Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

10
Ago16

Atual leitura... Quando Voltares Para Mim


O Informador

Na adolescência li Margarida Rebelo Pinto e acabei por abandonar as obras mais recentes de uma das autoras de maior sucesso nacional em detrimento da descoberta de outras formas de escrita onde os enredos amorosos continuam a ser o destaque. Agora, a meio de 2016, deu-me para voltar a pescar nas elaboradas e pomposas histórias criadas por Margarida. Quando Voltares Para Mim é o mais recente romance da autora de Sei Lá, lançado pelo Clube do Autor e com a premissa de que «Vale sempre a pena viver uma grande história de amor até ao fim». Conseguirei deixar-me levar por uma história contada no feminino e destinada maioritariamente às mulheres de todas as idades, desde que queiram conhecer uma história de amor com cartas trocadas entre amigas, confidentes e secretas mulheres cheias de certezas e dúvidas?!

Irão ouvir falar de Quando Voltares Para Mim aqui pelo blog daqui a alguns dias!

quando voltares para mim.jpg

"Vale sempre a pena viver uma história de amor até ao fim", diz Margarida Rebelo Pinto a propósito do seu novo livro. "Quando Voltares para Mim" reúne um conjunto de cartas entre cinco mulheres. É um livro que tem borboletas e pipocas, escrito tanto com a razão como com o coração, aceitando tão bem o sonho como a realidade, refletindo sobre as relações amorosas e tudo o que está ao nosso alcance para sermos felizes, acrescenta a autora. Vale quase tudo desde que haja amor. E de que falamos quando falamos de amor?Falamos de nós e daqueles que amamos, dos nossos sonhos e segredos, medos e desejos, relembra a autora, que regressa neste livro a um dos seus registos preferidos, à semelhança de "Diário da Tua Ausência" e de "O Dia em que te Esqueci". «No amor e na guerra vale tudo? Não. A guerra dentro do amor faz-se quando é preciso, mas no fim ninguém ganha. Levar um amor para a frente só tem sentido se for levado pelos dois, se for carregado a quatro braços quando se torna pesado, até recuperar a leveza. E só se entra em guerra quando já não há paz possível.» A autora traça neste livro um mapa das relações afetivas, nas suas mais diversas formas, com seriedade, humor, lucidez e emoção em doses iguais. Catarina, Matilde, Laura, Joana e Paula relatam nas cartas que trocam entre si as suas certezas e dúvidas, segredos e confissões, e tudo aquilo que as faz continuar a acreditar que o amor pode mudar a nossa vida para sempre.

15 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Sou mais como tu, visitando as Leituras e quando p...

  • marta-omeucanto

    Não gosto de comentar por obrigação, nem tão pouco...

  • O Informador

    Esses do “aqui está o meu blog” então é para esque...

  • O Informador

    Terem esse tipo de atitudes só me faz não visitar ...

  • Cláudia C Silva

    Concordo com o que dizes, e detesto comentários a ...

Mensagens

Pesquisar

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador