Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

04
Set17

A Salvo Comigo [K. L. Slater]


O Informador

a salvo comigo.jpg

Autor: K. L. Slater

Editora: Topseller

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Maio de 2017

Páginas: 384

ISBN: 978-989-8800-99-2

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Há treze anos, alguém destruiu a vida dela.

Agora, a vingança está ao seu alcance?

Anna é uma rapariga solitária que procura o equilíbrio na sua vida apoiando-se nas rotinas diárias. Não gosta de se aproximar das outras pessoas, pois conhece demasiado bem os danos que elas podem causar.

Até que, um dia, testemunha um acidente e reconhece a culpada: é Carla, a mulher que arruinou a sua vida no passado. Esta é a sua oportunidade de vingança. O primeiro passo é aproximar-se de Liam, o homem ferido no acidente, para poder seguir de perto a investigação policial.

Quando Carla também se aproxima de Liam, Anna percebe quais são as reais intenções de Carla: manipulá-lo? Mas ela não deixará que isso aconteça e tudo fará para proteger Liam e desmascarar esta impostora.

À medida que a obsessão de Anna por Carla se intensifica, outros segredos vão sendo revelados, mostrando que o perigo, afinal, pode vir de onde menos se espera.

 

Opinião: Entrando na leitura de A Salvo Comigo conhecemos Anna, a nossa narradora que marca presença na história e que nos vai relatando de forma estranha o que vai acontecendo à sua volta e também os seus pensamentos acerca dos vários acontecimentos em que se vê envolvida e a que assiste. De início logo é percetível que na atual vida desta carteira existe um passado marcado que vai sendo recordado ao longo da narrativa para que se consiga perceber os atuais comportamentos de uma pessoa que desconfia e luta pela verdade dos factos assim que tem oportunidade.

A história começa com um acidente ao qual Anna assiste, mas rapidamente e no local percebe que um rosto conhecido do seu passado marcado pela perda está presente nesse mesmo cenário. Carla é a mulher desaparecida há treze anos e que culpa para toda a vida por factos que o leitor vai descobrindo aos poucos. Para que esta mulher não volte a fugir e a sair ilesa mais uma vez, Anna aproxima-se estrategicamente de Liam, o acidentando, para que a pressão perante a justiça seja feita sobre a culpada do acidente. E começa aqui um thriller com pontos romanceados que baralha o leitor a certo ponto. 

Se Anna começa como a salvadora que tudo quer descobrir para incriminar Carla, aos poucos as coisas vão mudando porque afinal os bons nem sempre conseguem manter a sua linha, mas será esta mulher culpada de alguma coisa? E quem será Carla no meio de um turbilhão de acontecimentos? Não andará há treze anos Anna a culpar uma pessoa de um crime que não cometeu? Liam, o acidentado que vive com a sua avó Ivy, é assim tão inocente no caso e nos atos que comete na relação que inicia com Anna enquanto Carla se aproxima para se manter a par do seu estado de saúde?

O que posso dizer sobre este livro é que consegue prender o leitor baralhando a tal ponto que com poucas personagens conseguimos em determinada altura acreditar que os que são bons passam a criminosos e vise-versa, tudo para perceber que afinal as guerras e lutas pela verdade de anos não fazem qualquer sentido porque o castigo de quem fez mal está mais que pago mas existe alguém a continuar a precisar de ajuda para conseguir enfrentar um futuro. Valerá a pena viver na expetativa e com ideias erradas durante tanto tempo sobre um assunto para que no final se descubra que se estava enganado?

Escrita ágil e narrativa bem contada, sem enrolar com a colocação de personagens desnecessárias para encherem a história de acontecimentos que nada acrescentam ao que se irá suceder. No geral e dentro do estilo do grande sucesso A Rapariga no Comboio está bom, embora não exista nada de novo, recorrendo a autora ao mesmo estilo literário para contar a sua história e no final revelar que o que parece não é. Sem qualquer novidade dentro do estilo mas que não surpreende, seguindo a linha de outros sucessos do género.

Gostei acima de tudo pela simplicidade e por tentar apanhar várias pistas que vão sendo deixadas ao longo de alguns capítulos através de dicas sobre uniões familiares do passado e cartas e relatórios guardados inocentemente. 

 

2 comentários

Comentar Post

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________