Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Um Dia Uma Vida | Teatro Aberto

01.03.18Publicado por O Informador

um dia uma vida.jpg

A poesia de Ruy Belo está de volta ao Teatro Aberto através da peça Um Dia Uma Vida. Debatendo o sentido da vida nas relações humanas ao longo do tempo, este espetáculo inspirado no poema com o mesmo nome reflete a solidão, o passado, presente e futuro, os comportamentos e transparências humanas. 

Ao longo de Um Dia Uma Vida o público é convidado a acompanhar váiras vidas num só dia, começando pelo amanhecer que poderá traduzir-se pelo nascimento que dá origem a um crescimento sustentado em relações e conhecimentos até que tudo caminha para o final do dia onde o desaparecimento pessoal e coletivo toma lugar.

As relações com os outros, o caminhar sozinho num percurso que nem sempre é fácil, mostrando socialmente e através de artefactos ao longo dos dias que a vida é favorável através de imagens partilhadas pelas redes sociais e sorrisos expressivos quando na verdade, no interior esses mesmos sorrisos transmitem ausência e as ditas imagens de felicidade não passam de uma demonstração positiva do que não existe no interior de cada um. As transparências dos tempos modernos não passam em tantos casos de falsificações acerca da verdadeira personalidade que invade o interior de pessoas que criam ilusões cénicas para apresentarem demonstrações distantes da realidade. 

Um Dia Uma Vida centra-se na vida de várias personalidades onde uma mulher observa junto do espelho a sua amargura causada pelas perdas ao longo do tempo, um pescador que só quer ter a vida que tem, não precisando de conquistar mais para além do que fica para trás, um homem que ao não dormir reflete-se nas ondas do mar e uma jovem que sonha conquistar o mundo através dos novos modelos sociais. 

Através das boas interpretações de Ana Brandão, Madalena Almeida, Miguel Rodrigues e Rui Melo, as personagens vão-se cruzando no palco da vida entre vários locais simbólicas criados em cena. A torre, a ponte, a rampa, a cerca e a onda são motivos essenciais para cada vida solitária se encontrar consigo em locais de elevação, equilíbrio, proteção e movimento para que se descubram dentro de cada momento temporal. 

Um produto refletivo para assistir na Sala Vermelha do Teatro Aberto de Quarta-feira a Sábado, pelas 21h30, e aos Domingos, pelas 16h00.

Um Dia Uma Vida é uma peça-cantata sobre a passagem do tempo e como o Homem tenta deter essa passagem e dar sentido aos seus dias.

O Homem não dorme, não vai dormir nunca mais, observa o mar e a aldeia que o sol ilumina lentamente.

A Mulher vê-se ao espelho e amargura-se com as rugas e os filhos que não teve.

A Jovem quer conquistar o mundo que vê pelo ecrã e através do ecrã diz ao mundo quem é.

O Pescador ganha a vida que fica depois de puxar as redes e isso é tudo o que precisa.