Primark invade o Colombo

A famosa loja de roupa e acessórios chegou a Portugal e atacou o Dolce Vita Tejo, agora vai chegar ao centro da capital, através da aposta de um novo espaço no Centro Comercial Colombo… Falo da Primark!

Pois é esta a notícia do mundo da moda dos preços baixos nos últimos dias, a loja em que entrei uma vez e me senti quase sufocado pelas pessoas e pelo cheiro, vai invadir o maior centro comercial de Lisboa. Não acho que ter uma Primark seja o que a administração do Colombo mais precisa, mas o que é certo é que aquela loja chama todo o tipo de pessoas, até o mais indesejado. Talvez por isso a queiram tanto ter pelos seus corredores, porque o Colombo é o centro de todo o tipo de população, então da mais indesejada…Não gostei mesmo nada de ter ido à Primark do Dolce Vita e embora tenha andado com um cachecol na mão, quando olhei para as infindáveis filas, perdi logo toda a vontade de me colocar entre tantas pessoas que olhavam para a mercadoria umas das outras como se as quisessem roubar para as suas mãos.

Percebo a corrida daquelas pessoas a entrarem naquela loja e a quase se atacarem por uma peça barata de roupa que se for a única pode dar motivos a zanga e zaragatas, mas qual a razão de se ir a uma Primark, ter que enfrentar filas indeterminadas e ainda poder ser alvo de um ataque indesejado de alguém que quer o que vamos levar connosco?!

Só entrei uma vez naquela loja e quando esta chegar ao Colombo sou capaz de a frequentar umas vezes, mas não será por lá que me vou perder constantemente para ir comprar roupa nova. Além do mais, o Colombo já tem a má fama de ser o apeadeiro de todo o tipo de pessoas, agora então parece que o centro vai abaixo com a corrida à camisola mais barata da cidade.

A Primark vai invadir o Colombo e as outras lojas que se cuidem porque o que agora se quer é mesmo preços baixos, seja ao murro ou à cabeçada!

37 comments

    • O Informador says:

      Falo das pessoas que conseguem fazer de tudo para terem uma peça de roupa em que já só existe uma unidade. E naquele centro isso existe muito, não é em vão a fama que o mesmo tem de receber toda a sociedade, ao contrário de outros que mostram ter um público mais selectivo.

      • Bia says:

        eu acho que os donos do Colombo deviam inventar outro lugar para por a primark porque ouvi dizer que a vão por no lugar do FUN CENTER este lugar por ter a maior quantidade de espaço(o maior parque de diversões)é onde as crianças fazem muitas festas de aniversário e por norma vão lá para brincar apenas um bocado. com a crise que está vocês já despediram (entre 60 e 70 empregados). esta foi uma enorme má ideia lamento por vocês serem uns (burros de todo o tamanho as crianças têm o direito de se divertirem)

  1. Poema-Me says:

    Cada loja tem o seu público-alvo e os preços altos/baixos são a forma de filtração mais simples. Depois, a própria localização e acessibilidade do Colombo (enquanto o Dolce Vita está mais ou menos em Marte!) também são razões normais para ser o ‘apeadeiro de todo o tipo de pessoas’. É verdade que este post não foi politicamente correcto em relação à tolerância desse facto, embora pareça que tenhas feito um esforço para não dar essa impressão – daí teres sido cuidadoso e vago ao falar das tais pessoas indesejadas. Mas claro que tens o direito de não gostar/não frequentar a loja, ora! =)

  2. manoela says:

    A SENHORA TEM TODO O DIREITO DE DIZER MAL OU BEM DE UMA LOJA QUE TEM PREÇOS ACESSIVEIS. MAS SE ACHA ASSIM TÃO MÁ É SIMPLES FAÇA AS SUAS COMPRAS NAS LOJAS DA AV. DA LIBERDADE . QUE PESSOAS COMO A SENHORA DEVEM FREQUENTAR

    • O Informador says:

      Antes de mais, obrigado pelo seu comentário, mas tenho que lhe dizer que não sou uma Senhora, mas sim um Senhor, para usar a mesma expressão que usou para comentar o que eu escrevi há uns dias. Depois, respondendo ao que me disse, por acaso, não frequento as lojas chiques da Avenida da Liberdade, sendo que compro o meu vestuário nos grandes centros comerciais, mas não em lojas como a que comento por aqui. São gostos!

  3. dani says:

    Preconceituoso ridículo se não gosta das pessoas e da loja não frequente então e em todas as vezes que eu fui nunca sofri esse drama de ser atacada, nem senti cheiro algum muito menos matei alguém para comprar minhas roupas.

    Texto infeliz…

  4. says:

    Eu concordo com aquilo que diz. Eu percebo perfeitamente quando diz que vai todo o tipo de gente ao Colombo. Não é preconceito nem discriminação, é a realidade. Eu vou imensas vezes ao Vasco da Gama e ao Forum Almada, não é ser fina porque ambos têm muitas das lojas que há no Colombo, e eu nunca me senti insegura, senti-me sempre muito à vontade. Já do Colombo não posso dizer o mesmo. Em termos de estrutura é fantástico, tem imensas lojas e é bastante completo. Mas em termos de segurança deixa muito a desejar… Fui insultada por um senhor de raça negra. Não sou racista, nunca fui, mas neste caso eu é que me senti descriminada. As pessoas de raça negra são alvo de muita descriminação, é verdade, mas então, se não querem ser, porque é que provocam? Eu simplesmente estava no supermercado a comprar comida, nem vi o tal indivíduo. Só quando ouvi o insulto em questão, que era dirigido a mim propositadamente, é que olhei, e vi que era um indivíduo de raça negra. Não lhe respondi. Esse tipo de pessoas merece desprezo. Mas não é só por ser dessa raça. Já fui muito mais vezes insultada por pessoas brancas. Mas essas não se queixam de descriminação, porque sabem que fazem o mesmo..
    Isto nunca me tinha acontecido em mais centro comercial nenhum… não sei se é coincidência, mas bastou-me ir uma única vez ao Colombo em 4 anos para isso me acontecer. E as vezes que fui aos outros dois sítios que mencionei, durante os mesmos 4 anos, perdi-lhes a conta, e nunca me aconteceu nada assim. Colombo é mesmo para esquecer…

  5. Carlota says:

    O Colombo é um espaço fantástico… pena que se transformou num jardim zoológico…
    Quanto à Primark, não percebo a histeria… fui uma ou duas vezes e nunca fiquei particularmente impressionada, nem positiva, nem negativamente.

    Gostei do texto. Retrata maravilhosamente determinado tipo do povinho Português!

  6. ana says:

    Começo por dizer que o Colombo não fica no centro de Lisboa, fica em Benfica (ao lado do estádio, sabe?). Concordo que a Primark chame o que chamou de “todo o tipo de pessoas”, mas o Colombo, por enquanto, ainda é seguro e “bem frequentado”. Acho muito bem que esta loja abra lá, pois é um local na capital e com muitos acessos, ao contrário do Dolce Vita Tejo, que é sempre uma complicação para chegar lá. As únicas pessoas que se têm de preocupar são o DVTejo, porque a maior parte das pessoas só lá vai para ir à Primark e as outras lojas do Colombo, que vão perder importância.
    Aproveito para dar um conselho sobre a Primark. A primeira vez que lá fui, num sábado à tarde, fiquei horrorizada. Vá a um dia de semana de manhã, e a loja estará arrumadinha, sem filas e com pouca gente.

  7. Carla says:

    Já não é a primeira pessoa que fala isso do Colombo, mas olhe que vou lá frequentemente desde que abriu, ou seja há uns booons anos, e nunca me aconteceu assim nada de especial… gosto do espaço, é acessível a todos.. e quando quero algo assim mais selectivo viro-me para o El Corte Ingles ;) Quanto há Primark, sim é caótica aos sabados à tarde, mas dou-lhe também um dica: as filas interminaveis até escoam depressa porque como têm mesmo bastantes caixas a atender, não demora tanto tempo como parece à partida!

    • O Informador says:

      E depois existe sempre o facto de as mulheres terem sempre mil e um artigos à sua disposição e que tudo parece que lhes fica bem. Os homens, no caso mais das calças, olha para as mesmas e acho que são sempre tão, sei lá, mal feitas que não assentam bem a ninguém.

  8. Ana says:

    Eu sou frequentadora assídua do Colombo, uma vez que morava mesmo ali ao lado e tornou-se um hábito. Apesar de saber que já se têm passado por lá algumas situações desagradaveis, nunca tive qualquer problema, nunca assisti a nada, não tenho do que me queixar. Pessoalmente, não gosto da Primark. Entrei lá duas vezes se tanto, e nunca lá consegui estar mais de 5 minutos. Não tem nada a ver com o tipo de cliente ou algo do género, é mesmo pelo facto de não conseguir encontrar lá nada que goste e pela falta de paciência para lojas muito cheias. Para mim, é completamente indiferente que a Primark abra no Colombo ou em qualquer outro lugar, mas acho que este tipo de lojas são sempre um bom negócio e, para quem as frequenta, é bom que se tornem mais acessíveis em termos de localização. Ou seja, nada contra.

    • O Informador says:

      Será que as outras lojas gostaram de saber que iam ter esta companhia? Por um lado acho que não lhes faz diferença, porque na maioria, o tipo de público não é o mesmo, mas não sei não!!!

  9. Lia says:

    Tive aqui a ler o post e os comentarios e so tenho uma coisa a dizer os centros comerciais sejam eles quais forem são locais de confusão ha sempre imensa gente mas obviamente nos sitios com mais populacao mais acessiveis e mais em conta irao as”pessoas indesejadas” q no fundo tratam se de pessoas com menos condicoes q infelizmente algumas sao bem desagradaveis mas disso tb o ha em pessoas de classe alta. Quem quer ir va entao nos dias mais calmos ou qd se sentir c paciência. Eu por exemplo sou de classe baixa nao tenho mt dinheiro p gastar em compras portanto uma primark da me geito , mas sou tambem alguem q n gosta de confusao nem barulho mt menos do imenso calor das lojas como a mencionada mas qd la vou se for com paciencia encontro coisa bonitas e baratas. E o sr se nao encontra calças ai ja tem mesmo de mudar de loja e pessoas estranhas estao em todo o lado.

    • O Informador says:

      Acho o Vasco da Gama mais central que o Colombo e indo a um e a outro vejo diferenças no tipo de pessoas e em como se comportam, na maioria, claro! Analisando os dois, por exemplo, percebo que faz mais sentido a Primark abrir no Colombo que no Vasco.

  10. PATRICIA SILVA says:

    A PRIMARK É UMA LOJA MUITO ACESSÍVEL E ADORO LÁ IR, CLARO QUE HÁ COISAS QUE NÃO VALEM A PENA. JÁ COMPREI ARTIGOS QUE TIVE Q DEITAR FORA.
    DURANTE A SEMANA É O MELHOR DIA, QUANDO É MAIS CALMO PQ AOS FINS DE SEMANA É MESMO HORRÍVEL, E OLHA QUE JÁ VI MUITA GENTE FAMOSA, APRESENTADORAS DE TELEJORNAL, MULHER DE JOGADORES ENTRE OUTRAS SENHORAS… COISA FEIA DISCRIMIR OS OUTROS

  11. Lu says:

    Se o senhor vale mais 500 paus que os outros e não gosta do cheiro ou das pessoas na Primark ou no Colombo, é simples: NÃO ENTRE LÁ. Não sei o que quer dizer exactamente com “população idesejada”… Será população com menos poder de compra que você? Olhe, isso devem devem ser uns 9 milhões de portugueses, se não tem visto as notícias nos últimos anos. É que eu continuo a ver o Colombo como um sítio limpo, organizado, onde as pessoas fazem compras e passam os tempos livres, mais nada. Isso de ser “atacado” por ter uma peça única ou ter de enfrentar kms de fila para pagar pode ser vivido em qualquer loja do grupo Inditex, mesmo no Chiado em dias úteis… então se for na época de saldos… Já fui a várias lojas Primark, em Dublin, Londres, Barcelona, Grande Lisboa e Algarve, e a minha experiência nunca é o que você descreve.
    A Primark é uma escolha inteligente nos dias de hoje. Sendo as tendências cada vez mais descartáveis e o dinheiro cada vez mais raro, prefiro pagar menos por um artigo que já não vou usar no ano seguinte.

    Mª: eu sou uma pessoa “de raça negra” que é insultada sem motivo desde que se lembra de ser gente. E não ando por aí a frisar “fui insultada por uma pessoa de raça branca”. Sou insultada por imbecis e ponto. Não é o tipo de pigmento que lhe define o carácter, por isso meça as suas palavras. Porque eu também não acho o seu comentário infeliz só porque você é branca.

    • O Informador says:

      Já agora, detecto uma caso que nem todas as pessoas o fazem, pelo menos eu não faço… Você afirma «prefiro pagar menos por um artigo que já não vou usar no ano seguinte», quem fala assim é porque todos os anos renova o seu guarda-roupa, o que não acontece no meu caso, por exemplo, que visto roupa com mais de cinco e seis anos, juntando-as com peças mais recentes. Não compro roupa todos os meses, como parece que você prefere fazer… Aí também posso criticar o facto de mostrar ter poder de compra, já que o que usa este ano não usará no próximo.
      Felizmente que não temos todos as mesmas ideias e opiniões acerca do mundo!

  12. Carolina says:

    Meu amigo! Parece que a sua tentativa de comentar sobre a loja deu o que falar! :)
    Qualquer coisa q eu escrever será “chover no molhado”, mas lá vai.

    Conheci a PRIMARK há pouco tempo e, confesso, nem consegui ir à parte feminina. Não por estar cheio ou nada parecido. A questão é que me “perdi” quando vi aquelas roupinhas tããão lindas de bebé. :)
    Minha filha tem agora 6 meses e, no caso dela, é preciso comprar roupas com frequencia e “renovar o guarda-roupa” (o que já não acontece com o meu! heheh)
    Não que eu não gostasse de vesti-la com roupas de marca, no entanto, pelo tempo q ela vai usar e pelo que ela vai fazer (gatinhar, cair, babar, sujar, etc) não vale a pena gastar muito. Então, neste caso, talvez seja uma questão de objetivo. Quando vou, vou direto nos infantis e amoooo. Já as roupas de senhora, nem sei pra que lado ficam!!

    Quanto ao Colombo, detesto! E não tem absolutamente nada a ver com as pessoas que o frenquentam. A questão é que ele é muito grande e eu sou um zero à esquerda no que se trata de localização e orientação geográfica. Sou capaz de andar 4 horas naquele CC e não passar por todos os corredores, simplesmente pq me perco. Além disso, acho um absurdo um CC cobrar estacionamento. Afinal vc vai lá pra gastar e, se não gastar, é pq nada te interessou.
    No caso do DVTejo, ele não fica em Marte, fica perto da minha casa (hehehe), mas concordo que o acesso seja difícil (e chamo de difícil por não ter um metro por perto, que hoje em dia , creio ser a forma mais rápida e barata de se chegar à algum lado).

    Relativamente à forma de se expressar quanto às pessoas que frequentam o Colombo, neste caso talvez as colocações tenham sido um pouco infelizes.
    Não creio ter conteúdo suficiente para lhe chamar de preconceituoso, por outro lado também não tenho conteúdo pra dizer que não o seja.

    Se o objetivo era dizer que a PRIMARK no Colombo faria com que o CC ficasse ainda mais cheio do que já é, podia ter apenas focado nesse ponto. Dizer que atri todo o tipo de gente, realmente soa um bocado preconceituoso, pois “todo o tipo de gente” resume-se à apenas um: o ser humano.

    Como já deve ter percebido , sou brasileira, e em São Paulo temos uma rua chamada “25 de março”, onde encontra-se de TUDO (mesmo!). Entretanto, 99% das pessoas que lá vão, possuem pouca renda. O 1% que resta são artistas e repórteres que vão fazer entrevista na rua mais conhecida e CHEIA de SP e a minha mãe, que adora comprar anéis, relógios e malas (mas ela também se enquadra no grupo dos 99% de baixa-renda que falei anteriormente. Lololol).

    Enfim, meu comentário já ficou demasiado grande, e sei que ninguém vai ler, mas pelo menos participei da discussão.

    Não deixe de expressar sua opinião, pois expressando ou não, nunca agradará à todos. Mas se vale a pena um conselho, apenas pondere a forma de escrever certas coisas, especialmente quando falar de pessoas. A comunicação escrita dá muita margem para erros de interpretação, pois não tem entonação e cada um lê como bem entende. Depende da cultura, da forma de se expressar, da educação e até do estado de espírito que a pessoa se encontra no dia.

    Bom… vou terminando por aqui. Daqui a pouco apanho milha filhota no infantário e, quem sabe dou uma passadinha em Marte… digo, no DVTejo 

    Continuação de um dia à todos que tiveram paciência de ler meu comentário!!! lolol

    • O Informador says:

      Boa noite! Li e gostei bastante do seu testemunho.
      Partilho da sua opinião sobre as roupas de criança… Já que estão constantemente a crescer, sou defensor de comprar roupa mais barata para os pequenitos, já que a vão usar por pouco tempo e assim o valor de algo caro dá para várias peças.
      De facto, as palavras podem ser interpretadas de diversas formas, tal como referiu, e foi isso que aconteceu com este meu texto, cada qual levou para o sentido que quis, criando alguma polémica com o que escrevi. Vejo que você conseguiu interpretar mesmo o que quis dizer, o que me deixo contente por perceber que é mesmo como digo, cada qual interpreta o que se diz da maneira que mais lhe convém.
      Parabéns pela sua filhotinha e espero continuar a receber a sua visita mais vezes e nos vários textos que já publiquei.
      Abraço,
      O Informador

  13. pessoa says:

    acha mesmo ?! para adolescentes e para idosos ou mesmo pessoas de meia idade a primark e ideal tanto no preço como na qualidade .
    sim as vezes pode haver algumas falhas mas ninguem faz tudo perfeitonao acha?!
    E ja que e tao atencioso podia ter visto que a primark estava cheia como disse devia ser por algo nao acha?!
    se queria fazer uma pagina so para falar com alguem va ao medico .
    atenciosamente. sao gostos.!!

  14. Mariangel says:

    Bem estou a ver que a Primark está com muita fama em Portugal! Sou uma jovem portuguesa, de origem africana, a viver em Londres e imaginam ondem trabalho?!? Primark em Oxford St, uma avenida frequentada por milhares de pessoas, de todas as raças e niveis sociais! É verdade que a loja é frequentada por muita gente, até de mais..que por vezes chega a ser extremo…mas nunca ouve zanga por uma peça de roupa..pelo menos que eu tenha conhecimento! Há anos que nao vou ao Colombo e da ultima vez que fui nao vi nada a salientar. Se é frequentada por todo o tipo de gente nao vejo nada de mal, desde que se comportam de forma civilizada por mim pode ir branco, negro, amarelo….

    Em relaçao ao comentário que fez do TODO TIPO DE GENTE, nao creio que tenha sido infeliz! Pelo que me deu a entender, estava a referir-se mais a nivel comportamental do que racial! Bom pelo menos espero que sim..

    • O Informador says:

      Isso mesmo, quando disse o TODO O TIPO DE GENTE estava mesmo a referir-me ao comportamento que as pessoas têm, tal como às suas atitudes. Mas existiram pessoas que interpretaram de outra forma, infelizmente!

  15. Patrícia Paixão says:

    Eu achei a ideia fantástica (secalhar por ser pobretanas). Gosto da Primark onde consigo encontrar artigos de todo o tipo e com um preço bom para a minha bolsa. A questão que a Claudia colocou foi exactamente o que pensei quando li o artigo. Senti que te referiste ao espaço como “zona de pobres e miseráveis”. Sei que não foi intenção mas soa mal a quem lê. É uma loja que, pelos preços, permite o acesso a pessoas que não podem gastar rios de dinheiro numa ou outra peça de roupa ou acessório.Falo por mim que detesto gastar dinheiro e pertencendo à classe dos forretas,das coisas que mais me dá prazer é comprar a baixo preço.

Deixar uma resposta

Current day month ye@r *