Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

28
Nov16

Gozam com o Gustavo, mas...


O Informador

Os comentários de gozo para com Gustavo Santos continuam e sabem o que é de admirar? O seu novo livro, Ama-te Nível 2: Assumir a Alma encontra-se no top dos mais vendidos desta semana na FNAC.

Afinal de contas vale ou não a pena ter um espirito social de paz e amor e fazer grandes discursos estupidificados para apresentar pela internet? Ele é criticado, imitado e gozado, no entanto vende. Isto quererá dizer alguma coisa ou não?

Boa Gustavo, o Querido vai rendedo no ecrã e nas livrarias nacionais as suas obras vão vendendo, mesmo que a crítica não seja positiva, o que interessa neste caso é dar nas vistas, colocar a sociedade a comentar e assim vender!

05
Ago16

Autores de 2016


O Informador

Saiu a lista dos autores que atingiram o maior sucesso a nível mundial ao longo dos primeiros meses de 2016!

Da continuação no top de J. K. Rowling à estreia de Paula Hawkins, existem autores com estilos de escrita para todos os gostos na tabela que se segue onde os valores atingidos a nível monetário são divulgados! Dos dinossauros com anos de sucesso aos novatos do top, existem estilos tão diferentes a alcançarem os lugares cimeiros de vendas mundiais! Romance, thriller, terror e fantasia, os gostos não se discutem e os milhões continuam a aumentar na conta das mentes de sucesso da literatura mundial!

Eis o top...

17
Dez15

Pesquisas 2015 em Portugal


O Informador

O Google já revelou os temas mais pesquisados em Portugal e no Mundo pelos últimos meses. E uma surpresa é o primeiro lugar, atribuído por todos nós a um programa televisivo que todos dizem não ver mas que ocupa parte das pesquisas e conversas nacionais. Eis o top português!

Desafio-Final-600x375.png

  1. Desafio Final
  2. Netflix
  3. Agar.io
  4. Charlie Hebdo
  5. Maria Zamora
  6. Nuno Melo
  7. As 50 sombras de Grey
  8. iPhone 6s
  9. Velocidade Furiosa
  10. Windows 10
28
Mar15

Top do mau feitio


O Informador

Andava por aí a vaguear pelas redes sociais quando me deparo com um suposto top do mau feitio, signo a signo. Ora que bela ordem que foram arranjar para me colocarem logo no segundo posto. Será que tenho mesmo esse mau feitio de que os Escorpiões têm fama ou o proveito fica-me de fora?

Analisando algumas pessoas conhecidas acabo por constatar que esta ordem não está de todo correta. O Escorpião devia andar para aí na quinta ou sexta posição, fora do top principal onde não encaixa mesmo. Os que me ouvem dizer o signo logo fazem aquela cara de «coitado» como quem diz, «logo o pior de todos». Será que somos mesmo assim tão complicados, com mau feitio e do piorio? Não, tudo são calunias e invejas contra as pessoas do bem que nasceram sobre o mais forte signo, aquele que todos gostariam de ter e que não lhes calhou na roda da sorte! Temos pena!

Vejamos então o top do mau feitio para perceber quem se encaixa onde...

21
Jan15

Gente tão original...


O Informador

As passwords usadas por cada um devem ser do mais complicado de decifrar possível para os outros, no entanto existem muitos milhões de pessoas que são tão originais com as palavras-chave escolhidas que conseguem mesmo acertar numa das vinte e cinco mais populares.

Segundo dados do SplashData, que todos os anos faz a compilação e sucessiva revelação das passwords mais usadas nos últimos meses, eis o top mundial de 2014, onde quinze das vinte e cinco já transitam da lista do ano anterior. Por aqui se vê a falta de originalidade de tantos que andam por aí!

1. 123456

2. password

3. 12345

4. 12345678

5. qwerty

6. 123456789

7. 1234

8. baseball

9. dragon

10. football

11. 1234567

12. monkey

13. letmein

14. abc123

15. 111111

16.mustang

17. access

18. shadow

19. master

20. michael

21. superman

22. 696969

23. 123123

24. batman

25. trustno1

Uma garantia que vos deixo, neste top não consta nenhuma das minhas palavras e não me parece que fiquem perto de lá entrarem! Sejam originais humanos deste planeta e pensem só um pouco numa coisa assim diferente e que não possa passar pela mente dos outros com tanta facilidade como o 123456!

10
Out14

A Culpa é das Estrelas


O Informador

Considerado como um dos melhores romances dos últimos tempos por muitos, A Culpa é das Estrelas foi um dos livros que deixou muito a desejar pela sua infantil história onde o cancro é um dos protagonistas que acaba por atrapalhar a felicidade de jovens vidas que sonham e querem continuar a concretizar os seus projetos.

John Green escreve bem e elaborou uma narrativa capaz de chegar ao coração de muitos, onde não me posso incluir. Depois de ter lido Viagem ao Fim do Coração, de Ana Casaca, e de ter ficado rendido à sua história, esta obra literária que já se transformou num filme que conquistou milhões de espetadores não me cativou minimamente, tendo sido lida até de forma rápida mas sem qualquer apelo pelo que iria acontecer pelas páginas seguintes e ao longo de toda a ação. Sempre deu para perceber que o final estava mais que previsto e que tudo o que foi acontecendo ao longo da história seria o esperado, num mundo criado pelo autor e que foge da realidade de um doente com cancro que se tem de submeter a tratamentos longe das grandes confusões sociais que aqui são descritas com viagens, saídas e parafernálias.

Não posso criticar o facto de John Green acreditar que um jovem doente é capaz de tudo e mais alguma coisa e o próprio acaba por revelar, pelos agradecimentos, que distorceu os factos reais nestas circunstâncias, no entanto pensar que tudo o que é relatado é possível é também acreditar no impossível.

Além da invenção e criatividade do autor para com esta real e infantil história, num livro é sempre importante o leitor conseguir ver os lugares descritos, ajudando tal facto a criar proximidade entre ficção e realidade, ajudando o leitor a ser levado até ao local da história. Em A Culpa é das Estrelas isso não acontece, não tendo sido capaz de visualizar casas e espaços públicos ao longo das descrições que vão sendo feitas.

Este é um livro que muitos apregoam como sendo um dos melhores e mais queridos romances, sendo também um dos mais recentes sucessos literários pelo nosso país, graças também há estreia do filme. Eu não gostei da forma como estas personagens foram descritas e como as suas doenças foram relatadas, mostrando o autor coisas que assim não são e criando em certa parte uma irrealidade.

Se isto é uma obra que está perto da genialidade para os críticos internacionais, só tenho que aceitar tais opiniões que acabam por mostrar que por vezes a suposta boa literatura pode ser comprada por uma simples ajuda dos temas centrais escolhidos para serem os protagonistas de toda a ação.

A Culpa é das Estrelas pode brilhar para muitos! Para mim este anunciado romance arrojado e irreverente acaba por ser mais uma obra sem comoção e que não passa de uma paixão adolescente com a dor mal descrita pelo meio!

08
Ago14

Camada de Nervos no Canal Q


O Informador

Sou um dos telespetadores do Canal Q assim talvez uns quinze minutos por semana quando estou pelo momento do zapping e deixo-me ficar algum tempo pelo canal. Só que agora acabo de detectar que além dos programas repetirem até mais não, ainda existe o facto de que o Camada de Nervos - Top Canal Q passa duas vezes em meia hora o mesmo episódio.

Pois é, quando comecei a ver a emissão do canal estava a dar uma rúbrica de sketches nacionais com um casal de atores, deixei a televisão sintonizada no Q e passados uns minutos comecei a ouvir, isto porque estava de costa para a televisão, que a mesma cena estava a ser retransmitida. Será mesmo possível passarem o mesmo programa de forma repetida logo após o término da primeira passagem?

Uma coisa é a TVI andar a repetir a série Inspetor Max nas manhãs de Sábado há uma década e sempre com bons resultados, outra é o Canal Q, que tem vários programas nacionais e internacionais, novos e antigos, repetir o mesmo episódio logo após ter sido transmitido pela primeira vez, sendo um canal que tem muito para conquistar. 

Aposto que este Camada de Nervos irá voltar a passar daqui a umas horas e que o mesmo irá para o ar novamente, tal como acontece na maioria dos canais de cabo, agora passarem logo de seguida a repetição do que acabou de ser transmitido é que não é nada aceitável!

Onde anda o respeito pelo público e os pensamentos de quem comanda a programação diária do canal? Não devem andar, só pode!

01
Jun14

Top de Maio


O Informador

O mês de Maio já lá vai e este blogue só tem motivos para celebrar, sendo que estes dias serviram para reforçar o crescimento d' O Informador. Este espaço tem crescido e mês após mês mostrado valores superiores aos anteriores, como tal só tenho mesmo que agradecer a todos os que visitam a página diariamente, enchendo-me com ideias positivas e também dando-me a certeza de que o trabalho feito tem sido bem aceite por todos! Posso dizer que no espaço de ano e meio os valores do blogue cresceram acima do esperado, deixando-me com a perspectiva que vamos fechar este ano com uns valores bem positivos!

Como tem sido habitual, quando um mês termina partilho a lista dos textos mais vistos dos últimos trinta dias, como tal segue-se o top dez dos mais bem colocados de Maio!

  1. Rir com listas telefónicas
  2. Passatempo – Eu Sou Deus
  3. Suicídio no Carregado
  4. Passatempo – A Manhã de Ser
  5. A Lacuna
  6. O desconvite a Teresa Guilherme
  7. José Rodrigues dos Santos lança livro em França e esquece Portugal
  8. Loom Bands, a nova moda
  9. Passatempo – A Volta ao Medo em 80 Dias
  10. Mimikas e companhia

E parece que, ao contrário do mês de Abril, os passatempos não foram os reis exclusivos da festa! Desta vez só três conseguiram infiltrar-se entre os mais vistos, deixando os restantes sete lugares para artigos de opinião! As listas telefónicas que podem servir para um bom momento de descontração, o acidente fatídico no Carregado a que assisti, opinião sobre livros, o lançamento de uma obra de autor nacional por França e os famosos com as pulseiras da moda conseguiram chegar aos lugares cimeiros de Maio.

Um top variado com literatura, passatempos, diversão e notícias! No mês que terminou a oferta foi para todos os gostos! Grato pela adesão!

02
Mai14

Mais Vistos de Abril


O Informador

Abril, o mês da revolução que mudou Portugal há quarenta anos simbolizou neste 2014 o melhor mês de sempre d' O Informador, o que só me pode deixar alegre e convicto que o trabalho que tenho feito tem chegado a cada vez mais pessoas dia após dia. Por isso e por estarem desse lado... Obrigado!

Quero com este texto, tal como é hábito, partilhar o top 10 dos mais vistos destes últimos dias e quase sem surpresas... Os passatempos continuam a fazer das suas e mesmo os que já aconteceram há uns bons meses continuam a marcar presença entre as estrelas deste espaço!

  1. Passatempo – Treta de Cabos – Vidas de Rocker – (as histórias secretas de XXL Blues)
  2. Passatempo – A Volta ao Medo em 80 Dias
  3. Rir com listas telefónicas
  4. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [16ªedição]
  5. Passatempo – A Publicidade Segundo o Meu Tio Olavo
  6. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [19ªedição]
  7. Passatempo – Robin dos Bosques [5ªEdição]
  8. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [18ªedição]
  9. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [17ªEdição]
  10. Bobine Rebellis no Teatro Turim

Dois textos que não estão inseridos no lote de passatempos conseguiram ao longo de Abril encaixarem-se entre a lista dos mais visualizados! Os prémios teatrais e literários que tenho vindo a atribuir têm tido o sucesso do seu lado, notando-se tal facto através das visualizações que os passatempos têm mantido. Para além desses prémios que estão sempre aliados a parceiros, os dois outros textos conseguiram impor-se e aparecer nesta lista... Rir com listas telefónicas, um post já com alguns meses de publicação e que há umas semanas tem vindo a ter mais leitores que o habitual, mostrando que não só a atualidade tem interesse, estando sempre o passado pronto para dar nas vistas. Depois o Bobine Rebellis no Teatro Turim, um texto sobre uma iniciativa que funcionou como uma montra de curtas metragens que não têm espaço nos grandes festivais do género conseguiu ficar pelo décimo lugar, atraindo visitantes ao blogue e acredito que deu resultado e outras pessoas ficaram assim a saber pormenores e como poderiam chegar à sala do Teatro Turim para poderem ver algumas das curtas em exibição.

E é isto, este é o top de Abril que não é tão surpreendente como a revolução dos cravos, mas foi o que se arranjou!

 
28
Fev14

Mais Vistos de Fevereiro


O Informador

Fevereiro, um mês que ficou marcado pelo mau tempo que se fez sentir em todo o país, tendo provocado estragos de Norte a Sul, pelo Dia dos Namorados, a minha viagem em trabalho à zona do Porto, a fraca leitura de bons livros d' O Informador, e também o melhor do blogue, em termos de visitantes e de reacções! Nestes 28 dias muita coisa boa e assim-assim aconteceu pela minha vida, mas aqui por esta casa online tudo continuou de forma ascendente e até os textos mais vistos continuaram na luta por um lugar no top final que agora revelo!

  1. O Beijo do Escorpião – Estreia TVI
  2. Passatempo – Vénus de Vison
  3. Passatempo – Uma Noite em Casa de Amália
  4. Passatempo – Numa Folha Leve e Livre
  5. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [14ªEdição]
  6. Passatempo – Grande Revista à Portuguesa [13ªEdição]
  7. Vencedor do Passatempo – Numa Folha Leve e Livre
  8. A vida de Dora
  9. Grande Aventura dos Livros Grátis da Presença!
  10. As críticas ao Somos Portugal

Antes de mais não posso deixar escapar o primeiríssimo lugar com o texto onde dei primazia à estreia da mais recente novela da noite da TVI, O Beijo do Escorpião. Comentei o primeiro episódio da trama e tal opinião tem conquistado os leitores que dia após dia têm colocado este texto pelo top dos mais vistos, tendo-o elegido assim como o mais lido em Fevereiro. Depois, os passatempos que em Fevereiro andaram entre o teatro e os livros e que continuam a ser um dos destaques d' O Informador! Do estrelado ao McDonald's deu o mote para comentar a recente vida da cantora Dora, tendo ainda tempo para falar das críticas que tenho visto ao programa Somos Portugal que tal como acontece com os reality shows, todos falam e afirmam não ver mas o que é certo é que o popularucho formato pimba continua a reinar nas tardes televisivas de Domingo. Um top dez um pouco fora do comum, já que todos os textos foram publicados ao longo do mês de Fevereiro, deixando as velhas glórias que costumam constar na lista para trás!

Obrigado pela subida de visitantes e cliques e espero que quem conheceu O Informador ao longo deste mês continue a marcar presença neste meu blogue! Até já!

24
Ago13

Inferno


O Informador

Inferno 2Inferno, o mais recente livro de Dan Brown, poderia ser uma grande obra e embora esteja bem equilibrado entre os anteriores sucessos do autor que continham boas histórias que transmitiam novidade e um bom encadeamento, desta vez tudo acontece de forma forçada e para render mais uns bons milhares de euros. Um Inferno bem embrulhado entre todos os anteriores livros do autor, mas sem necessidade de existir.

Com base na Divina Comédia de Dante Alighieri, Dan Brown quis colocar a sua criação de nome Robert Langdon em busca de um misterioso vírus que poderia estar prestes a invadir a sociedade com a finalidade de fazer com que a população do planeta diminuísse. Uma corrida desenfreada, sem tempo para comer e dormir, como tão bem acontece em todos os livros do autor que se esquece que as suas personagens são humanas e também necessitam dos bens básicos para a sobrevivência poder existir, a ideia base está lá, mas depois todo o seu encadeamento acaba por desmoronar o que poderia acontecer de forma perfeita.

Desde o acordar envolvido num tiroteio e logo começar a fugir de uma pessoa que não sabe quem é, passando por todas as personagens que se cruzam com o grande Robert, chegou a um ponto deste Inferno que dei por mim a pensar, querem ver que com tantas trocas e baldrocas entre os bons e os maus, desta vez o velho herói que se quer fazer passar também por galã não está do lado da salvação do mundo mas sim a correr para que o fim aconteça?

Uma coisa é seguir uma linha em que se perceba que tudo vai encadeado e sempre com peripécias a acontecerem pelo caminho, outra diferente é fazer da história um saltitar entre as personagens que andam entre o bem e o mal ao longo da maior parte desta obra, fazendo disso o livro. Para mim, o facto de existir um motivo para preocupação e sentindo que isso se teria que procurar poderia fazer todo o sentido se ao longo do que é contado as personagens se cruzassem com outras e se vissem envolvidas num carrossel de emoções que as levavam sempre a recuar nas suas buscas. Agora encontrar talvez umas dez pessoas e não saber afinal do que andam à procura porque tão depressa correm ao lado do protagonista como já o tentam matar não faz sentido. Passar o livro com estas patetices do «este é bom ou mau?» é um autêntico inferno literário.

Os destaques positivos deste novo sucesso sem glória de Dan Brown voltam a ser, tal como em todos os seus livros, os locais pelos quais as personagens passam, mostrando ao leitor mais atento a história de cada cidade, mais concretamente de Florença. Também o facto de colocar o dedo no futuro da ciência e da humanidade é um ponto forte que marca a leitura por deixar no pensamento a ideia, que é uma chamada de atenção a todos nós, humanos, que vivemos numa sociedade cada vez mais exigente e num planeta a ficar com uma média populacional acima do ideal para uma boa harmonia entre as necessidades, as existências e as consequências.

De resto poderá dizer-se que foi aqui criada uma nova novela para fazer render o peixe literário que é Dan Brown. Um pouco mais de tempo para esta criação deveria ser precioso para ter saído daqui um Inferno bem melhor, fazendo assim louvar a magnitude da Divina Comédia de Dante. Fica para a próxima!

Sinopse:

Inferno marca o regresso de Robert Langdon, o famoso simbologista de Harvard que protagonizou O Código Da Vinci, Anjos e Demónios e O Símbolo Perdido. Este novo romance é passado em Itália e tem ecos do clássico da literatura A Divina Comédia, de Dante Alighieri, a que vai buscar o título de uma das partes, o Inferno.

Dan Brown confessa que embora tenha estudado o Inferno de Dante, apenas recentemente, enquanto pesquisava em Florença, se deu conta do peso da influência do poeta florentino no mundo moderno: «com este novo romance, quero levar os leitores a mergulharem numa viagem neste mundo misterioso… Uma paisagem de códigos, símbolos e muitas passagens secretas».

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________