Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Mas Nunca te Esqueças de Sorrir, o vencedor

13.02.15Publicado por O Informador

Mas Nunca te Esquecas de Sorrir.jpg

 

Um exemplar do livro Mas Nunca te Esqueças de Sorrir, da autoria de Fernando Aguzzoli, esteve em passatempo pelo blogue ao longo dos últimos dias. Agora e porque o prazo de participações terminou, é chegada a hora de revelar o nome da vencedora desta obra lançada em Portugal pela editora Guerra e Paz. 

 

Achando o número do vencedor através do sistema automático de selecção, eis que o resultado foi o número 23, o que traduzindo pela ordem dos comentários de participação faz com que tenha sido a leitora Daniela Gomes a vencedora deste prémio. A mesma irá ser contatada via email para que os seus dados sejam fornecidos com a finalidade do envio do livro ser possível.

Obrigado a todos os participantes deste passatempo! Até já!

Mas Nunca te Esqueças de Sorrir - Vencedor.png

Ao ver a avó que o criou enfrentar o triste dia-a-dia de um doente de Alzhei­mer, Fernando Aguzzoli decidiu largar tudo que tinha – emprego, carreira, estudos – para tentar amenizar o sofrimento com muito amor e riso. Ao cuidar da divertida, bondosa e, claro, agora sempre esquecida vovó Nilva, o jovem neto Fernando aprenderá uma lição de vida que doença nenhuma poderá apagar.

Além do comovente testemunho do neto, o leitor poderá rever-se nas situa­ções que Fernando viveu com a avó e encontrar respostas para muitas pergun­tas sobre a doença – não só através dos exemplos reais, como também pelos pareceres de 25 profissionais, incluindo psicólogos, psiquiatras, neurologistas, geriatras e até advogados e arquitectos.

Este é um livro que fala da relação entre uma avó e um neto, uma relação de amor incondicional que, no final da vida, vence todos os obstáculos, mesmo aqueles que vêm para devastar o que temos de melhor, as nossas memórias. É uma história real que já emocionou milhares de leitores no Brasil e que vai fazer os portugueses rirem e chorarem – e nunca mais se esquecerem dela.