Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

23
Jul17

Vidas mal resolvidas


O Informador

Por vezes quando contamos histórias de vida que conhecemos existem pessoas que não acreditam! Será que existem seres que com as suas capacidades de fazerem tudo e mais alguma coisa conseguem surpreender mesmo quem nem as conhece? Existem sim!

Pois é! Ao contar peripécias e várias situações de uma só pessoa, que tem um novelo bem longo de situações humilhantes onde a própria se enrola e acaba por levar os mais próximos atrás, ninguém acredita. São auto humilhações a mais para um só ser. Amantes, traições, vídeos, imagens, pedidos, enganos, compras, ofertas, objetos, conversas, dinheiro, noção... Tanta coisa que por aqui poderia descrever relacionado com todos estes temas e com uma só pessoa e acredito que quem lesse não iria acreditar, achando que estaria a inventar tudinho. Cada conto é um conto e todos juntos dariam um grande livro, daquelas longas obras onde novos pormenores vão sendo acrescentados ao ponto de deixar o leitor bem surpreendido por não ser possível cair ainda mais numa humilhação própria perante os outros. 

Será que os errantes desta vida não conseguem perceber com o tempo e com as várias pedras que os próprios colocam no caminho que têm de mudar o seu rumo ou parar de criar situações onde só se prejudicam? Acredito que quem faz uma, duas e três e é perdoado que mais cedo ou mais tarde volta a fazer a quarta, a quinta e por ai fora porque não tem emenda, mas não será humilhação fazer tudo de forma tão descarada socialmente e ainda se fingir um santo sem pecados?!

23
Fev17

Figurinhas das redes sociais


O Informador

Existem momentos em que todos conseguimos passar largos minutos a cuscar pelas páginas de perfil alheias nas redes sociais. Não escondo que em várias passagens o faço e não é que descubro com cada figurinha de pessoas que já me estiveram próximas de alguma forma?

Será que as pessoas não conseguem disfarçar um pouco o seu parolismo no que apresentam publicamente e que fica na memória de quem esbarra com imagens e comentários menos próprios? Figuras inusitadas com roupas menores em corpos maiores, celebrações de bradar aos céus onde todos os parolos das redondezas são chamados a aplaudir. Imagens de saídas em locais que mais parecem casas de alterne. Selfies onde mostram mais do que deviam de si e de quem vive consigo, até dos filhos menores. Tudo serve para colocarem pelas redes sociais e uma pessoa, com um pingo de pensamento, logo raciocina... Estas pessoas não percebem a figura ridícula que vão fazendo ao publicarem tudo e mais alguma coisa sem qualquer critério?

07
Jan16

Empregados escolhidos a dedo


O Informador

Geralmente a minha ida ao supermercado acontece ao final de tarde de Domingo! Nada de mal pois então! O que tenho detectado aqui pelo supermercado da vila nesse horário é que os empregados da caixa são sempre os mesmos e parecem ter sido tão bem escolhidos que cada um consegue ter uma panca!

Existe o falador que demora o dobro do tempo a despachar os clientes porque quer é saber a vida de todos e mais alguns! O atrapalhado que se engana em todas as facturas, tendo depois de chamar a chefe para rectificar o erro, atrapalhando-se com o dinheiro e com as palavras! O sussurrado que mal consegue levantar a voz para dizer boa tarde, parecendo que fala para si, sendo necessário que repita o que diz porque engole as palavras, talvez com alguma fome àquela hora, não sei! Quanto às raparigas só tenho visto uma por aquele horário e geralmente é a que tem a caixa mais frequentada! Algum motivo em especial ou será que a moça é a mais normal naquela faixa horária?

05
Jan16

Malvadas férias


O Informador

A marcação de férias em certas empresas é um tema bem fácil de ser ultrapassado... Atenção que referi, «em certas empresas», onde a minha não se encaixa! Este ano, claro que não foi excepção e confesso que não aguentei a pressão!

Ao fim de um dia em que várias vezes fomos chamados para marcar férias, alterar dias, voltar a mexer e baralhar de novo entre uns e outros, com períodos que todos querem, outros que são excluídos e também alguns que não devem ter qualquer marcação, eis que as coisas não foram nada fáceis. 

Com tanta conversa e trocas de ideias e dias, eis que não aguentei a pressão, talvez por não estar totalmente bem, e comecei a optar por ficar calado por já ter mexido demais nos dias que escolhi, achando que não tinha de alterar nada. Só que as conversas foram fluindo e começaram a fazer-me confusão por o tema das férias ser sempre algo bem complicado para ser ultrapassado à primeira. E a coisa deu-se!

Quando dei por mim já estava de lágrima no olho, com a cabeça a borbulhar e mil e uma coisas a passarem-me pela mente! Sai, optei por ficar uns minutos sozinho com as minhas lágrimas de desabafo e pensamentos e lá voltei, só que não foi fácil. Uns minutos depois lá estava eu de novo e ai foi até ao final do dia com soluços sentidos a aparecerem de mãos dadas com um rosto encharcado.

Uma pessoa não está bem e depois com temas que começam a mexer com os nervos as coisas acabam por não funcionar totalmente e começam a revelar-se perante os outros, mesmo quando tentamos controlar tudo ao máximo para manter a pose. 

06
Dez15

Distracção propositada!


O Informador

Serão os seres distraídos capazes de cometer o mesmo erro três vezes seguidas após dois avisos sucessivos e com várias pessoas a alertarem para o mesmo facto?

Sim, é verdade que o mesmo erro foi cometido e com pouco espaço de tempo entre as acções! Deixa um bolo à mercê dos insectos voadores uma vez, ouve de quem também ia comer, logo passada uma hora consegue voltar a fazer a mesma coisa, volta a ouvir e como não existem duas sem três, eis que o erro volta a ser cometido!

04
Dez15

Invejas de Natal


O Informador

O sexo feminino não tem emenda! Do início ao final do ano os comportamentos, atitudes e mexericos continuam porque a inveja para com a vida alheia existe!

As meninas do trabalho andam neste momento a pensarem no jantar de Natal, na roupa e penteados que terão de levar naquele dia! Umas porque são do mais pratico possível e como o jantar de Natal da empresa não é uma cerimónia uma peça com que saem normalmente chega. Outras porque ao longo do ano vivem de casa para o trabalho e têm assim o momento para se produzirem como se tivessem um grande «evento» anual. Existem as que não ligam ao que têm de levar, pegando numas calças de ganga e numa camisola, esticando o cabelo e já está, enquanto as outras compram roupa nova, maquilham-se e arranjam o cabelo de propósito. 

Mulheres desta vida, um jantar de Natal da empresa é um jantar de colegas com quem lidam diariamente e vos conhecem, ok? Não se armem nas dondocas que não são e nas pindéricas que tentam ser porque isso não cola! São como são e não é por uma refeição mais requintada que os olhares dos outros vão mudar a favor de alguém!

19
Nov15

Situações


O Informador

Existem momentos em que uma simples questão consegue gerar uma daquelas conversas que nos deixam pequenos, pequeninos. Foi isso que aconteceu esta semana em plena hora de almoço onde percebi que existem pessoas que por detrás de uma boa disposição disfarçada e um modo de estar na vida irreverente existe na verdade um passado que é necessário esquecer para poderem ser enfrentadas novas etapas. 

Cada qual tem sempre os seus problemas, achando que são piores que os do outros, acreditando que a sua vida ao pé da do vizinho é um caos. Na verdade quando percebemos o que calhou nas mãos de alguns peões desta sociedade percebemos que afinal não somos assim tão infelizes. Como sobreviver após um trama e a uma vida paralisada com a mesma atitude de antigamente, dando passo a passo em falso e não desistindo, embora se sinta que antecipar o que poderá ser o final é a melhor solução? Perceber que a vida está virada do avesso, o tempo persegue, as mudanças positivas não surgem, o arrastar de situações complicadas mantém-se e a vida parece cair por todos os lados. 

Já tinha tido a percepção do que se tinha passado mas em conversa a dois percebi realmente a verdade, olhos nos olhos. Ao longo de vários anos sofre-se, perde-se perdão, não se sabe que caminho seguir até que uma linha começa a puxar para o lado negativo da vida. Luta-se e enfrenta-se a tentação, consegue-se em alguns casos, noutros não tanto, e hoje uma vida vai continuando a dar a volta à sua situação continuando a lutar consigo própria sobre tudo o que aconteceu no passado, não conseguindo enfrentar ainda vários pontos que a fizeram feliz por outros tempos.

14
Nov15

Será possível continuar?


O Informador

Um comerciante chega ao final da semana e afirma para quem o quiser ouvir que na sua caixa ao longo dos seis dias em que o estabelecimento esteve aberto entraram menos de setenta euros. O que esperar no futuro com aquele negócio?

Em pleno Novembro com o Natal a começar a bater à porta onde existe um negócio que nem cem euros consegue fazer ao final de uma semana? Com uma renda do espaço no valor de trezentos e poucos euros, gastos necessários para com luz e água e ainda um ordenado para tirar, o que fica? Nada de nada, ou melhor, prejuízo!

Certo que mentalmente o comerciante parece consciente do que o futuro lhe está a reservar, mas custa perceber que no início do ano se fez a aposta e que tudo parecia começar a correr bem, quando os estabelecimentos do lado se mudam para outros locais e o jogo do bom negócio muda completamente de figura. Com a época alta das compras à porta sem dar qualquer sinal de mexida, como espera aquele lojista enfrentar o início do próximo ano onde as vendas sempre quebram?

30
Out15

Onde estão os comprimidos?


O Informador

Final de tarde de Sexta-feira poderia querer dizer que estava de fim-de-semana e em paz com o mundo por essa razão. No entanto as coisas não acontecem dessa forma. Sendo assim além de ter ainda o Sábado pela frente, estou com uma dor de cabeça daquelas graças à pessoa chata de que já vos falei. Sim, o regresso aconteceu e conseguiu estar quase todo o meu horário com a mesma conversa enfadonha!

Uma pessoa não é de ferro e não tem paciência ao longo de todo o dia para dar e vender! Neste momento estou em modo saiam da frente, sem vontade para nada, com a dor de cabeça e a saber que precisava de sair de casa, sem ter vontade na verdade, para conseguir desanuviar!

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________