Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Em Fuga [Peter May]

em fuga.jpg

Autor: Peter May

Editora: Marcador

Lançamento: Fevereiro de 2017

Edição: 1ª Edição

Páginas: 392

ISBN: 978-989-754-298-5

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Em 1965, cinco amigos, todos adolescentes, cansados da rotina e temerosos de uma vida previsível, fogem de Glasgow com destino a Londres e o sonho de serem estrelas e de transformar a sua banda de música num sucesso. No entanto, antes do final do primeiro ano, três deles regressam á sua cidade natal na Escócia - e voltam diferentes, danificados, sem que ninguém perceba a razão para tal. Cinquenta anos mais tarde, em 2015, um brutal homicídio na capital inglesa obriga esses três homens, agora com quase 70 anos, a regressar a Londres e a confrontar, por fim, a mancha escura do seu passado da qual tentaram fugir durante toda a vida.

Porém, como perceberá Jack Mackay, eles já não são os rapazes de 17 anos que ambicionavam a fama, e, após terem passado meio século entre o falhanço e a mediocridade, está na altura de recuperar as memórias dos eventos aterradores de 1965 e, em vez de fugir, de as enfrentar de uma vez por todas.

 

Opinião: Em Fuga marca a minha estreia para com Peter May, supostamente um dos melhores autores de thrillers mas que não me conseguiu conquistar assim tanto como previa. 

Percorrendo dois períodos temporais com cinquenta anos de diferença e com dois tipos de narração também distintos entre 1965 e 2015, Em Fuga distingue assim o presente das memórias marcantes de um passado que alterou a vida de um grupo de jovens sonhador que não tiveram a sorte do seu lado. Primeiramente partem em busca de um objetivo que em união com a fuga da vida atual os leva a percorrerem caminhos onde a sociedade não é assim tão hostil como pretendiam e acreditavam encontrar. Mas é quando tudo se parece encaminhar após vários percalços pelo caminho que as suas vidas voltam a dar a volta perante um acidente que os leva a recuar com as suas ideias de independência longe do ambiente familiar e da cidade que os viu crescer, isto sem que o leitor perceba ao certo o que se terá passado. O que levará jovens adolescentes que acreditam nos seus objetivos, mesmo que para isso passem por situações desconfortáveis a alterar os seus planos de um dia para o outro? Ao mesmo tempo que somos convidados a voltar ao local dos acontecimentos no presente vamos acompanhando o mesmo percurso e experiências do passado e as situações vão-se conjugando de forma a que a noção temporal seja colocada perante o leitor que vai tentando resolver todo o mistério.

Atual leitura... Em Fuga

Um policial? Um romance? um thriller? Afinal em que categoria se encaixará a mais recente obra de Peter May onde os sonhos de adolescente podem dar origem a confrontos pessoais que se entrelaçam por amizades, omissões e segredos? A premissa de que «o passado vai persegui-los» dá o mote para o livro que será a minha atual leitura pelos próximos dias. 

Alguém tem opinião acerca da obra de Peter May? 

O Anjo da Morte

o anjo da morte.jpg

Autor: M. J. Arlidge

Lançamento: Fevereiro de 2017

Editora: TopSeller

Páginas: 336

ISBN: 978-989-8855-43-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Helen Grace, até aqui considerada a melhor detetive do país, é acusada de homicídio e aguarda julgamento na prisão de Holloway. Odiada pelas restantes prisioneiras e maltratada pelos guardas, Helen tem de enfrentar sozinha este pesadelo. Tudo o que deseja é conseguir provar a sua inocência. Mas, quando um corpo aparece diligentemente mutilado numa cela fechada, essa revela ser, afinal, a menor das suas preocupações.

Os macabros crimes sucedem-se em Holloway e o perigo espreita em cada cela ou corredor sombrio. Helen não pode fugir nem esconder-se por atrás do distintivo. Precisa agora de ser rápida a encontrar o implacável serial killer? se não quiser tornar-se a sua próxima vítima.

 

Opinião: Ao longo dos últimos tempos tenho-me deixado conquistar por autores que desconhecia e dentro do thriller então as surpresas têm sido várias. Agora e sem saber que O Anjo da Morte pertence a uma série com livros já publicados, peguei neste último lançamento de M. J. Arlidge e encontrei aqui um autor que não tem nada a esconder com a sua escrita e narrativas tão bem criadas que conseguem prender o leitor do início ao fim sem que se perceba quem na verdade possa ser o rosto que será descoberto perto do final para que tudo fique esclarecido e se possa seguir em frente. 

Atual leitura... O Anjo da Morte

2015 e 2016 foram os anos em que me comecei a viciar um pouco no thriller literário graças a obras como A Rapariga no Comboio, Deixei-te Ir e Numa Floresta Muito Escura. Em 2017 não quero deixar este estilo de lado e nada melhor que conhecer um nome internacional bem comentado e com obra feita. O Anjo da Morte é o mais recente lançamento, da autoria de M. J. Arlidge, que a TopSeller colocou no mercado nacional. Após Um, Dó, Li, Tá, À Morte Ninguém Escapa, A Casa de Bonecas, A Vingança Serve-se Quente e Na Boca do Lobo, que não conheço, eis que chega O Anjo da Morte que, só pelos primeiros e rápidos primeiros capítulos, já me está a conquistar. 

Atual leitura... As Desaparecidas

As Desaparecidas, da autoria de Megan Miranda e lançado pela mesma editora de A Rapariga no Comboio promete conquistar os fãs do sucesso de Paula Hawkins que virou película cinematográfica. Eu, que estou cada vez mais rendido a este estilo de thriller em que a Topseller continua a apostar, espero agora ficar tão agarrado ao As Desaparecidas como fiquei anteriormente. Não conheço o trabalho desta autora mas só pelas primeiras páginas já percebi que este livro requer atenção da parte do leitor. Vou então continuar a envolver-me no mistério para tentar descobrir antecipadamente tudo o que levou ao desaparecimento de pelo menos duas pessoas, em períodos diferentes, mas com vários fatores em comum. 

O Samaritano

o samaritano.jpg

Autor: Mason Cross

Lançamento: Setembro de 2016

Editora: Topseller

Páginas: 384

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Se o seu carro avariar de repente, tenha medo, tenha muito medo… 

Elas pensavam que ele queria ajudar… Estavam enganadas.

Após uma noite de tempestade, em Los Angeles, a detetive Jessica Allen é chamada ao local onde houve um deslizamento de terras. O motivo? Uma descoberta macabra: foi encontrado o corpo de uma jovem cujo pescoço foi degolado com um corte invulgar.

Deixei-te Ir

Deixei-te Ir.jpg

Autor: Clare Mackintosh

Data: Julho de 2016

Editora: Marcador

Número de páginas: 360 páginas

Classificação: 5 em 5

 

Sinopse: Numa fração de segundos, um acidente trágico faz desabar o mundo de Jenna Gray, obrigando uma mãe a viver o seu pior pesadelo. Nada poderia ter feito para evitar esse acidente. Ou poderia? Essa é a pergunta que a inquieta quando tenta deixar para trás tudo o que conhece, procurando um novo recomeço refugiada num chalé isolado na costa de Gales. Mas cedo passa a ser assombrada pelos seus medos, pelo desgosto e pelas memórias daquela fatídica noite de novembro que lhe mudou a vida para sempre.

Também o detetive Ray Stevens, responsável pela investigação por este caso que procura a verdade, começa a ser consumido pela sua entrega ao mesmo, deixando a vida pessoal e profissional à beira do precipício.

À medida que o detetive e a sua equipa vão juntando as pontas do mistério, Jenny, lentamente, permite-se vislumbrar uma luz de esperança no futuro, o que lhe dá alguma segurança. Mas é o passado que está prestes a apanhá-la, e as consequências serão devastadoras.

 

Opinião: Deixei-te Ir é considerado um thriller, no entanto a essência desta obra de Clare Mackintosh foge do tradicionalismo literário que existe nesta faixa de escrita. 

Com uma apresentação de personagens forte e bem cuidada, tal como com os locais que o leitor é convidado a conhecer, a autora cria ao longo de parte da sua obra um ambiente que conduz a história por uma verdadeira ilusão que sem nos darmos conta acaba por nos fazer chegar a um abismo onde tudo cai por terra e a alteração ocorre como uma autêntica viragem da narrativa. Somos convidados a conhecer personagens com o pensamento em outras quando afinal tudo gira, como uma autêntica transformação de personalidade num ser que esconde a verdade dos factos até conseguir, tudo para que se consiga proteger do medo de uma vida. 

Neste livro o que acontece, e acredito que não tenha sido só a mim, é que em determinados momentos sentimos que é necessário voltar atrás na leitura para que se tente apanhar o que nos escapou e que faz com que a ação se mova ao contrário do que estávamos a prever. Afinal o que andamos a ler ao longo de várias páginas não pertence a uma personagem mas sim a outra? Em que ficamos então?

O Vírus Mona Lisa

o víruas da mona lisa.jpg

Autor: Tibor Rode

Data: Maio de 2016

Editora: TopSeller

Número de páginas: 448 páginas

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Uma genial teoria da conspiração onde a Humanidade é o alvo a abater. 

Nos Estados Unidos, as participantes num concurso de beleza desaparecem misteriosamente. Mais tarde, algumas delas aparecem totalmente desfiguradas. Em Milão, o mural A Última Ceia, de Leonardo da Vinci, é destruído, tal como em Leipzig uma das torres da Câmara Municipal. Entretanto, alguém espalha um vírus informático em todo o mundo, que altera sistematicamente os ficheiros de fotografias para desfigurar os rostos humanos. 

A resposta está na Mona Lisa. 

Quando a especialista Helen Morgan vê a sua filha ser raptada e é chantageada para roubar a Mona Lisa do Museu do Louvre, ela acaba por descobrir um criminoso perigoso e obcecado que vai ter de enfrentar até ao imprevisível desfecho final. 

Num crescendo de ritmo e acção, este é um thriller de conspiração internacional com um final alucinante, que os amantes do género não podem perder.

 

Opinião: O Dan Brown ou o José Rodrigues dos Santos podem ter um mestre do thriller próximo de ambos pela Alemanha. No entanto ainda é cedo para que Tibor Rode consiga igualar-se a Brown, estando mais próximo do nosso José. Em O Vírus Monsa Lisa acabei por constatar isso mesmo!

Gostando de ler grandes obras de suspense de forma espaçada porque sempre acabam por ser pesadas, nesta criação lançada pela TopSelLer entre nós acabei por entrar no misterioso caso em torno das abelhas, do desaparecimento de modelos e também de uma jovem que aparentemente nada tinha para contar num caso envolto em mistério onde só a perseverança de uma mãe consegue ultrapassar obstáculos, mesmo que para isso tenha que seguir com pessoas que não conhece e de quem desconfia ao longo do percurso.

Atual leitura... O Vírus Mona Lisa

Uns meses após o afastamento do thriller literário, eis que será através do novíssimo O Vírus Mona Lisa que irei entrar num mundo onde o crime, a investigação e a perseguição acontecem! Através desta obra lançada em Portugal pela TopSelLer vou entrar numa conspiração internacional onde espero sentir-me no corpo e espírito de quem tudo irá tentar para salvar a humanidade. Será que irei conseguir descobrir a resposta que aparentemente está na Mona Lisa?

Da autoria de Tibor Rode, autor que me é desconhecido e que será assim uma descoberta! Vamos lá à leitura!

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow

Comentários recentes

  • O Informador

    Não existiam canais televisivos e jornais diários ...

  • sotnas

    Nasci no inicio da decada de 50 do século passado....

  • O Informador

    Claramente que se não tiverem este tipo de notícia...

  • C.S.

    Mas provocar o pânico é tão mais divertido... Ou m...

  • O Informador

    Sem dúvida!

Atual leitura

_________________________________________________________

Mensagens

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________

 Subscreve O Informador