Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

06
Mai17

Festa do Cinema com bilhetes a 2,5 euros


O Informador

festa do cinema.png

A Festa do Cinema está de regresso a Portugal pelo terceiro ano consecutivo e com o evento surge a boa notícia dos preços reduzidos de bilhetes de cinema pelos dias 22, 23 e 24 de Maio.

Em todo o país e em qualquer sala de cinema, cinemateca ou auditório os bilhetes vão estar a 2,50€. No total serão mais de dez mil lugares a metade do preço habitual numa clara tentativa de convidar as pessoas a regressarem às salas de cinema. Nas duas edições anteriores, de sucesso, por sinal, foram mais de quatrocentos mil espetadores a aproveitarem o bónus dos dias da Festa do Cinema. 

Lembro ainda que a 15 de Maio acontecerão dois eventos de promoção desta celebração. O debate Como criar mais hábito de consumo na Sétima Arte, no Cineteatro Capitólio, no Parque Mayer, em Lisboa e a apresentação do filme Perdidos, no Cinema São Jorge, do realizador Sérgio Graciano e que conta com os atores Afonso Pimentel, Diogo Amaral, Dalila Carmo, Dânia Neto, Lourenço Ortigão e Catarina Gouveia no elenco. 

06
Abr17

A Bela e o Monstro


O Informador

a bela e o monstro

Um clássico Disney que agora ganhou um remake onde atores reais se encontram envolvidos com a criação perfeita de cenas e personagens computorizadas tão reais que levam esta nova película a quase atingir a magia do primeiro amor que o público tem para com A Bela e o Monstro. Costuma-se dizer que não há amor como o primeiro e neste caso e por muito bem feita que esta nova versão esteja, obedecendo bastante ao original, não consegue chegar aos encantos a que assisti em pequeno. 

Uma história intemporal e que ultrapassa gerações volta a espalhar magia convidando os espetadores a circularem pelas escadarias e salas do castelo para (re)viverem uma grande história de amor entre uma jovem inspiradora e apaixonada por literatura e um príncipe amaldiçoado. Este é daqueles contos que em livro, em filme animado, teatro ou agora em versão cinematográfica real consegue sempre emocionar, dado o envolvimento que A Bela e o Monstro vão criando ao longo de todos os desafios que lhes vão sendo colocados. A capacidade de transformação de um ser magoado para com os cuidados de outro para que se consigam criar elos de ligação, primeiro para se descobrir quem está do outro lado e depois porque o coração fala mais alto e percebe que a paixão não surge por um rosto bonito, mas sim pela demonstração do carácter que está tanta vezes por detrás de um corpo que nada nos diz e que com o tempo se mostra um ser encantador e perfeito. 

Emma Watson pelas primeiras cenas parece ausente da personagem mas assim que se vê confrontada com o Mostro protagonizado por Dan Stevens consegue mostrar que agarrou a sua Bela como era pedido, tendo uma presença ascendente ao longo de toda a história. Já no que toca a Stevens, acredito que teriam conseguido ter um outro rosto a dar vida a este príncipe que em formato Monstro convence bastante mas depois os poucos minutos em que fica de rosto limpo acaba por desiludir pela ingenuidade que acabou por dar à personagem. De resto, não existem oscilações de casting e nota-se que a intenção era mesmo surpreender com o trabalho de equipa onde os mágicos cenários e as personagens não humanas criam a verdadeira ilusão para a fantasia que depois acontece no final quando todo o elenco surge a celebrar o amor. 

Um filme com maior duração que o original para explicar o passado familiar de ambas as personagens e também pormenores que na versão animada e mais virada para o público infantil passam despercebidos mas que agora já deixariam dúvidas acerca de determinadas atitudes, dando também para perceber o cuidado com vários problemas sociais, como é o caso da homossexualidade e do racismo, com a presença de personagens que mostram que a realidade existe e não há que ser omitida no cinema. 

Um filme para ver ou na maioria dos casos rever mas que não consegue tirar a magia do verdadeiro, do original, aquele que nos ficará para sempre na memória e que os mais novos que só estão a ter o seu primeiro contacto com A Bela e o Monstro agora devem ver porque não se conseguirá fazer melhor, por muito que se tente, do encanto que foi criado com aquela película animada.

13
Fev17

La La Land - Melodia de Amor


O Informador

la la land.jpg

La La Land, o musical que está a mexer com o cinema não me conquistou, está dito! Antes de mais se tivesse de encaixar este filme em alguma categoria de cinema não sei por onde o colocava mas musical isto só tem mesmo uns quinze minutos, o que para uma película de longa, demorada e secante duração não é nada. 

La La Land tem um início estranhamente mal concebido, bem pensado mas mal construido onde no trânsito todos começam a cantar e dançar com um sistema de filmagem suspeito que deixa muito a desejar para apanhar a expressão de cada personagem. Seguindo em frente, percebemos desde os primeiros minutos que estamos perante uma história de amor cliché, daquelas em que não dá para nos emocionarmos porque tudo é tão forçado e limitado que não existe espaço de manobra. Cantam e dançam entre encontros propositados e mesmo com tão poucos momentos musicais, Ryan Gosling e Emma Stone ainda conseguem mostrar pouca empatia e emoção no que estão a entoar, tanta como a que não existe entre ambos nas cenas que poderiam ser mais puxadas. La La Land é secante de ponta a ponta, demasiado extenso para o que conta e só mesmo consegue conquistar nos minutos finais, quando percebemos que está tudo a terminar e a mensagem é finalmente passada.

14
Jan17

O Herói da Quinta


O Informador

o herói da quinta.jpg

Uma ida ao cinema com os mais novos é garantia de ver um filme de animação, só que existem filmes e filmes e revelo que O Herói da Quinta é daquelas películas que não me dizem nada.

A história de um indefeso galo que vira herói junto dos seus colegas de copeira para salvar a quinta onde vivem é a base desta história que vive de vários momentos que até conseguem ter graça, mas por algum motivo não achei a mínima piada a esta aventura que se encontra bem longe dos grandes filmes animados que tenho visto pelos últimos tempos. Uma base de arranque básica, realização fraca e mensagem a ser transmitida a passar completamente despercebida. 

O lema é acreditar em si, mesmo que os outros nos deitem abaixo! Estarão as crianças a ver esta animação onde frangos, galos, ovos, patos e uma quinta inteira passam o tempo a correr e treinar para enfrentar o grande adversário na guerra de galos de combate?

Sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • O Informador

    Sabe bem mas comigo e raro acontecer porque não co...

  • Cláudia C Silva

    Opa sabe tão bem! Das melhores coisas!

  • O Informador

    Muito menos em horários tardios quando já só se pe...

  • O Informador

    Quiseram ser iguais e agora as soluções são poucas...

  • O Informador

    O quererem ser iguais aos outros fez com que o púb...

Mensagens

Pesquisar

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador