.13Publicado por O Informador

PessoaFernando Pessoa é Fernando Pessoa e a sua escrita encontra-se por todo o lado. Neste caso, foi na visita que fiz ao LxFactory que encontrei este «Quem éramos?» do Livro do Desassossego.

O nosso poeta fez história e foi passando pelos tempos até aos nossos dias. Hoje é recordado de forma maravilhosa pela sua obra que continua a fazer a delícia de muitos amantes literários dentro e fora do nosso país.

Infelizmente ainda não se deu o clique na minha vida para amar Pessoa, mas acredito que esse momento não se encontra longe porque já começaram a existir sinais para que tal aconteça, agora quando o irei fazer é algo que ainda não sei. A minha vida literária é um desassossego e tão depressa quero continuar com as minhas habituais leituras como quero experimentar coisas novas e que me levem a outros mundos. Pessoa está acima do que tenho lido, por isso ainda não o ter conseguido enfrentar até ao dia de hoje!

O poeta dos poetas chegará até mim quando lhe abrir a porta e o convidar a entrar de rompante!

LxFactory

17.06.13Publicado por O Informador

Pela primeira vez fui ao LxFactory e adorei o espaço, o ambiente e as pessoas que por lá andam, tanto em termos de vendedores com os seus espaços, como os visitantes em busca de bons e surpreendentes produtos que talvez não sejam assim tão fáceis de encontrar em outros locais.

Lojas diferentes com artigos também diferentes, cafés e restaurantes arrojados e com ideias fora do comum e depois a feira dos produtos caseiros pela rua central deste espaço lisboeta. Mas o que mais me chamou a atenção foi mesmo a livraria Ler Devagar com toda a sua magia num local onde se podem comprar as novidades literárias e onde se juntam livros já com alguns anos com uma arquitectura imaginável de uma fábrica de outros tempos. Mas isto não é tudo, porque na Ler Devagar ainda existe espaço para nos sentarmos a lanchar e, para quem gosta de fumar, o que não é o meu caso, pode dar-se ao luxo de o poder fazer entre os livros. Não, não é mentira... Quem quiser pode andar a fumar dentro da livraria enquanto pesquisa a sua próxima leitura ou toma um café acompanhado por um belo bolo.

Sem dúvida que o LxFactory é um local onde se podem passar bons momentos de descontracção porque para além de se poderem fazer algumas compras ainda se conseguem passar boas horas de leitura e conversa pelos vários espaços que nos convidam a fazer isso mesmo. Adorei esta visita e, sem dúvida, que será um espaço onde iria voltar dentro de pouco tempo!

Trabalhar em tempo de férias

16.06.13Publicado por O Informador

Nos dias que correm é cada vez mais impossível viver-se sem telemóvel, computador, tablet ou seja lá o que for que nos coloque em contacto com os outros. Durante o tempo que estive de férias reparei que as pessoas tiram uns dias para descansarem, mas mesmo assim não deixam de lado o seu emprego e as preocupações que daí surgem diariamente e consequentemente por terem determinado cargo dentro da empresa.

Não foi uma, nem duas, nem três pessoas que vi ao longo dos últimos dias em plena piscina ou praia a falarem ao telemóvel ou a tratarem por tablet de assuntos laborais. É aquilo que não se pode esquecer de fazer, são as coisas que se têm que encomendar ou mesmo a tratar de pagamentos. Os tempos mudaram e ter um emprego nos dias que correm já não é como antes, mas com a evolução das comunicações tudo se tornou mais fácil para nem em período de férias se conseguirem ter momentos de descanso longe das preocupações do dia-a-dia.

A evolução dos tempos tem levado a uma menor privacidade de todos nós e quando dermos por isso ainda estaremos de férias sem sairmos do local de onde trabalhamos ou a ter que levar trabalhos de casa - TPC, como se diz na escola - para os nossos dias de descanso, que o patrão pagou, serem bem proveitosos para quem manda. Já há quem o faça!

Fanny de sucesso

16.06.13Publicado por O Informador

Fanny entrou na segunda edição de Casa dos Segredos e não me conseguiu conquistar porque cedo começou a mostrar o seu mau feitio e a causar confusão dentro do reality show da TVI. Hoje, com a sua presença no Big Brother Vip, a minha opinião acerca da filha do Sr. Fernando mudou por completo!

Ela não é amada e tem a maioria do público do programa contra si, no entanto parece-me que se tem de admitir que sem Fanny o reformulado Big Brother já tinha morrido, não? Sem o estrondo que a Fanocas tem feito, o programa seria monótono e só com conversinhas da treta e amor no ar. Neste momento a menina refilona que irrita muita gente está-se a tornar um sucesso no que toca a programas da vida real e escrevam o que vos digo... Se a TVI continuar a apostar neste tipo de formatos e de vez em quando o convite surja e a Fanny o aceite, ela arrisca-se a tornar na rainha dos papa reality shows.

Hoje adoro a frontalidade com que, a agora concorrente do Big Brother, enfrenta os outros, mostrando que não está ali para brincar e que já sabe perfeitamente o que anda a fazer nestes programas que lhe têm dado dinheiro e protagonismo. Ela já sabe ao que vai e quais os motivos para a contratarem, depois é só colocar em marcha o seu plano e está o pandemónio instalado numa casa que parecia ser bem sossegada e parada.

Confessem lá... Não gostam dela, mas depois quando vão ver o programa é porque sabem que deverá existir sempre alguma bronca onde a Fanny anda envolvida, não é verdade? Ela tornou-se a protagonista da aposta da TVI logo quando entrou e sem ela já tudo tinha ido pelo cano!