Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

14
Ago17

Aprender a Ler


O Informador

As pessoas que sabem que leio com bastante frequência volta e meia lá acabam por me perguntar como consigo passar tanto tempo a ler porque tentam e não chegam ao ponto de quererem continuar no dia seguinte a fazer o mesmo. Geralmente tento apelar à leitura com alguns códigos de comportamento literário que sigo desde sempre. 

Primeiro é necessário a pessoa pegar num livro e não estar a pensar que é uma perda de tempo a sua leitura. Isso é o passo mais importante porque sem vontade não vale a pena fazer nada. Segundo, para ler é para estar concentrado, não digo que não me disperse com o telemóvel, conversa ou televisão, mas tento dar maior ênfase ao livro para conseguir entrar na sua história, não estando a ler somente porque sim ou como sendo uma obrigação para afirmar que li mais um livro. Uma outra sugestão é tentar, antes de levar o livro consigo, perceber qual o estilo que na altura pode chegar com maior facilidade à mente para conquistar e querer continuar a leitura para chegar ao seu final o quanto antes. 

Não existe o ler somente porque sim, tem de se criar vontade e hábito. Quem não tem o hábito literário consigo poderá ser um pouco complicado de início criar a rotina de passar uns ligeiros minutos diários, não são necessários muitos numa primeira fase, mas tentar sempre ler alguma coisa. Pegar num livro e pensar que no espaço de um mês terá de ser lido. Se o conseguir ótimo e se o fizeram com satisfação melhor ainda. No mês seguinte e começando a ganhar hábito com horários, antes de deitar, por exemplo, ou na pausa pelo trabalho, é começar que o tempo que é dedicado à leitura fale por si e não se restrinja ao tempo predefinido de início para os livros.

05
Mar15

Teremos de ter aulas?


O Informador

Tomé Março 2015.jpg

Tem menos de um ano, um garoto ainda, e se entende praticamente tudo, sendo até obdiente quando quer algo em troca, no que toca ao resto por vezes esquece-se da hierarquia que existe por aqui!

Então não é que num passeio matinal, quando ia solto ao meu lado ou um pouco à larga sem fugir muito do radar, e quando começa a aparecer um carro ao longe o começo a chamar, ele, o Tomé, me começa a correr no sentido inverso ao meu? Chamei ainda mais e comecei a apressar o passo para corrida o que acabou por ainda piorar a situação com o menino a achar que estávamos na brincadeira e tinha de fugir para se tornar ainda mais divertido. No final quando o alcancei e agarrei, voltou para a trela e pelo caminho até casa ficamos em modo «zanga» sem brincadeiras e à-vontades. 

Sobre mim

foto do autor

Ganha

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Mensagens

Posts mais comentados

Pesquisar

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador