Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Deixei-te Ir

30.08.16Publicado por O Informador

Deixei-te Ir.jpg

Autor: Clare Mackintosh

Data: Julho de 2016

Editora: Marcador

Número de páginas: 360 páginas

Classificação: 5 em 5

 

Sinopse: Numa fração de segundos, um acidente trágico faz desabar o mundo de Jenna Gray, obrigando uma mãe a viver o seu pior pesadelo. Nada poderia ter feito para evitar esse acidente. Ou poderia? Essa é a pergunta que a inquieta quando tenta deixar para trás tudo o que conhece, procurando um novo recomeço refugiada num chalé isolado na costa de Gales. Mas cedo passa a ser assombrada pelos seus medos, pelo desgosto e pelas memórias daquela fatídica noite de novembro que lhe mudou a vida para sempre.

Também o detetive Ray Stevens, responsável pela investigação por este caso que procura a verdade, começa a ser consumido pela sua entrega ao mesmo, deixando a vida pessoal e profissional à beira do precipício.

À medida que o detetive e a sua equipa vão juntando as pontas do mistério, Jenny, lentamente, permite-se vislumbrar uma luz de esperança no futuro, o que lhe dá alguma segurança. Mas é o passado que está prestes a apanhá-la, e as consequências serão devastadoras.

 

Opinião: Deixei-te Ir é considerado um thriller, no entanto a essência desta obra de Clare Mackintosh foge do tradicionalismo literário que existe nesta faixa de escrita. 

Com uma apresentação de personagens forte e bem cuidada, tal como com os locais que o leitor é convidado a conhecer, a autora cria ao longo de parte da sua obra um ambiente que conduz a história por uma verdadeira ilusão que sem nos darmos conta acaba por nos fazer chegar a um abismo onde tudo cai por terra e a alteração ocorre como uma autêntica viragem da narrativa. Somos convidados a conhecer personagens com o pensamento em outras quando afinal tudo gira, como uma autêntica transformação de personalidade num ser que esconde a verdade dos factos até conseguir, tudo para que se consiga proteger do medo de uma vida. 

Neste livro o que acontece, e acredito que não tenha sido só a mim, é que em determinados momentos sentimos que é necessário voltar atrás na leitura para que se tente apanhar o que nos escapou e que faz com que a ação se mova ao contrário do que estávamos a prever. Afinal o que andamos a ler ao longo de várias páginas não pertence a uma personagem mas sim a outra? Em que ficamos então?

Esta é uma obra escrita de forma inteligente desde o atropelamento até aos acontecimentos finais que dão finalmente a verdade ao leitor que segue vidas misteriosas e envoltas em fantasmas do passado que resistem no presente, por mais que se tente mudar o rumo a seguir. Uma mãe, uma mulher, um inspetor casado, com filhos e problemas familiares, uma aprendiz na investigação, um veterinário apaixonado, uma assassina ou será um assassino?

Todo o livro Deixei-te Ir é envolvente e bem trabalhado, no entanto há a destacar a diferença entre a primeira e segunda parte! Se no início somos facilmente enganados sem que consigamos perceber até ao momento chave e onde tudo é revelado. Já na continuação e após a viragem o que vai acontecendo é a verdade estampada e revelada ao leitor tal como ela é e aconteceu no passado. Os mistérios de vidas que vivem em função de outras, a corrida pela verdade dos factos, o amor que desvanece perante o tempo... Histórias de vida tão bem trabalhadas por Clare Mackintosh que me deu uma das melhores leituras do ano! 

Sem dúvida alguma que Deixei-te Ir é uma das obras literárias de 2016!

2 Comentários

Comentar Post