Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Protesto dos taxistas

Custa-me um pouco comentar e ficar a favor dos taxistas quando os seus comportamentos numa manifestação são tão irreais que conseguem estragar tudo o que podem pretender com o protesto. 

Primeiro conseguem mostrar claramente que o que os anda a importunar não são as leis diferenciadas entre os táxis e a Uber, mas sim a concorrência que não querem ter de todo. É bem visível que para os irritantes taxistas lisboetas, que conduzem a pensar somente no seu veículo e na pressa que têm em arranjar clientes a todo o custo, que tudo o que são empresas de transporte de passageiros os incomoda. Autocarro, metro, tuk tuk e mais recentemente a Uber são sistemas que concorrem com os taxistas que só pensam no seu umbigo, com ou sem leis semelhantes. A verdade é que a maioria dos taxistas da capital não conseguem respeitar sequer o cliente, quanto mais a concorrência. Pessoas que incomodam enquanto vão ao volante, condutores que enganam o cliente e que sempre que podem optam por aumentar a distância de uma viagem para que possam receber mais e quando o passageiro entra num táxi e mostra que o seu trajeto é rápido, então ai ainda conseguem praticamente expulsar o cliente do interior do veículo porque só querem rotas de longa distância, de preferência com pessoas que não conheçam bem a cidade para que o engano aconteça.

Vejo os taxistas como um grupo laboral ultrapassado, de pessoas que querem tudo para si, não deixando que o mercado cresça com a evolução da sociedade. Os taxistas têm que se mentalizar que nos dias que correm o cidadão comum não pretende alugar um serviço por um certo tempo para se deslocar onde apanham um condutor mal disposto, que afirma comentários menos positivos, tem um carro a cheirar a tabaco e bancos desconfortáveis. Querem os mesmos direitos dos outros, mas apresentam as mesmas condições? Nem de perto!

Estão em protesto e só ai dá para perceber como a maioria daqueles senhores, e cada vez mais senhoras, age perante a lei e a força policial. Não obedecem, ficam indignados por não poderem fazer o que querem - bloquear a cidade de Lisboa - e depois ainda colocam vidas em risco e atacam quem está a trabalhar. Queixam-se tanto que ganham pouco mas não se importam de fazer centenas de quilómetros para protestar, ficarem dias sem trabalhar e dormirem fora porque estão em modo pausa por um protesto de violência causada pelos próprios. 

Infelizmente não consigo dar qualquer razão aos taxistas que de cada vez que se tentam manifestar só conseguem mostrar que não estão à altura da concorrência, deixando muito a desejar junto dos clientes. 

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários recentes

  • P.P.

    Também gosto muito.

  • P.P.

    É lamentável.Mas do ponto de vista da TV, também n...

  • Juca

    Nada disso...

  • O Informador

    Dentro do estilo e da Editorial Presença tenho em ...

  • P.P.

    Eu estou a acabar Aqueles que Merecem Morrer .Ador...

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________