Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Atual leitura... Diário dos Imperfeitos [João Morgado]

22.04.17Publicado por O Informador

Vencedor do Prémio Literário Vergílio Ferreira 2012, Diário dos Imperfeitos é a primeira obra de João Morgado com que irei ter contacto. Já li bons e maus comentários acerca deste romance e não há nada como experimentar para ter a minha visão literária acerca da escrita e criação do também autor de Diário dos Infiéis. João Morgado foi distinguido também com as suas obras, contos, poesia e crónicas com o Prémio Literário António Saraiva 2016, Prémio Nacional de Literatura LIONS 2015, Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha 2015, Prémio Literário Alçada Baptista 2014 e com Prémio de Poesia Manuel Neto dos Santos 2015.

Diário dos Imperfeitos é a partir daqui a minha atual leitura e mais dia menos dia lá vos voltarei a falar deste livro para vos contar a derradeira opinião. 

diario dos imperfeitos.jpg

 

Diário dos Imperfeitos é uma viagem à intimidade das pessoas. Vítima de um acidente, a Gaivota é uma mulher que precisa de redescobrir todas as emoções sequestradas dentro de si. Ao mesmo tempo, reaprende a conhecer o seu corpo - uma aventura refreada pela moral, pela sombra do pecado e pelo medo que pode levar à própria insanidade. Uma luta interior entre o bem e o mal, que leva a uma inevitável conclusão: todas as pessoas são imperfeitas!

Como irá reagir de novo à sua realidade? Voltará a ser quem era? E os que estão a seu lado, como vão sobreviver a esta viagem?

Uma escrita intimista, que procura descortinar os sentidos e as emoções dos diferentes personagens. Do prazer mais carnal ao amor puro, passando pela falsa moral da sociedade e da religião. Pelo meio, a filosofia simples de duas personagens inusitadas - a mulher que lê pensamentos e um pintor de sóis na parede. São eles que levam o narrador a perceber os sentimentos da Gaivota e nos ajudam a reflectir sobre temas tão controversos como o amor, o desejo, o sentimento de culpa ou o próprio nojo.

2 Comentários

Comentar Post