Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Eu Sou | Catequista

23.02.18Publicado por O Informador

catequese.jpg

«Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador! Jesus disse a Simão: "Não tenha medo; de agora em diante você será pescador de homens".(Lucas 5:8)».

Poderei afirmar que esta frase define ser catequista, a missão que Deus tem para mim. Nem sempre é fácil ser catequista. Exige um grande trabalho de preparação, de entusiasmo, e de vivência da palavra de Cristo, em Cristo e com Cristo.

Sempre, vivi e cresci, na vida Cristã, tenho 5 dos 7 sacramentos possíveis. A ligação à Igreja cresce devido a estrita relação com a minha avó Materna. As avós, são importantes na nossa formação enquanto pessoas, mas também na transmissão de valores, num entanto dos 5 netos, foi o único mais dedicado à vida cristã.

Ser catequista é, saber ouvir e escutar a voz de Deus, é termos compreensão para toda a comunidade, é participar ativamente na vida de Igreja, é saber da responsabilidade que temos aos estar a iniciar crianças na vida cristã é percebermos que a paroquia exige de nós o dobro do que exige aos outros. É termos a consciência moral, que ao mínimo erro, vamos ouvir “que exemplo é que tu estás a dar”, “é essas atitudes que tu estás a ensinar aos teus meninos da catequese”, “o que é que foste fazer à missa”. A sociedade exige de nós um comportamento ético, responsável e exemplar, que muitas vezes não tem, mas exige a quem está na Igreja. Somos os braços do pároco, e a voz da comunidade.

Uma paróquia sem catequese e sem catequistas é uma paróquia que está envelhecida e a morrer.

Hoje, ser catequista numa paróquia mais pequena, é desafiante devido ao afastamento dos pais da religião, é termos que ter a capacidade de atrair os filhos para a catequese. Palavras como a catequese é uma seca ou não têm interesse desapareceram do vocabulário das nossas crianças devido às diversas atividades que fazemos, uma catequese mais participada, materiais mais didáticos, filmes, idas ao teatro, encenações bíblicas, acampamentos, pedi papper, são hoje atividades que se desenvolvem na nossa catequese. A relação com os pais é outro desafio, porque existe um desinteresse destes pela religião, os pais não querem ir à missa, não querem acompanhar os filhos na catequese e muitas vezes servem-se da catequese para os filhos estarem entretidos e fora de casa durante duas horas.

Durante este pequeno texto, relatei alguns dos desafios de ser catequista. Um catequista, é sempre catequista, nós podemos ter as mais variadas profissões, e por isso, estamos empregados de balcão, estamos secretários, estamos políticos, estamos professores, mas um catequista É sempre catequista, mesmo que tente não ser, quem o conhece vai olha-lo sempre como catequista. O Manuel, o Pedro, o Carlos, é catequista, não está catequista, e o seu exemplo é sempre avaliado como isso. Está sempre a pescar novos homens, independentemente de ser pecador.

Mesmo com crise de fé, digo: Eu Sou Catequista

Filipe Carvalho

«Eu Sou» é um espaço próprio onde todos podem ser convidados a marcar presença em alguma altura para que deixem a sua partilha sobre uma fase da sua vida que vos tenham marcado ou marque. Uma identificação, a nível pessoal ou profissional, um tema sobre o qual queiram falar que vos tenha marcado. Tudo, ou quase tudo, pode encaixar dentro deste espaço do blog onde os anfitriões são vocês, os autores de cada texto «Eu Sou». Anonimamente ou revelando quem está por trás de cada texto, a escolha cabe ao seu autor. Já a mim, enquanto publicador faço como me derem permissão. Os convites vão sendo feitos ao longo do tempo, no entanto podes também oferecer-te para seres um dos próximos protagonistas desta rubrica do blog que é feita por quem está desse lado e queira contar um pouco mais de si a todos nós! Tu o que és? Conta-me tudo através dos vários contactos do blog para seres um dos próximos anfitriões deste espaço. 

 

10 Comentários

Comentar Post