Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Mais Respeito Que Sou Tua Mãe

mais respeito que sou tua mãe.png

Uns anos após a primeira temporada de sucesso de Mais Respeito que Sou Tua Mãe, Joaquim Monchique voltou a juntar o elenco onde aliou novos rostos para recuperar este espetáculo na altura em que completa 30 anos de carreira. Do Casino Estoril, onde mais de trinta e cinco mil espetadores assistiram, para o Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa, Mais Respeito que Sou Tua Mãe voltou para reconquistar o público que continua a esgotar a sala sessão após sessão.

Numa renovada e reformulada versão, esta comédia familiar convida o espetador a divertir-se ao longo de duas horas com as peripécias de uma pobre família da Baixa da Banheira onde cada elemento tem as suas particularidades tão bem definidas que é impossível não gostar. Do avô que planta droga no quintal para consumir e vender aos netos adolescentes com ideias surreais sem esquecer o menino bonito da família e o pai benfiquista e conservador, encontramos-nos perante uma família onde a mãe Esmeralda é o centro da ação, onde tudo lhe cai em cima, dos problemas às notícias em primeira mão, sendo ao mesmo tempo a confidente e a fonte para resolver tudo o que acontece no seio familiar. 

Joaquim Monchique desempenha o papel de Esmeralda Bartolomeu e é assim o centro de toda esta divertida comédia que levou vários ajustes da versão de 2010 para esta renovada apresentação. Leve, descomplexada e critica, Mais Respeito Que Sou Tua Mãe é daqueles trabalhos que por muito que se veja, e eu vi a primeira temporada, não se deixa de querer voltar porque sempre dá para soltar umas boas gargalhadas graças a um texto bem preparado e a um elenco bem composto que consegue transformar uma conversa com piadas num momento bastante irreverente e que transmite ao público emoção. 

Antes da estreia assisti a uma entrevista de Monchique onde percebi que o ator e encenador viu o original na Argentina e não descansou enquanto não o conseguiu comprar no momento para o trazer até Portugal, tendo sido convidado a sair do teatro por estar a invadir áreas privadas. Mas o que é certo é que a adaptação foi conseguida naquele próprio dia e vários anos após a estreia nacional estamos de novo com a possibilidade de ver ou rever esta comédia que pode receber um público mais cabisbaixo mas tem o dom de colocar os ânimos para cima para que todos deixem a sala de espetáculos de sorriso no rosto. 

Vencedores de GOD [01-07-2016]

Joaquim Monchique está em GOD e O Informador teve em passatempo dois convites duplos para oferecer aos leitores do blog que tentaram a sua sorte para assistirem ao prolongamento desta divinal comédia pelo Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa. Com sessão atrás de sessão esgotada e também com a crítica do seu lado, este espetáculo que já correu mundo e que chegou até nós através da Força de Produção despede-se ao longo do mês de Julho do público lisboeta, estando no entanto já agendada a temporada pelo Porto de 04 a 27 de Novembro. 

Como todos os desafios para vos presentear têm um início e um fim, o momento de revelar o nome dos vencedores destes convites chegou, dando assim por finalizado este passatempo que poderá ter nova edição daqui a uns tempos. Sendo assim, as duas vencedoras que irão ter à sua espera convites duplos para GOD pela próxima Sexta-feira, 01 de Julho, são a Anabela Carvalho e a Maria Baião, que irão ser contactadas via email com a informação sobre o levantamento dos bilhetes.

Bilhetes para God [01-07-2016]

god julho.jpg

God é um dos espectáculos de sucesso de 2016, tendo enchido as salas por onde passou desde a sua estreia em Portugal com Joaquim Monchique no papel principal. Com mais de 25.000 espectadores, esta hilariante comédia vê o aplauso do público e a critica a exigirem novas sessões. A Força de Produção assim o fez e lançou datas extra por Lisboa de 1 a 24 de Julho, estando também já marcada a temporada no Porto que vai de 4 a 27 de Novembro. 

O Informador que viu e gostou de ver Joaquim Monchique em God, tem agora dois convites duplos para a sessão do próximo dia 1 de Julho, Sexta-feira, pelas 21h30 no Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa. 

Chegou a hora de GOD se despedir do público em Lisboa.

Desta vez, é de vez, portanto fixe bem as datas em que ainda pode estar na presença do Senhor e divertir-se a valer: de 1 a 24 de Julho.

O público da Broadway não teve qualquer dúvida em escolher GOD como o espectáculo de que mais gostou este ano. E, os mais de 23 mil portugueses que já viram, muito provavelmente, também não.

GOD, uma comédia divinal.
Não vai querer perder, pois não?

Texto David Javerbaum | Encenação António Pires | Tradução Ana Sampaio | Adaptação João Quadros, Joaquim Monchique, António Pires e Rui Filipe Lopes | Cenário e Ass. Encenação Rui Filipe Lopes | Desenho de Luz Luís Duarte | Sonoplastia Hugo Franco

Com: Joaquim Monchique, Diogo Mesquita e Rui Andrade

Horário:

Sextas e Sábados –  21h30

Domingos- 17h00

Preços: € 12 a € 16

M/12

Este passatempo decorrerá até às 19h00 de 29 de Junho, Quarta-feira, e para se habilitarem a um dos bilhetes duplos que tenho para sortear só têm de:

  • Fazer Gosto na página de Facebook d' O Informador.
  • Partilhar este post, mencionando dois amigos nessa mesma partilha.
  • Preencher o formulário que se segue onde só é permitida uma participação por endereço de e-mail.

God

god.jpg

Deus chega a território nacional através do corpo de Joaquim Monchique e a partir do momento em que a presença da estrela popstar universal acontece no palco do Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa que nada mais será como antes, sessão após sessão. Poderia estar aqui a comentar como se estivesse inserido no universo de God, mas prefiro descer à terra e ser um humano que simplesmente comenta um bom espetáculo teatral. 

Joaquim Monchique dispensa qualquer tipo de apresentações, sendo o verdadeiro ator do início ao fim de qualquer espetáculo que protagoniza. Entra em cena como uma verdadeira estrela e assim se consegue despedir depois de um show onde os mandamentos bíblicos são o prato forte por estarem a ser substituídos de modo a ficarem atualizados de acordo com a sociedade dos tempos modernos. Comédia pura e boa é a alma de God que da criação dos primeiros seres vivos ao aparecimento de Adão e Eva e até aos dias que correm, onde todos parecem dar cabo do mundo tão bem criado por Deus, tudo encaixa nesta divertida produção que bate forte na religião e nos erros que muitas vezes são cometidos ao longo de séculos pelos humanos que não olham para o lado, geração após geração. O apelo a Deus nas mais diversas situações do dia-a-dia. As aparições, crenças e peregrinações até Fátima. As almas que já partiram e que marcaram o seu lugar na terra. Tudo encaixa em God, mas o que destaco nesta produção, além das boas prestações de Monchique, Rui Andrade e Diogo Mesquita, é o bom desenrolar narrativo que esta peça tem. Não existem momentos mortos neste palco voltado para o universo criado tão bem por um Deus cansado por tudo o que tem sido feito contra a sua vontade. 

Vencedores de Lar Doce Lar

O espetáculo Lar Doce Lar está de regresso ao Porto para encher o Teatro Sá da Bandeira de boa disposição! Como acredito que rir é um dos melhores remédios para tudo nesta vida e como gosto de partilhar com todos bons momentos, lancei com a Força de Produção o passatempo que dava a oportunidade de vencerem bilhetes duplos para a sessão de estreia da mini temporada deste espetáculo a que adorei assistir! Com Maria Rueff e Joaquim Monchique em palco, em Lar Doce Lar o público é convidado a entrar numa residência para seniores onde tudo e mais alguma coisa acontece às variadas personagens que vão entrando e saindo de cena!

 

Bilhetes para Lar Doce Lar (01-10-2015)

Lar doce lar sá da bandeira.jpg

Após encherem o Casino Lisboa por mais que uma temporada e de já terem andado pelo Porto, chegou a hora de Maria Rueff e Joaquim Monchique voltarem com Lar Doce Lar ao Teatro Sá da Bandeira. 

De 1 a 11 de Outubro o espetáculo que tem conquistado o público e a critica pelos últimos anos está de regresso ao Norte após a conquista de mais de 125 mil espetadores por todo o país. Uma comédia bem divertida onde os dois atores desempenham várias personagens que se inserem num ambiente de um residência para séniores onde tudo e mais alguma coisa acontece. 

Como assisti e aconselho, tenho agora três convites duplos para oferecer aos leitores do blog que têm assim a oportunidade de ver este espetáculo no dia do regresso, 1 de Outubro pelas 21h30, ao Porto onde já foi bem recebido por outras alturas. 

Maria Rueff e Joaquim Monchique deixaram mais de 100 mil espectadores, por todo o país, incrédulos e desconcertados por tanto se rirem, num espectáculo que transformou a comédia num bem de primeira necessidade: "Lar Doce Lar".

Com um desempenho notável, os dois actores são os fantásticos protagonistas deste grande êxito que nos convida a mergulhar no mundo de uma residência para séniores de uma forma hilariante e, ao mesmo tempo, ternurenta.

Chegou a hora de permitir aos muitos que não conseguiram ver este excelente espectáculo, ou mesmo àqueles que não se cansam de o ver e rever!

Maria Rueff e Joaquim Monchique, com grande generosidade e muito talento, ensinam-nos a sonhar e a olhar para a vida com uma alegria que só um finíssimo sentido de humor pode causar.

Texto A partir de " O Que Importa É Que Sejam Felizes!" de Luísa Costa Gomes

Com Maria Rueff e Joaquim Monchique

Encenação António Pires

Cenário F. Ribeiro

Figurinos Dino Alves

Desenho de Luz Paulo Sabino

 

TEATRO SÁ DA BANDEIRA

1 A 11 de OUTUBRO

5ª a sábado: 21h30 I Domingos: 17h

Preços: a partir de 8€ 

Este passatempo vai decorrer até às 19h00 de 30 de Setembro e para se habilitarem a um dos bilhetes duplos que tenho para sortear só têm de:

  • Fazer Gosto nas páginas de Facebook d' O Informador e da Força de Produção.
  • Partilhar este post. 
  • Preencher o formulário que se segue onde só é permitida uma participação por endereço de e-mail.

Vencedores de Lar Doce Lar

Sexta-feira assinala o regresso do espetáculo Lar Doce Lar aos palcos nacionais, mais concretamente ao Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa. Como vi anteriormente a peça e adorei ver as excelentes interpretações de Maria Rueff e Joaquim Monchique, consegui fazer com que quatro de vocês fossem agora ter a experiência que outrora foi minha. Como tal e com o apoio da Força de Produção tive em passatempo quatro bilhetes duplos para Lar Doce Lar, sessão de Sexta-feira, 26. Chegou então a altura de revelar o nome dos sorteados que irão assistir a esta comédia que consegue contagiar toda a plateia do início ao fim de cada sessão. 

  • Edite Rocha
  • Maria do Rosario Carvalho
  • Ana Colmonero
  • Paulo Reis

Bilhetes para Lar Doce Lar

Uns meses depois do grande sucesso que foi a primeira temporada de Lar Doce Lar, Maria Rueff e Joaquim Monchique estão de volta ao Auditório dos Oceanos, no Casino Lisboa, com este fantástico espetáculo que retoma as sessões a 26 de Junho. Como vi e aconselho, tenho bilhetes duplos para oferecer para a (re)estreia desta peça que consegue arrancar muitas garganhadas do início ao fim. 

lardocelar.jpg

Maria Rueff e Joaquim Monchique deixaram mais de 100 mil espectadores, por todo o país, incrédulos e desconcertados por tanto se rirem, num espectáculo que transformou a comédia num bem de primeira necessidade: "Lar Doce Lar".
Com um desempenho notável, os dois actores são os fantásticos protagonistas deste grande êxito que nos convida a mergulhar no mundo de uma residência para séniores de uma forma hilariante e, ao mesmo tempo, ternurenta.
Chegou a hora de permitir aos muitos que não conseguiram ver este excelente espectáculo, ou mesmo àqueles que não se cansam de o ver e rever!
Maria Rueff e Joaquim Monchique, com grande generosidade e muito talento, ensinam-nos a sonhar e a olhar para a vida com uma alegria que só um finíssimo sentido de humor pode causar.

Texto: a partir de " O Que Importa É Que Sejam Felizes!", de Luísa Costa Gomes
Com: Maria Rueff e Joaquim Monchique
Encenação: António Pires
Cenário: F. Ribeiro
Figurinos: Dino Alves
Desenho de luz: Paulo Sabino

Este passatempo vai decorrer até às 19h00 de 24 de Junho e para se habilitarem a um dos bilhetes duplos que tenho para sortear só têm de:

  • Fazer Gosto nas páginas de Facebook d' O Informador e da Força de Produção.
  • Partilhar este post. 
  • Preencher o formulário que se segue onde só é permitida uma participação por endereço de e-mail.

Portugal à Gargalhada

Portugal à GargalhadaPortugal à Gargalhada é a nova revista de Filipe La Féria e pela sua primeira apresentação ao público tudo indica que o novo sucesso do Teatro Politeama está encontrado! Com um elenco com provas dadas pelo palco lisboeta pelos espetáculos anteriores e com texto de Helena Rocha e de La Féria, Portugal à Gargalhada está pronto para continuar o legado deixado pela Grande Revista à Portuguesa, o anterior espetáculo do encenador que esteve em cena.

Com Marina Mota, Joaquim Monchique, José Raposo e Maria João Abreu a encabeçarem um elenco composto também por Bruna Andrade, Filipe Albuquerque, David Mesquita, Paula Sá, Ricardo Soler e Paulo Miguel, em palco atores, cantores e bailarinos cruzam-se em variadas cenas de humor e sátira social. De Lisboa à Nazaré, os estilistas e os turistas, Portugal à Gargalhada tem o toque certo que o público fiel da sala gosta. Lembrando os nomes que deixaram marca em Portugal e que agora descansam pelo Panteão, passando pelos problemas da Troika e das Finanças nacionais e até falando do adeus que João Tordo fez ao país, La Féria optou por continuar com o formato de revista pelo espaço numa altura em que é necessário não arriscar para manter a boa adesão dos espetadores.

No total posso dizer que gostei, não tanto como tinha apreciado a Grande Revista à Portuguesa, no entanto e como assisti à primeira apresentação ao público, vejo que existem arestas para serem limadas pelos próximos tempos e que um ou outro ato têm, pelo menos deviam, de ser alterados por não conseguirem agarrar a atenção do público. Adorei a presença em palco de todo o elenco, principalmente a de Marina Mota que mostra que é a estrela da companhia, sempre com os pontos máximos do espetáculo entregues às suas interpretações que podiam não ter grande destaque, mas com o talento que lhes é imprimido, conseguem destacar-se sobre tudo o resto. Mas lá está, até aí existem arestas a serem limadas porque em determinados momentos existem muitas falas mortas e mal interpretadas pelo espetadores que não conseguem ficar agradados com o que é visto.

Portugal à Gargalhada terá um longo caminho pela frente pelo Teatro Politeama, sendo a típica revista à portuguesa, próxima dos tempos áureos dos espetáculos de Filipe La Féria onde os brilhantes, as plumas e os efeitos de palco faziam as delícias do público.

Em média gostei, podia estar melhor porque tenho assistido às produções do encenador e tenho que confessar que esta é das mais fracas, tendo um bom elenco, um guarda-roupa que surpreende pelas suas cores, mas falta algo pelo texto...

O que importa mesmo é que «venham à revista do Teatro Politeama» porque o espetáculo compensa e a magia da tradição nacional está à vista de todos!

O que vou ver hoje? Portugal à Gargalhada

Portugal à GargalhadaFilipe La Féria volta a abrir as portas do Teatro Politeama a partir de dia 23 com Portugal à Gargalhada, a nova loucura do produtor que sobe ao palco da sala lisboeta num espetáculo que une a grande revista à portuguesa com a sofisticação dos grandes musicais. Música, bailado, representação e humor estão de mãos dadas em Portugal à Gargalhada, o espetáculo que une várias estrelas dos palcos nacionais num só lugar. Eu não vou perder o sucessor de Grande Revista à Portuguesa e marcarei hoje presença na sua antestreia!

Da autoria de Helena Rocha e Filipe La Féria, que também encena e tratou da parte musical da sua nova aposta, este espetáculo que prenderá durante duas horas e meia o seu público às cadeiras da sala conta com Marina Mota, Joaquim Monchique, José Raposo e Maria João Abreu nos principais papéis, encabeçando um elenco já conhecido dos espetadores habituais do Politeama. Com Paula Sá, Ricardo Soler, Filipe Albuquerque, Bruna Andrade, David Mesquita e Paulo Miguel, todos jovens cantores e atores com provas dadas pelos palcos nacionais, Portugal à Gargalhada tem ainda Marco Mercier como responsável pela coreografia, o maestro Mário Rui como diretor musical, Nuno Guerreiro como assistente de encenação e Tiago Isidro como diretor vocal do espetáculo.

Hoje marcarei presença na grande sala da baixa de Lisboa e logo que possível revelarei a minha opinião sobre o espetáculo que vai colocar Portugal a gargalhar pelos próximos tempos.

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários recentes

  • O Informador

    Há que procurar e numa fase inicial perceber o que...

  • Mula

    Olha que bom! Fico muito feliz!Eu também estive tr...

  • O Informador

    Este cansaço enquanto blogger porque funciono bem ...

  • Vanessa

    É mesmo isso. Dias não são dias e há alguns em que...

  • O Informador

    Obrigado! Espero que me consiga habituar bem à nov...

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________