Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

23
Out17

Capela das Conchas, em Alcáçovas


O Informador

IMG_2262.JPG

Situada no centro de Alcáçovas, vila alentejana, encontramos a Capela das Conchas, fundada em 1622 por D. Henrique Henriques.

Com uma decoração fora do comum, para mais num local distante do mar, esta capela tem as suas paredes e tetos recheados de conchas. Segundo a história, estes elementos foram recolhidos ao longo dos caminhos que os portugueses navegaram e colocados assim, por pessoas dedicadas e verdadeiros artistas, neste espaço que ainda hoje contém vestígios da beleza implantada. Fazendo jus pela tradição marítima nacional, esta capela e seus jardins adjacentes estão adornados com verdadeiras obras de arte com desenhos pormenorizados sobre o tema religioso, como é o caso das pombas que se encontram nos cantos do teto e os anjos junto de uma das entradas exteriores. No jardim também os canteiros e fontes estão embelezados com coloridos trabalhos de conchas de diferentes cores e tamanhos.

13
Mai17

Fátima


O Informador

Contei-vos que ia até Fátima por convite e vontade de tentar perceber tudo o que era vivido naqueles momentos de fé e crença. Não sou católico praticante, não afirmando que não possa existir algo, mas também não podendo dizer que tudo o que é relatado é a pura das verdades. Mas fui, de mente aberta e com vontade de viver o momento, as horas, o cansaço, o companheirismo e a união e não é que até que não desgostei?!

Não vos vou dizer que as horas passadas no Santuário de Fátima me alteraram a forma de pensar e perceber a religião porque isso não aconteceu, mas senti um pouco da magia que só o momento de passar horas sentado no recinto já sem posição para estar, assistir e posteriormente ver ao vivo a chegada do Papa Francisco a Fátima, acompanhar as orações como um leigo que ouve e que vai tentando apanhar alguma coisa e finalizar o dia de vela na mão a assistir à procissão foi para mim o momento alto do dia 12. Tantas horas de espera, ouvindo histórias, criando conversa com quem estava connosco e perceber que aos poucos os vizinhos de chão também interagem por qualquer motivo para que tudo seja uma comunidade que partilha vontades, crenças e ideias religiosas em comum. 

A Procissão das Velas é daqueles momentos altos das celebrações de Fátima, para mais este ano com a presença do Papa Francisco para celebrar o Centenário das Aparições da Virgem aos pastorinhos. Sinceramente não acredito na história que foi sendo passada ao longo dos anos sobre o acontecimento, mas naquele momento e com o que senti com o que se passou no recinto esqueci-me por momentos, horas até, que não tenho a história como verdadeira. Deixei-me levar pela ação social e o que se vive naquele local em dias festivos é algo de especial mesmo. Todos estão com o mesmo objetivo, centrados em algo em que acreditam ou que procuram acreditar por lhes fazer um pouco, como a mim, de sentido. Pode não ser uma coisa em que acredito, mas no fundo sei que existe algo que não consigo explicar e que entendo que não acontece como a caracterizam, uma ideia que ainda me transcende e que sinto que assim continuará a ser pelos próximos tempos. Emocionei-me um pouco na noite pelo ambiente que foi criado ao longo do dia e que colmatou nas três horas fortes da noite onde as pessoas acabam por deixar que os sentimentos e a fé que as conduziu até ao local passem para fora e levam a que todos refletiam sobre o sentido da vida e a comunhão com os outros. 

Primeiro dia feito e o 13 de Maio começou cedo, após uma noite praticamente sem dormir. As comemorações foram retomadas bem cedo e já lá estávamos quando o Papa Francisco regressou ao recinto para santificar Francisco e Jacinta Marta que são a partir de agora os mais jovens Santos da igreja católica. Uma celebração duradoura, sem dúvida, que me causou algum cansaço pelas dores que já tinha no corpo devido ao dia e noite anteriores e chegou a um momento em que acredito que devo ter bloqueado, só voltando a reagir quando chegou a altura do texto dedicatório e de resumo da vida dos dois irmãos onde se seguiu um momento que não me passou despercebido. O tempo entre o sol presente e ausente quando tapado por nuvens deu lugar por um minuto a um sopro de ar fresco onde pareceu que o dia iria mudar. Não sei o que poderá ter acontecido naquele momento, mas senti que aquele vento fresco não apareceu por acaso após Francisco e Jacinta Marto terem sido tornados Santos. Algo aconteceu no recinto naquela passagem e aquele sopro tocou-me de certo modo. Mais uma vez é daquelas sensações que não consigo explicar de todo mas que para mim, na minha ignorância, não aconteceu em vão. 

12
Mai17

A caminho de Fátima...


O Informador

Não sou católico praticante e tenho certas dúvidas acerca da religião, da fé e da crença, mas este ano e a convite resolvi aceitar o desafio e nos dias de hoje e amanhã estarei pelo Santuário de Fátima para assistir às cerimónias e tentar perceber o que se sente pelos momentos que marcam milhares, milhões mesmo, de pessoas nestes dias especiais onde Fátima vira o centro religioso que acolhe portugueses e todas as comunidades que partilham a sua devoção num só local. 

Para ir tenho de sentir algo que não consigo explicar e que até este momento não encontrei pelo caminho, talvez seja por isso e por querer perceber o que move tantas pessoas que estou neste momento a caminho de Fátima para assistir, ou tentar pelo menos, às cerimónias e estar no local que todos dizem mudar a perspetiva de quem não acredita. As pessoas mostram-se de alma leve e com um reforço positivo sobre o futuro quando se dirigem ao Santuário, parecendo que se libertam de um peso após aqueles momentos de dedicação religiosa e crença. Eu, que não consegui ainda sentir algo do género e sempre fui até Fátima várias vezes por ano com os meus pais, quero encontrar talvez um pouco da explicação do que é vivido e sentido por quem acredita e tem na crença e vontade a verdade.

21
Abr17

Escultura insólita para o Centerário de Fátima


O Informador

cristal atlantis.jpg             cristal.jpeg

O centenário das aparições de Fátima está ai e várias são as empresas a criarem símbolos para assinalarem o momento. Mas existem peças que acabam por surpreender. Reparem bem na obra que a Atlantis criou, de forma bastante cuidada, para assinalar os cem anos de Fátima. 

Uma peça de cristal a representar Nossa Senhora de Fátima mas feita com tanta dedicação que acabou por se tornar num mau produto final. 

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários Recentes

Mensagens

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador