Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

17
Out13

Barragem de Alqueva


O Informador

Juromanha2As férias deste ano já terminaram há alguns dias, mas como optei por ir mostrando várias imagens dos locais por onde passei por aqueles dias, aqui ficam as que fui tirando pela passagem junto às margens da Barragem do Alqueva!

AlquevaUm lugar onde a natureza foi transformada pelo homem, a região do Alqueva é toda ela um esplendor, desde o toque histórico e patrimonial aos encantos naturais, tudo está transformado numa das mais belas zonas do nosso país. Paz e tranquilidade poderão ser dois dos símbolos característicos desta zona bem perto de Espanha e que tem uma boa história para ser contada, através das suas mudanças de outros tempos e das mais recentes alterações que os humanos lhe fizeram!

Aldeias submersas... Árvores nas bermas da barragem que mostram que aquele espaço já fora outrora terra firme onde a água só chegava através da chuva e um sem fim de estradas sem saída porque a sua continuação ficou submersa! Isto é a Barragem do Alqueva que voltarei a visitar!

12
Out13

Juromenha


O Informador

Juromanha4Junto à fronteira, no concelho do Alandroal, distrito de Évora, encontrei uma fortaleza em ruínas... Juromenha! Um lugar onde se pode contar a história do nosso país e que ainda hoje, e embora se sintam os factores do abandono do local por parte das entidades competentes, ainda existem marcas do passado, tentado reconstruir anos mais tarde. Um passado de lutas, vitórias e derrotas que aconteceram num Portugal muito apelidado de «para lá do sol posto». Imagens e locais únicos que custam descrever porque a recordação que fica na memória jamais conseguirá deixar passar para o papel o seu encanto!

Juromanha3

Igrejas, casas e muralhas em ruínas, fortalezas reforçadas e o desprezo pelo que ainda resiste e pode contar a nossa História são os pontos chave que se podem encontrar neste canto do nosso país, onde o rio Guadiana passa, deixando a marca da recente barragem do Alqueva pelas travessas e vales que se deixaram apanhar pela natureza remexida pelo ser humano. Este é, sem dúvida alguma, um dos locais que aconselho visitar pelo seu poder paisagístico e devido à força que os portugueses do passado mostraram ao arquitectar esta vila à beira rio plantada, num local onde se conseguiam vislumbrar as investidas do inimigo, viesse ele por território espanhol ou nacional.

Juromanha5

Andei pela Fortaleza de Juromenha como um simples viajante que descobre através do conhecimento os recantos do nosso país, mas como não sou um historiador e também não me quero colocar a inventar pormenores retirados de outro local, só para ficar bem na figura, prefiro que quem queira saber mais sobre esta área que visite o seu espaço na Wikipédia, isto porque o município não disponibiliza grande informação sobre a sua parte histórica no seu portal!

Juromanha1

09
Fev13

Monsaraz


O Informador

MonsarazVisitei Monsaraz nestes últimos dias e afirmo que foi um dos locais mais lindos que visitei por estes meses.

Com uma vista fantástica sobre a barragem do Alqueva, este local tão bem situado entre as velhas muralhas de um castelo é um verdadeiro espaço de história do nosso país. 

Antigo, bem conservado, calmo, cuidado, com vários toques culturais e religiosos e sem vestígios de construções modernas, em Monsaraz tudo parece idílico e belo. Visitei esta localidade num dia de semana e verifiquei que embora tenha vários pontos turísticos, os mesmos se encontram fechados em dias úteis, sendo os fins-de-semana o principal atrativo de Monsaraz e os dias altos dos visitantes aparecerem. Além das igrejas e do castelo não visitei mais nada, a não ser as ruas empedradas que não fazem esquecer a história que se fez passar ao longo destes anos com as várias épocas populacionais que por ali passaram.

Monsaraz é mesmo um dos mais belos locais que conheci até hoje. Além de um fantástico lugar onde se podem passar belos dias de sossego dentro da história do nosso país, ainda somos presenteados com uma fantástica paisagem sobre um extenso Alentejo que se abre à vista de quem o quer descobrir. Fantástico e recomendado, sem dúvida alguma. Um dia vou lá voltar para descansar e aproveitar o sossego vivido entre as muralhas de um castelo que se fez passar ao longo dos anos até aos dias de hoje.

Historial retirado do site da Junta de Freguesia de Monsaraz:

Devido à sua posição geográfica, a colina de Monsaraz sempre ocupou um importante lugar na história do Concelho, tendo sido ocupada por diversos povos desde a pré-história.

No séc. VIII, Monsaraz cai sob domínio do Islão através das invasões muçulmanas que ocuparam grande parte da Península Ibérica. Passou a designar-se Saris ou Sarish e a pertencer ao reino de Badajoz, um dos maiores e mais importantes focos da cultura árabe.

Em 1167, foi conquistada aos muçulmanos por Geraldo Sem Pavor numa expedição que partiu de Évora, também esta recém-conquistada. Após a derrota de D. Afonso Henriques em Badajoz, Monsaraz cai novamente em poder dos árabes. Em 1232, apoiado por cavaleiros templários, D. Sancho II reconquista-a em definitivo, sendo posteriormente doada à Ordem do Templo.

Após as guerras de 1383-1385, a Vila de Monsaraz é integrada na Casa de Bragança e passa a ser uma das mais preciosas fontes de rendimento da grande casa ducal portuguesa.

Em 1512, D. Manuel concede novo foral à Vila de Monsaraz, reformulando a vida pública e jurídica do Concelho. Após a Restauração de 1640, a Vila recebeu importantes acrescentos táticos, como o levantamento de uma nova cintura abaluartada, tornando-se numa poderosa “cidadela inexpugnável”, interligada com o sistema defensivo de Elvas, Juromenha, Olivença e Mourão.

A sua condição de vila medieval acastelada, o impetuoso crescimento das aldeias de Reguengos, a riqueza das actividades artesanais e vinícolas e a fidelidade da população de Monsaraz aos ideais miguelistas derrotados na guerra civil (1828-1834) foram os factores que contribuíram para a transferência da sede de Concelho de Monsaraz para Vila Nova de Reguengos em 1838, onde se estabeleceu definitivamente em 1851.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________