Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

28
Ago17

Elogios animadores


O Informador

Acredito que todos gostaremos de receber elogios na sua vida, mas perceber que o seu trabalho está a ser valorizado por simples palavras espontâneas é positivo e anima qualquer pessoa que possa começar o dia mais cabisbaixo.

É sabido que estou há praticamente três meses no meu segundo emprego, após trabalhar dez anos numa empresa que encerrou, e embora tenha começado esta nova fase bem, depois desanimei porque estava habituado a outro ritmo e a um maior movimento, mas aos poucos percebi que estou bem onde estou e que é naquele espaço que quero continuar pelos próximos tempos. A par disto perceber que os superiores enviam emails positivos sobre o trabalho e que os colegas valorizam a diferença entre o que tinha no passado e o que apresento agora deixa-me contente. Por muito que a pessoa pense que ainda consegue fazer mais e melhor, perceber por palavras diretas e por pessoas que estão há anos na empresa que o trabalho está a ser bem visto é bom, deixa-me contente e com vontade de continuar a fazer o que tenho aprendido muito à minha custa. 

Sinto-me calmo, faço tudo ao meu ritmo, com uns dias mais corridos que outros como em todos os trabalhos, mas entrei, tentei perceber o que era para fazer e aos poucos tenho alterado o método que me foi passado para adaptar as situações ao tempo e disponibilidade, tanto que consigo ter tempo, o que parece que o meu antecessor não tinha. Quase todos os colegas com quem trabalho mais diretamente acham que já tinha conhecimentos na área, mas nada disso. Já lhes expliquei como foi o meu passado profissional e os comentários sobre a adaptação e o desenrasque com que entrei e a forma como falam sobre a minha adaptação às funções dizem que parece de alguém que já estava na área e que pouco teve de aprender.

Enganam-se, tudo tive e tenho de aprender. Nomes completamente estranhos para conhecer, materiais que ainda estou a perceber o que são, contas a fazer com tabelas de excel todas elaboradas, emails sempre a aparecer para serem resolvidos e tentar esclarecer tudo para que se siga em frente... Sim, uma das minhas anteriores funções entre várias era fazer a parte de escritório, mas o antes e o agora nada têm haver uma coisa com a outra. Para além disto o salto deu-me responsabilidade porque o processo só avança se passar por mim, não existindo alguém acima a dar ordens e dicas sobre o que fazer. Tenho de decidir, fazer e avançar o quanto antes porque atrás vem gente, ou melhor, trabalho. E parar neste caso é perder dinheiro, o que não pode acontecer!

26
Jun17

Desempregados sem Apoio


O Informador

Fiquei desempregado a meio de Março, só consegui dar entrada como desempregado no Instituto do Emprego e Formação Profissional já passava do meio de Abril e recebi o primeiro subsídio em Maio. Entre tudo isto passaram praticamente dois meses mas isto foi ultrapassável, o que não percebo é a falta de cuidado para com as pessoas que estão desempregadas. 

Neste espaço de tempo, falo principalmente no mês e uma semana em que estive inscrito no Instituto do Emprego e Formação Profissional, não fui chamado uma única vez para uma reunião. Sei que existe uma chamada para nos explicarem os deveres e funções do desempregado e que existe uma outra chamada para perceberem se o desempregado quer iniciar alguma formação. No meu caso isso não aconteceu, não tendo sido contactado para nada nem sido informado de forma oficial sobre o que deveria fazer ao longo do tempo em que estivesse desempregado. O que soube foi pelos colegas que estavam no mesmo processo e que por outros concelhos do país tiveram as ditas reuniões e têm sido chamados pelo instituto público para irem a entrevistas e escolherem formações para fazer.

Não senti qualquer interesse por parte do Estado em me incentivar a procurar emprego e muito menos qualquer auxílio para isso acontecer, detetando uma grande falha nesse sentido. Se existe desemprego e se a intenção é continuarem a baixar o número de desempregados do país porque não tomam medidas e atuam mais junto das pessoas e das empresas para que tal seja possível?

Felizmente e porque em poucas semanas me fartei de estar parado, iniciei o processo de envio de curriculum vitae através de vários anúncios que fui encontrando pelo SapoEmprego, pelo JobRapido e pelo NetEmprego, mas nada com indicações oficiais da entidade que deve ajudar quem está no desemprego a procurar vagas para se iniciar o processo de entrevistas até que se seja selecionado.

Não senti o apoio necessário por parte do Instituto do Emprego e Formação Profissional que tem o dever e a obrigação de estar em cima de quem está sem emprego para os auxiliar num regresso ao mercado de trabalho o quanto mais cedo possível. É por estas coisas que existe muito boa gente a receber subsídios meses a fio por a ação social não estar a funcionar nas melhores condições.

13
Jun17

Férias pelos Santos


O Informador

Recém chegado ao meu segundo emprego, eis que sou surpreendido em semana de Santos Populares com mais de metade da equipa de férias. Sim, é verdade, a maioria dos novos colegas tirou uns dias de pausa, aproveitando o feriado da próxima Quinta-feira, 15 de Junho, e estando assim por casa a 13, já que quase todos vivem pela zona de Lisboa e como onde trabalhamos hoje não é feriado, aproveitam assim um dia de férias para ficarem com a família e festejarem noite dentro estes dias de Santo António. 

Ao longo de dez anos por onde trabalhava sempre era complicado marcar férias e se dois quiséssemos um dia que fosse de pausa ao mesmo tempo que outra pessoa já era um grande problema, tendo alguém que ceder e mudar a sua opção. Agora chego a uma nova empresa e percebo que marcar férias parece não ser um problema para ninguém. Tirar dias ocasionalmente para aproveitar feriados e conseguir prolongar fins-de-semana é uma realidade, ao contrário do que estava habituado. Não podia sequer pensar porque se quisesse tirar uma Segunda por ser feriado à Terça, por exemplo, tinha de trocar folgas se alguém cedesse porque disponibilizarem dias era sempre complicado. Não podíamos ficar com dias livres quando marcávamos férias em Outubro para o ano seguinte - onde isto acontece? - para ir tirando. Nada, tínhamos de marcar os vinte e dois dias e seriam gozados nas datas marcadas, sem dar para alterar. Agora deparo-me com uma realidade que pensa nos funcionários e no seu bem-estar. Na empresa pela qual trabalho atualmente podemos marcar férias uns dias antes de nos ausentarmos, marcar os dias que queremos e sem existirem restrições de períodos obrigatórios.

03
Jun17

Semana de adaptação


O Informador

Os leitores regulares do blog já devem ter dado por isso, para mais porque vos contei há uns dias, que esta semana voltei ao trabalho, numa nova empresa, novas funções e vontade de aprender. 

Logo na entrevista quis ficar, fui o escolhido e lá comecei. No primeiro dia sai ainda mais entusiasmado com o novo emprego do que pensava, já no segundo esmoreci um pouco. Ao terceiro as coisas começaram a entrar nos eixos e terminei a semana com várias questões para esclarecer com os colegas sobre o modo como processar toda a informação, mas com a ideia que afinal talvez as coisas não sejam assim tão complicadas de elaborar, desde que se comece a entrar nos eixos. Com isto o que ficou para trás? O blog que em dois meses passou a ser quase o meu emprego a tempo inteiro e agora voltou a ser encostado para as horas vagas, o que esta semana até se tornou complicado por parecer que a inspiração não surgia. 

Não escrevi lá muito por estes dias, tendo recorrido mais a textos já elaborados anteriormente e que esperavam pela luz do dia para serem publicados, tendo adiado outros porque não sei se irei conseguir continuar a publicar dois ou mais textos por dia. Por agora voltamos à fórmula da publicação matinal e uma ou outra mais no final do dia, mas não me quero esticar porque sabem que vos gosto de dar notícias diariamente e se os próximos dias continuarem a ser um poço vazio de inspiração tenho que recorrer ao que está guardado para não perderem o fio à meada aqui no blog. 

29
Mai17

O primeiro dia!


O Informador

O antigo emprego já lá vai, o desemprego já foi e hoje iniciei uma nova etapa profissional. Não estava nervoso mas sim um pouco ansioso com o que me esperava, no entanto o primeiro dia correu tão bem que acho que superei as minhas próprias expetativas.

Primeiramente senti-me em casa logo ao primeiro dia, sei que nenhum emprego é um mar de rosas e que ninguém é perfeito, mas que talvez na anterior empresa não tivesse sido tão bom a receber os novos colegas como me receberam a mim agora. Sempre tentei mostrar os cantos à casa e fazer com que todos se sentissem bem, mas agora que sou eu o novato da equipa senti-me como se já os conhece à mais tempo, não existindo qualquer tipo de constrangimentos de fazer conversa e de ligação com os novos companheiros de jornada que estão prontos a receber, apoiar e tirar qualquer dúvida.

No que toca ao trabalho e nesta fase inicial talvez tenha pensado que tudo seria mais complicado de ser feito, mas o tempo faz maravilhas e com o primeiro dia percebi que mais uma vez será o hábito a fazer o profissional que está disposto a aprender tudo o que existir para adquirir a partir de agora. Passo a passo tudo foi explicado, comecei a tentar fazer sozinho e já consegui chegar a bom porto nos primeiros processos em mãos, os mais fáceis por sinal, agora será dar continuidade e não perder o comboio, tendo ainda de pegar nas carruagens que foram deixadas para trás por alguém. Tudo se fará com ajudas até estar minimamente dentro do esquema da situação para depois sim conseguir enfrentar o peso a solo. 

23
Mai17

Já arranjei emprego!


O Informador

Venho informar que aqui o desempregado já irá inicar nova experiência profissional na próxima semana! Após dois meses por casa e somente um com direito a fundo desemprego, eis que após entrevistas com passagem direta em que optei por não ficar por salários, ordenados e condições, eis que na passada Segunda-feira fui a nova entrevista onde percebi que teria hipóteses de voltar a ser chamado! E fui mesmo!

Após entrevista de praticamente quarenta minutos e com explicação ao pormenor do que iria fazer ficou a ideia que no início da próxima semana me ligariam com a certeza de ser um dos selecionados para falar com o diretor da empresa. Só que não tive de esperar muito, é que na mesma tarde em que realizei a primeira entrevista fui contactado para voltar ao local para ter de imediato conversa com o superior da empresa e sem concorrência. E mais uma vez passei no teste e irei entrar ao serviço no início da próxima semana, já tendo conhecido todas as instalações e os colegas com quem trabalharei de forma direta. 

Muitas vezes as pessoas estão no desemprego meses e mesmo anos e dizem não existirem empregos e que está complicado. Compreendo que dentro de certas áreas esteja complicado, mas pessoalmente não tive problemas em voltar ao ativo. Assim que iniciei o processo de procura fui chamado para fazer entrevistas para mais de metade das candidaturas que enviei, passei em todas e fiz a minha própria escolha, mostrando interesse para o local onde vou agora iniciar o processo de adaptação às novas funções e ao novo espaço.

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários Recentes

  • Cláudia C Silva

    Eu cá gosto quando falas de reality shows e de esc...

  • P. P.

    Apesar de tudo, quero acreditar que algumas crianç...

  • P. P.

    Adorei a imagem escolhida. Penso que tens tudo par...

  • O Informador

    Seja católica ou não, acho que vai praticamente tu...

  • O Informador

    Nada de doces no Natal então...

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador