Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Semana de adaptação

Os leitores regulares do blog já devem ter dado por isso, para mais porque vos contei há uns dias, que esta semana voltei ao trabalho, numa nova empresa, novas funções e vontade de aprender. 

Logo na entrevista quis ficar, fui o escolhido e lá comecei. No primeiro dia sai ainda mais entusiasmado com o novo emprego do que pensava, já no segundo esmoreci um pouco. Ao terceiro as coisas começaram a entrar nos eixos e terminei a semana com várias questões para esclarecer com os colegas sobre o modo como processar toda a informação, mas com a ideia que afinal talvez as coisas não sejam assim tão complicadas de elaborar, desde que se comece a entrar nos eixos. Com isto o que ficou para trás? O blog que em dois meses passou a ser quase o meu emprego a tempo inteiro e agora voltou a ser encostado para as horas vagas, o que esta semana até se tornou complicado por parecer que a inspiração não surgia. 

Não escrevi lá muito por estes dias, tendo recorrido mais a textos já elaborados anteriormente e que esperavam pela luz do dia para serem publicados, tendo adiado outros porque não sei se irei conseguir continuar a publicar dois ou mais textos por dia. Por agora voltamos à fórmula da publicação matinal e uma ou outra mais no final do dia, mas não me quero esticar porque sabem que vos gosto de dar notícias diariamente e se os próximos dias continuarem a ser um poço vazio de inspiração tenho que recorrer ao que está guardado para não perderem o fio à meada aqui no blog. 

Chuva no Carnaval. Oh, que pena!

pelicano.jpg

A meteorologia por vezes sabe bem o que tem de ser feito. Então não é que as previsões do tempo para o fim-de-semana prolongado de Carnaval revelam que a temperatura irá baixar para os 2/3 graus e que os chuviscos irão aparecer?

Ao que parece pelos primeiros dias do fim-de-semana será a zona do Minho e do Douro Litoral a receber a chuva e nebulosidade, algo que irá afetar todo o território a partir de Segunda-feira. A neve acima dos 1400 metros no Norte e Centro, ou seja, mais na Serra na Estrela, é quase uma certeza para quem planeia passar os próximos dias na serra mais nevada de Portugal. 

Estou com tanta pena de não poder festejar o Carnaval como manda a trandição que nem vos consigo explicar! Abençoada chuva que estraga uma tradição tão desnecessária e mal encaminhada entre nós.

Chuva e granizo a caminho!

Dizem os entendidos na matéria que a partir de amanhã as temperaturas irão baixar drasticamente e que até a chuva e granizo têm regresso marcado para os próximos dias!

Após um Verão bem quente com alguns deslizes pelo meio, eis que a passagem repentina para o Inverno parece estar prestes a acontecer. Logo agora que estou a uns dias para iniciar o período de férias mais longo do ano!

Vá, que venha o mau tempo pelos próximos dias para tudo voltar a arrebitar pelo próximo fim-de-semana!

Os calções!

Confesso ao Mundo que não gosto de vestir calções para andar no dia-a-dia! Na praia, piscina ou para fazer exercício tem de ser e nunca questionei, mas para sair ou andar por aí não gosto de circular com calções! Ontem resolvi deixar as calças em casa e deixar a perna ao léu... Só que se de manhã o tempo parecia que iríamos ter um dia cheio de calor bem perto dos quarenta graus, rapidamente percebi antes de almoço que a ideia dos calções tinha saído furada!

Logo no dia em que resolvi deixar as calças de lado é que o sol acabou por ficar escondido, o vento surgiu e o tempo em geral acabou por arrefecer! Uma pessoa evita e depois quando finalmente dá o braço a torcer tudo muda para talvez mostrar que vale mais ficar quieto e usar a perna longa em detrimento dos perna curta!

Frio de Inverno

frio.jpg

Batemos no final do ano e o frio quis marcar presença entre nós! Temperaturas positivas mas baixas e com os negativos prontinhos a entrarem em acção assim que um pequeno descuido aconteça.

Ouvi dizer até que existem algumas previsões mais promissoras que indicam alguma queda de neve para os próximos dias em várias regiões do país e não só para os pontos altos. 

Primeiros quilómetros

Primeira etapa.JPG

O prometido é devido, nem que sejam algumas semanas depois! Lá comecei as minhas corridas e o primeiro impacto deixou-me de rastos, confesso!

Primeiro fiz bem menos tempo e quilómetros do que esperava aguentar, mas a ferrugem não me deixou ir mais longe desta primeira vez, preferindo parar para voltar a poder fazer o mesmo percurso amanhã ou na segunda-feira. Sim, corri menos de quinze minutos e não alcancei os dois quilómetros e meio, mas paciência!

Defraudei nesta primeira vez as minhas próprias expectativas, mas para a próxima já será melhor muito certamente!

Raios quentes de Primavera!

Finalmente se pode afirmar que os dias primaveris bateram à porta do nosso país. O clima ainda está instável, não estando capaz de colocar os calções e a manga curta para percorrer a areia da praia em busca da maré, no entanto o sol e o desaparecimento do frio ventoso acabam por convidar qualquer um a sair de casa com uma melhor disposição aliada à vontade de sair e aproveitar este bom tempo que tanta falta já fazia. 

Os raios quentes da Primavera já voltaram ao nosso país litoral, as manhãs solarengas já fazem o convite para aproveitar as esplandas e jardins e eu, que ando a acordar cada vez mais cedo mesmo pelos dias em que posso desfrutar dos lencóis até mais tarde, acabo por ter a obrigação de sair de casa para aproveitar este tão atrasado sol que tardava em aparecer para alegrar os nossos dias.

Chuva de Verão

Verão era sinónimo de calor e bom tempo quando era criança! Agora a definição que posso dar a estes meses é de autêntica instabilidade climatérica onde posso adormecer com o som da chuva e acordar com um sol abrasador a bater nas janelas. O Verão já não é o que era!

Em pequeno os meses de Julho e Agosto, principalmente, eram sempre recheados de grandes dias solarengos com o tempo quente a fazer-se sentir de forma por vezes até desagradável, e agora o que deixa qualquer pessoa descontente é a instabilidade que é vivida de dia para dia onde tão depressa posso vestir um casaco de Outono/Inverno, como ando de tshirt e calções.

O que se anda a passar com estas temperaturas loucas e desajeitadas que não fornecem positividade a ninguém?! Quando se pensa que no dia seguinte se pode dar um saltinho à praia, eis que acorda-se e a visão que se tem pela janela logo muda todos os planos.

Este Verão de 2014 é mesmo para esquecer! Consegui ter uns bons dias de praia mas conheço muito boa gente que foi de férias e nada conseguiu aproveitar fora de casa devido ao estado do tempo chuvoso, ventoso e pouco ou nada jeitoso para uns bons banhos de praia com o sol escaldante a rechear os dias!

Ainda sou do tempo... Do que já não existe!

Outros tempos... Outras palavras...

O tempo passa e o moderno deixa para trás o passado, aquele onde cartas eram escritas e faziam esperar um batimento de um coração apaixonado que ansiava pela chegada do correio para poder ter notícias de quem estava longe e fazia-se apresentar através das sentidas palavras junto de quem tanto desejava.

As cartas aos poucos têm perdido o seu sentido, tendo sido trocadas por emails, mensagens escritas de telemóvel e facebook ou somente pela ausência de comunicação entre o ser humano que procura cada vez mais despreocupar-se com os seus parceiros para se dedicar ao seu mundo e às suas personagens criadas em videojogos, televisão ou irrealidades que têm surgido para destabilizar o sentido da vida em comunidade. Em pleno século XXI as palavras tornam-se cada vez mais ausentes, sendo substituídas pela falta de paciência que existe entre cada um, não existindo frases para serem transcritas para o papel, revelando sentimentos bonitos e que mostravam mais que os gestos podem algum dia comunicar.

A palavra sempre foi a mais bonita forma de comunicar, ajudando o ser humano a relatar o que lhe vai na alma e aos poucos tem desaparecido e deixado a sua boa forma de comunicação pelo stress social com que o planeta vive nos dias que correm, pelos rápidos andamentos de cada um. Mostrar de forma poética e pausada o que o coração transmite é um dom inato que nasce com cada um, evoluindo consoante o ser que o transporta vai adquirindo sensibilidade e conhecimentos de si e dos outros.

As palavras, a falta das frases escritas, as cartas românticas de outros tempos... Aí, como faz falta a caneta e o papel que outrora fizeram suspirar muitos corações arrebatados e em busca da felicidade. As palavras, sempre as palavras que transmitem o amor, os sentidos e a verdadeira paixão! Já nada é contado com a crença de outros tempos e a vontade de posse entranhada de sangue que se fazia crer através da tinta que chegava além mar em busca da perfeição agora é impura!

Os tempos mudam e as palavras desaparecem!

Bloguista a tempo inteiro

Um ano e meio já passou desde que dei o primeiro passo com este blogue e aos poucos tenho percebido como certas personagens deste mundo da escrita e partilha online tiveram que abdicar das suas profissões por verem o seu espaço em crescimento e sem tempo para se poderem dedicar a cem por cento à sua criação, tal como era desejado e já pedido pelo blogue e também pelos leitores que aparecem diariamente para saberem as novidades, as cusquices, lerem os novos textos e verem as imagens publicadas.

O Informador ocupa-me parte do final de tarde e por vezes do serão, isto porque ao longo do dia trabalho e tenho os meus afazeres diários que não me libertam para poder estar mais tempo dedicado ao blogue como gostaria. Neste momento queria ter, pelo menos, mais uma hora por dia livre para poder estar dedicado em exclusivo a este espaço, podendo ter outros destaques, publicando mais textos com pensamentos, opiniões, citações, divagações e por aí fora. Ando a publicar um ou dois textos por dia, estando por vezes a meio gás pela falta de tempo, tendo também algumas reservas para que nos dias em que o tempo escasseia e não me deixa escrever algo tenha sempre um recurso para poder partilhar com quem aparece por aqui diariamente em busca de novidades.

Gostaria que este fosse o meu emprego, poder dizer que trabalhava como blogger em Portugal e que tinha sucesso junto dos leitores, das marcas, dos anunciantes, podendo fazer vida disso, divulgando, anunciando, noticiando, tendo a minha agenda como bloguista, podendo andar pelos eventos para os quais tenho convite, mostrando logo de seguida e quase em cima do acontecimento como tudo aconteceu, sem ter que esperar algumas horas ou mesmo dias para poder contar o que vi e achei sobre determinado tema. Ir aos locais, poder conviver enquanto um rosto que tem um espaço aberto a todos, não ter de dizer que «infelizmente não vou poder estar presente por motivos laborais!». Ter um blogue e querer ter o projeto que tenho em mente para O Informador é ter de abdicar de um emprego de oito horas diárias das nove às dezoito com pausa para almoço. Ser um blogger a tempo inteiro é não ter horas marcadas, é não ter horários definidos para as refeições, é poder estar de manhã em Lisboa e à tarde no Porto, falando do que se está a fazer pelas duas cidades.

Poder partilhar e contar o que se vive, poder ter tempo com dedicação... É isto que eu sonho um dia conseguir com O Informador! Este é o meu projeto online e era daqui que gostaria daqui a uns tempos poder viver, deixando o emprego estável e parado para me dedicar ao que me tem dado prazer fazer e onde não consigo estar como quero por ter tudo em pensamento e poucas horas livres ao longo das vinte e quatro horas diárias!

Ainda bem que não fui de férias

Nos últimos anos as minhas férias de Verão têm sido marcadas para acontecerem pelo mês de Junho, na primeira ou segunda quinzena. Desta vez e porque tinha alguns compromissos que me obrigavam a estar ao longo destes dias pela zona, marquei as férias para as últimas semanas de Julho e parece que foi a melhor opção.

O tempo que se tem feito sentir este mês tem estado longe do que tenho apanhado pelos outros anos, onde o sol acorda com o dia e só adormece com o anoitecer, ajudando aos dias quentes e bons para a praia ou piscina. Agora tem sido a chuva a mostrar que anda por aí pronta para atacar em qualquer altura e para estragar as férias de muitos que estão pela zona litoral, mais pelo Algarve, a querer desfrutar de uns bons dias de calor e descanso pelos areais do país. 

Se em Julho o Verão aparecer fico feliz por ter sido quase obrigado a adiar as férias para tal mês, deixando o Junho para trás! Haja sol e boa disposição na altura!

Renascer na praia

Um dia de folga, combinar anteriormente ir até à praia, sair de casa por volta das 9h30 para umas compras de última hora e partir por volta das 10h00. Uma hora de viagem que dá início a um dia bem passado ao sol, em boa companhia, sem stress e confusão! Isto é a representação de um bom dia de praia, o pior é o regresso, quando o corpo já está com uma moleza em cima incrível, existindo uma viagem para ser feita e com uma vontade de adormecer como pendura e não querer perder o sentido da viagem, percebendo sempre por onde se passa. Não se fala e não se consegue perceber bem o tempo que a viagem de regresso demora, no entanto a vontade é chegar bem a casa, tomar um banho para tirar a areia e sal acumulados pelo corpo, comer alguma coisa e deitar, relaxar, dormindo até ao outro dia de manhã!

Um dia de praia dá-me uma moleza enorme e o regresso a casa é quase sempre com o pensamento que o dia foi bem passado, serviu para descansar e conviver e que no final vou dormir como uma passarinho exausto em busca do seu ninho acolhedor! Um dia ao sol entre a areia e o mar, com conchas e algas, gaivotas e peixes a passarem é o ideal para deixar de lado o dia-a-dia cansativo de trabalho e da vida normal feita de rotinas. O bom tempo tem o dom de levantar a auto estima de cada um, desfazendo os novelos de mau humor que sobrevivem por cada ser ao longo do inverno e comigo uma ida à praia serve para renovar e reforçar energias, desde que o tempo seja bem aproveitado e não tenha que levar com tempestades de areia!

A moleza que a praia me faz é incrível e quando deixo o areal o que me apetece mesmo é entrar num hotel logo ao virar da esquina, subir a um quarto com uma bela vista, tomar um duche, deixar-me ficar a apreciar o mar longínquo, ali deitado, a olhar através da janela o outro lado, o horizonte, puro como quando vim ao mundo! Adormecer!

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________