Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

04
Mar14

Leituras de Fevereiro


O Informador

Sair da rotina no trabalho, andar por outras zonas do país que não a minha, ter um maior lote de canais televisivos e poucas horas diárias disponíveis para ler tem os seus pontos negativos e mais uma vez o meu gosto pelos livros foi deixado um pouco ao abandono pela vida que tenho tido ao longo das últimas semanas. Em Fevereiro só um livro consegui que me fizesse companhia e isso não me deixa nada contente!

O JogoO Jogo

Com autoria de Anders de la Motte, O Jogo poderia ser um excelente primeiro volume de uma trilogia de sucesso, no entanto a forma como a sua principal história se desenrola torna a narrativa num percurso sem nexo onde as novas tecnologias se cruzam com um caso de conspiração.

Através de vários momentos iniciais de suspense, O Jogo arranca de forma forte e agarra o leitor, mas devido ao modo como a base da história perde força, a meio do livro já nada faz sentido e o que conseguiu prender pelas primeiras páginas rapidamente perde o seu sentido. A curiosidade sobre o que acontecerá depois e onde tudo se irá passar desaparece quando a forma de comunicar cai por terra e o fio condutor passa a contar mais uma história de perseguição onde os bons se misturam com os maus.

O Jogo tinha tudo para poder dizer que é um livro promissor, mas deixou muito a desejar! Tendo uma escrita de leitura fácil e uma história corrida, o que correu mal foi mesmo o caminho percorrido pelas personagens que fugiram do processo inicial que conseguiu cativar, ao contrário do que aconteceu depois!

18
Fev14

O Jogo


O Informador

O JogoUm thriller dos tempos modernos com as novas tecnologias a terem destaque ao longo da narrativa, O Jogo é o primeiro volume de uma trilogia que poderá atrair leitores, mas que não me convenceu.

Aliando a conspiração com a política e o romance, nesta obra de Anders de la Motte, a história começa por ser viciante quando Henrik Pettersson descobre um misterioso telemóvel no comboio e começa a receber sms em forma de jogo. Com o suspense entranhado ao longo da acção, as questões e missões vão sendo dadas e o leitor começa a ficar curioso com o que acontecerá logo de seguida. Só que este facto não acontece por muito tempo e aí o que parecia estar no caminho para ser um bom livro desvanece-se.

Sendo descrito consoante a perspectiva de HP e de Rebecca Normén, uma segurança com altas patentes, O Jogo cruza personagens e locais na tentativa de uma força do mal, que está a ser filmado, sobre o bem. As ordens transformadas em missões transformam-se em caprichos negados e o que parece estar a correr bem dá a volta e o final acontece longe do que se vai pensando ao longo de toda a história.

Aliando a psicologia com a ambição, este livro poderia ser o início de uma boa realidade literária se não tivesse visto a sua história perder o fio condutor com que se iniciou em busca sabe-se lá de quê, ficando assim longe das altas missões e das mensagens escritas e de voz que o líder do jogo vai enviando aos seus bons jogadores que tudo fazem para triunfar no difícil mundo onde a realidade pode ser alterada por quem consegue liderar e mudar um acontecimento.

O Jogo tinha tudo para poder dizer que é um livro promissor, mas deixou muito a desejar! Tendo uma escrita de leitura fácil e uma história corrida, o que correu mal foi mesmo o caminho percorrido pelas personagens que fugiram do processo inicial que conseguiu cativar, ao contrário do que aconteceu depois!

Sinopse: Henrik Pettersson, «HP», encontra acidentalmente um telemóvel que o convida a entrar num jogo de realidade alternativa. Passado o teste de admissão, começa a receber uma grande variedade de missões emocionantes, todas elas filmadas e avaliadas secretamente. HP deixa-se imediatamente conquistar por este jogo, mas não tarda a perceber que ele não é tão inocente como a princípio parecia. A inspetora da polícia Rebecca Normén é o oposto de HP. É uma mulher com perfeito controlo da sua vida e uma carreira ambiciosa em ascensão. Tudo seria perfeito não fosse o bilhete escrito à mão que ela encontra no seu cacifo. Seja quem for que o escreveu, sabe demais acerca do seu passado. Os mundos de HP e Rebecca aproximam-se inevitavelmente um do outro. Mas se a realidade é apenas um jogo, então o que é real?

24
Jan14

A ler... O Jogo


O Informador

O JogoAnders De La Motte é o autor de O Jogo, o livro que a editora Bertrand lançou neste mês de Janeiro em Portugal. Eu, que tenho quase uma dezena de livros na estante à espera para serem lidos, não resisti e numa visita à Fnac lá fiz esta compra e comecei desde logo a entrar em modo thriller.

«Tem a certeza de que quer jogar?» é a principal questão que se coloca neste livro que foi o eleito pela Academia Sueca de Escritores como sendo o melhor de 2010. A capa de O Jogo dá nas vistas e a sua sinopse, que já tinha sido lida algures por um site literário, conquistou-me. Agora é tempo de ver o seu interior para mais tarde o poder comentar!

A partir de agora vou ser um jogador e as informações só no final poderão ser reveladas, isto para não correr o risco de ver a minha prestação ser desqualificada da corrida por fugas de informação!

Sinopse: Henrik Pettersson, «HP», encontra acidentalmente um telemóvel que o convida a entrar num jogo de realidade alternativa. Passado o teste de admissão, começa a receber uma grande variedade de missões emocionantes, todas elas filmadas e avaliadas secretamente. HP deixa-se imediatamente conquistar por este jogo, mas não tarda a perceber que ele não é tão inocente como a princípio parecia. A inspetora da polícia Rebecca Normén é o oposto de HP. É uma mulher com perfeito controlo da sua vida e uma carreira ambiciosa em ascensão. Tudo seria perfeito não fosse o bilhete escrito à mão que ela encontra no seu cacifo. Seja quem for que o escreveu, sabe demais acerca do seu passado. Os mundos de HP e Rebecca aproximam-se inevitavelmente um do outro. Mas se a realidade é apenas um jogo, então o que é real?

24
Jan14

A ler... O Jogo


O Informador

O JogoAnders De La Motte é o autor de O Jogo, o livro que a editora Bertrand lançou neste mês de Janeiro em Portugal. Eu, que tenho quase uma dezena de livros na estante à espera para serem lidos, não resisti e numa visita à Fnac lá fiz esta compra e comecei desde logo a entrar em modo thriller.

«Tem a certeza de que quer jogar?» é a principal questão que se coloca neste livro que foi o eleito pela Academia Sueca de Escritores como sendo o melhor de 2010. A capa de O Jogo dá nas vistas e a sua sinopse, que já tinha sido lida algures por um site literário, conquistou-me. Agora é tempo de ver o seu interior para mais tarde o poder comentar!

A partir de agora vou ser um jogador e as informações só no final poderão ser reveladas, isto para não correr o risco de ver a minha prestação ser desqualificada da corrida por fugas de informação!

Sinopse: Henrik Pettersson, «HP», encontra acidentalmente um telemóvel que o convida a entrar num jogo de realidade alternativa. Passado o teste de admissão, começa a receber uma grande variedade de missões emocionantes, todas elas filmadas e avaliadas secretamente. HP deixa-se imediatamente conquistar por este jogo, mas não tarda a perceber que ele não é tão inocente como a princípio parecia. A inspetora da polícia Rebecca Normén é o oposto de HP. É uma mulher com perfeito controlo da sua vida e uma carreira ambiciosa em ascensão. Tudo seria perfeito não fosse o bilhete escrito à mão que ela encontra no seu cacifo. Seja quem for que o escreveu, sabe demais acerca do seu passado. Os mundos de HP e Rebecca aproximam-se inevitavelmente um do outro. Mas se a realidade é apenas um jogo, então o que é real?

Mais sobre mim

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários Recentes

Mensagens

Mais Comentados

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador