Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

16
Mai17

Mais Respeito Que Sou Tua Mãe


O Informador

mais respeito que sou tua mãe.png

Uns anos após a primeira temporada de sucesso de Mais Respeito que Sou Tua Mãe, Joaquim Monchique voltou a juntar o elenco onde aliou novos rostos para recuperar este espetáculo na altura em que completa 30 anos de carreira. Do Casino Estoril, onde mais de trinta e cinco mil espetadores assistiram, para o Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa, Mais Respeito que Sou Tua Mãe voltou para reconquistar o público que continua a esgotar a sala sessão após sessão.

Numa renovada e reformulada versão, esta comédia familiar convida o espetador a divertir-se ao longo de duas horas com as peripécias de uma pobre família da Baixa da Banheira onde cada elemento tem as suas particularidades tão bem definidas que é impossível não gostar. Do avô que planta droga no quintal para consumir e vender aos netos adolescentes com ideias surreais sem esquecer o menino bonito da família e o pai benfiquista e conservador, encontramos-nos perante uma família onde a mãe Esmeralda é o centro da ação, onde tudo lhe cai em cima, dos problemas às notícias em primeira mão, sendo ao mesmo tempo a confidente e a fonte para resolver tudo o que acontece no seio familiar. 

Joaquim Monchique desempenha o papel de Esmeralda Bartolomeu e é assim o centro de toda esta divertida comédia que levou vários ajustes da versão de 2010 para esta renovada apresentação. Leve, descomplexada e critica, Mais Respeito Que Sou Tua Mãe é daqueles trabalhos que por muito que se veja, e eu vi a primeira temporada, não se deixa de querer voltar porque sempre dá para soltar umas boas gargalhadas graças a um texto bem preparado e a um elenco bem composto que consegue transformar uma conversa com piadas num momento bastante irreverente e que transmite ao público emoção. 

Antes da estreia assisti a uma entrevista de Monchique onde percebi que o ator e encenador viu o original na Argentina e não descansou enquanto não o conseguiu comprar no momento para o trazer até Portugal, tendo sido convidado a sair do teatro por estar a invadir áreas privadas. Mas o que é certo é que a adaptação foi conseguida naquele próprio dia e vários anos após a estreia nacional estamos de novo com a possibilidade de ver ou rever esta comédia que pode receber um público mais cabisbaixo mas tem o dom de colocar os ânimos para cima para que todos deixem a sala de espetáculos de sorriso no rosto. 

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Nem mais! O problema é que no dia-a-dia essas pess...

  • Cláudia C Silva

    Sim, eu gosto de comentar quando o conteúdo me int...

  • O Informador

    Sou mais como tu, visitando as Leituras e quando p...

  • marta-omeucanto

    Não gosto de comentar por obrigação, nem tão pouco...

  • O Informador

    Esses do “aqui está o meu blog” então é para esque...

Mensagens

Posts mais comentados

Pesquisar

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador