Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

14
Dez17

Mais do mesmo na Gala das Estrelas


O Informador

manuel luís goucha fátima lopes cristina ferreir

A TVI celebrou o Natal ao lado da Missão Continente e presentou o seu público com mais uma edição da Gala das Estrelas que acaba por ser uma tradição do canal, embora em alguns anos não tenha existido. Ano após ano este é um dos eventos que reúne a família TVI num só local onde entretenimento, ficção e informação se juntam para celebrarem o término e a continuação do sucesso de audiências do canal. Este ano a Gala das Estrelas podia ter algumas mudanças, mas simplesmente podia. 

Achei que nesta edição de 2017 que o canal poderia caminhar num outro sentido para voltar a surpreender o espetador que lhe voltou a dar a preferência ao longo do serão e durante toda a exibição da festa. Poderiam ter feito uma Gala mais mexida, diferente do que tem sido habitual ao longo dos tempos, mas não. Simplesmente optaram por seguir exatamente a mesma linha com os rostos do canal que gostam de cantar a fazerem o que gostam e os que dançam a dançarem com bailarinos profissionais. Nada mesmo de diferente do que é habitual. Deviam ter arriscado bem mais, tanto no seguimento que todo o evento teve, onde os anfitriões, os melhores, mas sempre os mesmos do costume, apareciam volta não volta entre atuações e intervenções em palco dos rostos do canal que ao lado da figura da Leopoldina apelavam ao telefone pela Missão Continente. 

Notei que faltou a magia da surpresa de outros tempos, o arraso nas atuações dos anos anteriores e o desmanchar da figura, incentivando os convidados que foram a palco a sair da sua zona de conforto. Podiam mesmo ir pelo improviso do momento que talvez conseguisse surpreender de outra forma o público em casa e mesmo o da sala do Casino Estoril que poucas reações foram tendo ao longo da emissão. A par das atuações, as intervenções de apelo ao famoso 760, mas desta vez por uma causa nobre, começaram bem mal, notando-se que os atores, principalmente, não têm noção nenhuma sobre a postura para lerem um teleponto, mexendo no microfone caso seja necessário para não ficarem todos curvados a lerem descaradamente um texto tão simples de decorar, para mais para quem supostamente está mais que habituado a decorar páginas diariamente. 

13
Nov15

José Carlos Pereira, a surpresa


O Informador

Sempre tenho achado que José Carlos Pereira não é um ator de minha apanha, cumprindo, tendo o carinho do público, principalmente do feminino, desde que se estreou como protagonista em Anjo Selvagem há uns bons anos. A vida profissional como ator tem estado sempre na mó de cima, de mãos dadas com a TVI de onde não saiu até aos dias que correm e onde estará pelo menos em 2016. Esta semana o Zeca surpreendeu no palco do Teatro da Trindade através da estreia da peça Allo Allo, inspirada no sucesso televisivo de outros tempos. A razão da surpresa?

A razão desta surpresa ter acontecido recai mesmo no facto de José Carlos Pereira ter uma das personagens mais complicadas devido aos problemas físicos e de fala e do ator ter conseguido agarrar os trejeitos necessários para desempenhar este capitão Herr Flick em muito boa forma. O galã da TVI prova em palco que afinal o ator que somente tem cumprido televisivamente consegue fazer muito mais e bem se lhe derem personagens que possam ser exprimidas, retirando-o da área onde sempre o tentam encaixar, o eterno menino rico que nutre uma paixão por uma das belezas femininas da trama.

30
Set15

Preconceitos para com a ficção nacional


O Informador

A velha história repete-se ano atrás de ano, década após década, tendo a certeza que por muito caminho que se percorra pelos próximos tempos no campo da ficção nacional o preconceito para com a mesma irá sempre existir por uma grande parte de grupos sociais que muitas vezes assistem mas recriminam e criticam quem faz e admite tal facto. 

Desde os primeiros anos em que a televisão em Portugal começou a apostar em produção própria e deixou a importação de produtos do género para trás que as vozes se começaram a levantar por tal opção não ser a melhor e por tudo parecer amador no que é feito por cá. Digamos de passagem que esses tempos primórdios já passaram e nos dias que correm os principais canais generalistas apostam nos nossos atores para elaborarem histórias bem portuguesas e onde o país é mostrado não só a nós mas cada vez mais ao mundo que compra o que é feito neste canto da Europa. 

28
Jun15

Liliana Queiroz atriz no México! Ahahah!


O Informador

Liliana Queiroz afirma-se uma atriz nacional! Eu vejo uma ex-modelo que não tem jeito para a representação, ao contrário de outras que conseguiram triunfar com algum trabalho e mérito. Agora a Liliana, aquela que esteve no Big Brother Vip e que desistiu, afirma ter sido convidada para a ficção internacional.

Se a moça por cá não dá uma para a caixa no que toca às artes representativas, será pelo México que irá revelar tal aptidão? Dúvido muito! A Liliana também ainda não revelou que estilo de personagem irá fazer, só se sabendo que o convite foi feito para integrar o elenco de uma novela, o que foi aceite. 

27
Jan15

Vencedor de A Volta ao Mundo


O Informador

Os passatempos lançados terminam e com isso o momento de revelar o nome dos vencedores surge, como é o caso do leitor que irá receber um exemplar do livro A Volta ao Mundo, da autoria de Anselmo Vasconcellos, lançado pela Chiado Editora, que sabe agora que o seu nome foi o seleccionado através do sistema automático random.org, ganhando assim este sorteio. 

Com trinta e oito participações e uma unidade literária como troféu, o número sorteado foi o 37, o que transformado pela ordem dos comentários faz com que tenha sido o Miguel Massano o vencedor de A Volta ao Mundo.

Parabéns ao vencedor que irá ser contactado para disponibilizar os seus dados com a finalidade do envio do seu prémio poder acontecer. Aos outros fica a promessa que novas oportunidades irão surgir pelos próximos tempos, ou melhor, pelas próximas horas! Fiquem atentos!

A Volta ao Mundo Vencedor

Autor: Anselmo Vasconcellos

Data de publicação: Novembro de 2014

Número de páginas: 232

ISBN: 978-989-51-2216-5

Colecção: Viagens na Ficção

Género: Ficção

Sinopse: “Conversamos sobre tudo que os impulsos nos trazem neste momento; mas é difícil ouvir a intimidade dela. A minha é só silêncios. Um dia será música, pressinto. Mostro a Lara a amendoeira, o tempo que fez tudo crescer desde que chegamos ali e…  como estamos agora? Nossa volta ao mundo é um jogo mágico onde nos movemos na matemática das surpresas, como faz Alice no País das Maravilhas.”

A Volta ao Mundo

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Mensagens

Pesquisar

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador