Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

28
Jul17

Vencedores dos convites duplos para Let The Sunshine In [29.07.2017]


O Informador

let the sunshine in.jpg

Henrique Feist, Vanessa Silva, Daniel Galvão, Valter Mira e Diogo Leite são os artistas em palco e Nuno Feist o diretor musical de Let The Sunshine In, o espetáculo que recorda a loucura dos anos 60. 

Em cena no Auditório do Casino Estoril, esta nova aposta da ArtFeist Produção Artísticas recorda o bom ambiente dos anos 60 e para que todos possam celebrar com o elenco, foi lançado passatempo aqui pelo blog com a oportunidade de poderem ganhar convites duplos para a sessão de Sábado, 29 de Julho, pelas 21h45. 

Eis os vencedores deste desafio e que irão assistir em boa companhia a esta aposta de Verão... Ana Romano, Célia Machado, Ricardo Moreira, Joaquim Andrade e Diana Nisa foram os sorteados e irão receber email com as informações para que possam levantar o seu prémio a tempo e horas. 

24
Jul17

Convites duplos para Let The Sunshine In [29.07.2017]


O Informador

let the sunshine in.jpg

O Auditório do Casino Estoril recebe ao longo deste Verão o novo musical da ArtFeist, Let The Sunshine In, a loucura dos anos 60!

Let The Sunshine In é a nova produção dos manos Feist que celebram assim os grandes temas dos anos 60. Contando com Henrique Feist, Diogo Leite, Daniel Galvão, Valter Mira e o regresso aos palcos nacionais de Vanessa Silva, este espetáculo tem direção musical a cargo de Nuno Feist. 

Para todos poderem apreciar Let The Sunshine In tenho cinco convites duplos para oferecer aos leitores do blog. A sessão a que se destinam é a do próximo Sábado, 29 de Julho, pelas 21h45, e a corrida é muita para se ser um dos vencedores e poder assim apreciar em boa companhia este musical. 

18
Jul17

Let The Sunshine In [ArtFeist]


O Informador

let the sunshine in.jpg

O Verão está ai e nesta altura do ano poderemos pensar que os espetáculos apresentados são mais soft e não tão bons como nos restantes meses. Desengane-se quem está com essa ideia porque existem estreias de produções pensadas para estes meses quentes que surpreendem tanto ou mais que apostas de longa duração.

No Auditório do Casino Estoril acabou de estrear uma nova produção da ArtFeist, Let The Sunshine In, uma comemoração musical aos loucos anos 60. Se ia um pouco reticente quanto ao estilo de apresentação que iria assistir, desde logo fiquei convencido que estava perante um bom trabalho dos artistas que com um texto cuidado e trabalhado conseguem chegar facilmente junto do público. Henrique Feist, Vanessa Silva, Daniel Galvão, Valter Mira e Diogo Leite são os atores e cantores deste espetáculo que conta com Nuno Feist na direção musical. Dos temas célebres de Portugal para o Mundo, os êxitos de outros tempos são assim recordados através de interpretações afinadas que se conjugam com pequenas introduções pessoais e através de memórias históricas em vídeo ao longo de hora e meia de espetáculo.  

Henrique Feist e Vanessa Silva dispensam apresentações e com o apoio dos jovens promissores Daniel Galvão, Diogo Leite e Valter Mira formam um espetáculo onde o trabalho de ator, cantor e mesmo de bailarino é visível entre todos que se apresentam com uma boa coordenação numa encenação exemplar e que deixa outros espetáculos para trás. 

Let The Sunshine In é uma amostra que por vezes basta ser original e reformular o que já existe para se conseguir fazer uma boa apresentação sem que exista necessidade de pegar em sucessos internacionais para adaptações que nem sempre resultam junto do público português. Elaborar demais não é sinónimo de sucesso e com este musical além de se poder recordar os anos 60 todos conseguimos aplaudir e cantarolar vários temas célebres que foram passando de geração em geração. 

15
Jul17

Vencedores dos convites duplos para Let The Sunshine In [15.07.2017]


O Informador

let the sunshine in.jpg

Henrique Feist, Vanessa Silva, Daniel Galvão, Valter Mira e Diogo Leite são os artistas em palco e Nuno Feist o diretor musical de Let The Sunshine In, o espetáculo que recorda a loucura dos anos 60. 

Em cena no Auditório do Casino Estoril, esta nova aposta da ArtFeist Produção Artísticas pretende fazer recordar o bom ambiente dos anos 60 e para que todos possam celebrar com o elenco, foi lançado passatempo aqui pelo blog com a oportunidade de poderem ganhar convites duplos para a sessão de hoje, Sábado, 15 de Julho, pelas 21h45. 

Eis os vencedores deste desafio e que logo mais poderão assistir em boa companhia a esta aposta de Verão... Cristina Nascimento, Sara Alves, Rita Penedo, Lídia Inácio, Susana Coelho, Sónia Fernandes, Teresa Ferreira, Tânia Venâncio, Maria Gonçalves, Daniel Silva, Bruno Calçada e Marta Guerra foram os sorteados e irão receber email com as informações para que possam levantar o seu prémio a tempo e horas. 

14
Jul17

Convites duplos para Let The Sunshine In [15.07.2017]


O Informador

let the sunshine in.jpg

A loucura dos anos 60 está de volta e desta vez chegou ao Auditório do Casino Estoril através do novo espetáculo musical de Henrique Feist!

Let The Sunshine In é a nova produção dos manos Feist e que celebra assim os grandes temas dos anos 60. Contando com Henrique Feist, Diogo Leite, Daniel Galvão, Valter Mira e o regresso aos palcos nacionais de Vanessa Silva, este espetáculo tem direção musical a cargo de Nuno Feist e conta com todos nós pela plateia. 

Para todos podermos apreciar Let The Sunshine In tenho não um, não cinco, não dez mas sim catorze convites duplos para oferecer aos leitores do blog. A sessão a que se destinam é a do próximo Sábado, 15 de Julho, pelas 21h45, e a corrida é muita para se ser um dos vencedores e poder assim apreciar em boa companhia este musical. 

30
Jun17

À Conversa com... Patrícia Resende


O Informador

patrícia resende 3.JPG

Patrícia Resende não se recorda da primeira vez em que o pano subiu e enfrentou o público, mas sabe que foi a partir daquele momento que começou a perceber que o seu futuro estava na representação. Hoje, quase duas décadas após ter integrado o elenco da primeira temporada do musical Amália continua nos palcos e já experimentou as lides televisivas e do cinema onde pretende voltar sempre que for possível. Assumindo um grande carinho por Filipe La Féria e por vários colegas de representação com quem teve o gosto de trabalhar ao longo do tempo, é como atriz que se sente feliz e no caminho certo para continuar. Vamos conhecer um pouco sobre Patrícia Resende, uma profissional que vai muito para além do Teatro Politeama!

patrícia resende 1.JPG

Cedo triunfou pelos palcos nacionais dando vida a Amália pequena na primeira temporada do musical Amália, produzido por Filipe La Féria. Ainda se lembra como foi ver o pano subir pela primeira vez no palco do Teatro Politeama para a primeira grande experiência que durou anos em cena?

Não me consigo recordar especificamente da primeira vez que o pano subiu mas, lembro-me de ainda estar nos ensaios e alguém me dizer "antes de entrares em cena respira fundo 3 vezes e os nervos vão-se embora", e eu passei a fazer sempre isso. E funcionava. Eu vinha lá de cima da plataforma e, antes dela começar a descer, eu respirava fundo 3 vezes.

 

A partir de Amália não mais parou e foram vários os projetos teatrais em que entrou. Chegar aos dias que correm com tantos sucessos pelos palcos é obra sua e de quem não deixou de acreditar no seu talento. Que projetos distingue ao longo do percurso profissional?

O musical Amália, sem dúvida. A peça A Flor do Cacto, que foi a minha primeira protagonista enquanto mulher adulta. Recordo também os anos que trabalhei na companhia Palco 13, porque me deram a oportunidade de me desafiar a mim mesma, ao fazer textos diferentes, géneros diferentes. O Meu Pé de Laranja Lima no Teatro Turim, encenado pelo Rui Luís Brás, visto que fazia o papel de um menino brasileiro de 6 anos, o que foi um grande desafio para mim como atriz, sem dúvida. As revistas que fiz foram muito importantes para mim, aprendi imenso com aquele género, e aprendi muito com a Marina Mota. E é claro, As Árvores Morrem de Pé, pelo texto, pelos atores com quem trabalhei, pela partilha em palco, pelo ambiente em bastidores.

 

Voltando anos mais tarde a incorporar o elenco do renovado Amália, que está atualmente em cena no Teatro Politeama, é como voltar a casa sem nunca de lá ter saído?

Não. É uma experiência completamente diferente, mas completamente. Por motivos vários, porque a peça levou várias mudanças, porque o meu papel é outro, nada tem a ver com o de Amália pequena. Porque a idade é outra e a bagagem também. É uma peça única, apesar de já a ter feito há 17 anos atrás.

10
Jun17

A Volta ao Mundo em 80 Minutos [Produções Filipe La Féria]


O Informador

a volta ao mundo em 80 minutos.jpg

O Salão Preto e Prata do Casino Estoril tem recebido nos últimos anos vários espetáculos criados, pensados e levados a palco por Filipe La Féria e os meses que se aproximam contarão com a nova loucura do produtor e encenador que colocou João Baião no centro de um elenco que dá A Volta ao Mundo em 80 Minutos. Existem dúvidas que só por si Baião já é sinal de sala esgotada?

Para já é necessário descansar o público das longas sessões das produções Filipe La Féria que este espetáculo não tem somente 80 minutos como o seu título pode fazer querer, sendo mais longo que isso. A viagem realmente tem essa duração, mas existe um antes, um durante e um depois com alguns extras pelo meio que vão prolongando a viagem de Phileas Fogg e o seu Passepartout. As duas personagens centrais da história, protagonizadas por João Baião e Filipe de Albuquerque, respetivamente, foram inspiradas no mundo fantástico de Júlio Verne que sempre conquistou o produtor e autor deste texto que poderá ser visto ao longo dos próximos meses pelo Casino Estoril. 

Idealizado e pensado para o público português mas também para os turistas que visitam cada vez mais o nosso país e a zona do Estoril, A Volta ao Mundo em 80 Minutos faz a união entre o show glamoroso de casino e a comédia musical com a finalidade de entreter o público. João Baião é nesta aposta a grande estrela ao lado de um elenco que conta com Dora, Paula Sá e Ricardo Soler também em palco, sessão após sessão, música atrás de música e sempre com coreografias bem cuidadas da responsabilidade de Marco Mercier. Um elenco com menos atores que outras produções mas com dezasseis bailarinos que enchem de cor e movimento aquele palco sem falhas e talvez numa das melhores prestações de bailado a que assisti num musical de La Féria. Catarina Pereira, Carina Leitão e Samuel de Albuquerque constituem o restante elenco e são talvez a surpresa. Com grandes vozes e bons momentos a solo e em dupla, estão encontrados os rostos dos próximos musicais nacionais porque talento existe, só tem de ser encontrado e depois valorizado, como parece estar a acontecer nesta aventura pelo Mundo em apenas 80 Minutos.

Este não é daqueles espetáculos formatados, testados por outros países e que depois alcançam em mais um país o sucesso. Esta aposta é nacional mas leva os espetadores a partirem com as personagens de Phileas Fogg e Passepartout pelo Mundo. A viagem começa em Portugal e logo paramos em Espanha, para partirmos pela Europa fora, passando por África, Ásia e pelas Américas. Cada Continente tem os seus países e protagonistas a marcarem posição em palco com recurso a vídeos muito bem tratados e ao som de temas e danças alusivos a cada nação. Tudo isto sem esquecer as tricas a cada líder e a várias figuras importantes da História e da atualidade mundial. 

19
Mai17

Está a chegar... A Volta ao Mundo em 80 Minutos


O Informador

a volta ao mundo em 80 minutos.jpg

Filipe La Féria prepara-se para estrear um novo espetáculo na sala do Casino Estoril, A Volta ao Mundo em 80 Minutos. Com João Baião como anfitrião e grande figura de destaque deste espetáculo que conta também com Dora, Filipe de Albuquerque e Paula Sá entre outros rostos do teatro e bailado nacional.

A Volta ao Mundo em 80 Minutos tem estreia marcada para dia 25 de Maio, Quinta-feira, e promete arrancar muitas gargalhadas junto do público que assista a esta nova aposta de Filipe La Féria que promete ter em mãos uma divertida comédia, tal como tem sido característico nas interpretações de João Baião nos espetáculos do produtor. 

Numa viagem mágica e recheada de fantasia por Portugal e pelo Mundo, La Féria inspirou-se desta vez na obra de Júlio Verne e nas suas personagens Phileas Fogg e Passepartout para criar a trama de A Volta ao Mundo em 80 Minutos. Uma viagem pelos quatro continentes onde além da representação os bailados e as canções tomam lugar no imaginário dos espetadores. 

João Baião é a grande estrela deste espetáculo com a sua energia, humor e inteligência, tendo ao seu lado de forma permanente o jovem ator Filipe de Albuquerque que interpreta assim um Passepartout ao modo de Sancho Pança com Quixote. Dora, Paula Sá, Ricardo Soler, Catarina Pereira, Carina Leitão e Samuel Albuquerque compõem o restante elenco a quem se junta um grande grupo de bailarinos e acrobatas neste espetáculo coreografado por Marco Mercier. 

11
Mai17

Vencedores de Amália - O Musical de Filipe La Féria [13-05-2017]


O Informador

amália 2017.jpg

Após seis anos de sucesso, o musical Amália está de regresso aos palcos pela mão de Filipe La Féria no Teatro Politeama. Com Alexandra à frente de um elenco competente entre estreantes e rostos que já haviam passado pela primeira e longa temporada do espetáculo, este musical regressou para continuar o sucesso de outros tempos e a prova são as sessões esgotadas que continua a ter, uns meses já após a estreia desta nova versão de Amália. 

Vi, gostei e recomendei e tenho agora a oportunidade de oferecer convites duplos aos leitores do blog. Nesta primeira oportunidade estiveram cinco convites duplos em sorteio para a sessão das 17h00 do próximo Sábado a serem sorteados e é chegado o momento de revelar os vencedores que serão contactados via email também. Sara Tanqueiro, Graziela Costa, Joana Afonso, José Lopes e Dora Bárbara foram os selecionados através do sistema random.org e são assim os eleitos para assistirem a esta sessão. 

08
Mai17

Bilhetes para Amália - O Musical de Filipe La Féria [13-05-2017]


O Informador

amália.jpg

2000 assinalou a estreia do musical Amália, encenado e produzido por Filipe La Féria para o Teatro Politeama. Após sessões e sessões de sucesso e de sala cheia ao longo de seis anos, o grande espetáculo terminou para dar lugar a outras produções. Agora, em 2017 e com um elenco com rostos da anterior e brilhante temporada desta aposta de La Féria e com vários atores e cantores novatos no trabalho, eis que Amália - O Musical de Filipe La Féria está de regresso e a (re)conquistar o público que dia após dia continua a esgotar a assistência da sala lisboeta.

Com Alexandra, Anabela, Liana, Carlos Quintas, Tiago Diogo à frente de um elenco com mais de cinquenta fadistas, atores, músicos e bailarinos, Amália está excelentemente surpreendido, obedencedo e dando continuidade ao sucesso de outrora. Como vi, gostei e recomedei, agora quero que todos vocês possam ter a oportunidade de assistir a este espetáculo que continua e continuará pelos próximos tempos em cena de Quarta-feira a Sábado pelas 21h30 e aos Sábados e Domingos às 17h00.

Como podes ganhar um dos cinco convites duplos para a sessão das 17h00, do próximo Sábado, dia 13 de Maio? Ora lê o que se segue!

“Amália - o Musical” de Filipe La Féria, foi uma das últimas vontades de Amália Rodrigues que em 1998 manifestou-me o desejo de ver a sua vida num grande musical. Em 1999 o musical subiu a cena no Casino do Funchal tornando-se no maior sucesso de sempre a nível nacional e internacional do espectáculo em Portugal que, só em Paris teve cinquenta mil espectadores na sua apresentação no Zenith, percorrendo todas as capitais francesas e suíças e ultrapassando todos os recordes de audiências.“Amália – o Musical” é um espectáculo transversal a todo o público que obteve todos os prémios de melhor espectáculo nacional e a aclamação unânime da crítica internacional.Esta nova versão terá a participação de todo o elenco original que reúne os mais significativos nomes do Fado e do Teatro Português como Alexandra, Anabela, Liana, Carlos Quintas, Tiago Diogo à frente de um elenco de mais de 50 fadistas, actores, bailarinos e músicos.

20
Fev17

Avenida Q


O Informador

avenida 1.png

As expetativas com Avenida Q iam altas mas tenho que dizer uma coisa a quem pensa ir ver! Vão porque tudo o que podem esperar é um excelente musical importado diretamente da Broadway. Bom demais e acima de qualquer ideia com que se possa entrar no Teatro da Trindade para assistir a hora e meia de pura diversão. Fiquei rendido do início ao fim sem qualquer falha de atenção. Isto é (pausa e tambores) muuuuuuito boooooooooooooooom!

Não li longos comentários nem a sinopse de Avenida Q, só ouvindo conversas de café e alarido nas redes sociais em torno deste espetáculo adaptado em Portugal pela Força de Produção. Rapidamente fiquei com vontade de ver para perceber afinal a qualidade do que diziam ser tão bom e que andava a esgotar todas as sessões. Fui e só tenho a dizer que este musical é uma grande lufada de ar fresco do que tem sido feito entre nós em termos teatrais. 

O público é convidado a conhecer os habitantes de um «condomínio» de uma qualquer rua lisboeta onde pessoas e monstros coabitam sem qualquer preconceito. Perdão, todos somos preconceituosos e não vale a pena arranjar justificações contrárias. Este é um dos primeiros temas a serem debatidos onde o racismo, a homossexualidade, os medos, o amor e a profissão tomam lugar porque afinal de contas conseguimos vencer mas também cometer diversas falhas ao longo das oportunidades que a vida nos dá. Avenida Q é um consciencializador social que de forma divertida toca em temas sensíveis e que acabam por estar nas proximidades ou em qualquer um.

Entre bonecos que misturam o universo de Rua Sésamo e os Marretas e atores de carne e osso, esta avenida tão bem frequentada é daquelas produções que todos devem e têm a obrigação de ver porque se existe alguma coisa bem feita neste momento no teatro nacional é Avenida Q, que sem falhas, com um bom texto, toques bem colocados na adaptação para a nossa realidade social e um elenco excelentemente competente consegue chegar junto do público de forma eficaz, provocando e sem cansar. 

Ana Cloe, Artur Guimarães, Diogo Valsassina, Gabriela Barros, Inês Aires Pereira, Manuel Moreira, Rodrigo Saraiva, Rui Maria Pêgo, Samuel Alves, Artur Guimarães, Luís Neiva e André Galvão formam um elenco, entre fixos e substituições, tão coeso que se percebe que existe amizade e carinho em palco onde a cumplicidade das personagens parece ir muito mais além dos momentos que são vistos. Quando as pessoas se gostam percebe-se e neste espetáculo todos se gostam e acima de tudo, todos estão a gostar de estar em Avenida Q onde a Marta Monstro, a minha monstrinha favorita do musical, a irreverente e provocadora Paula Porca, o sonhador e aparentemente solitário Luís se juntam a outros colegas bonequeiros para comporem o lote de rostos que desfilam assim a sua vida em palco, aquela vida que pode muito bem traduzir a de qualquer um de nós. 

18
Fev17

Amália - O Musical de Filipe La Féria


O Informador

amália 1.JPG

Filipe La Féria criou e em 2000 estreou o seu maior sucesso em musicais. Amália - O Musical de Filipe La Féria, inspirado na vida de Amália Rodrigues chegou e logo conquistou o público para que a sua primeira e longa temporada durasse mais de três anos com a passagem pelas mil representações no Teatro Politeama e com uma tournée nacional onde o Porto recebeu este musical tão aplaudido. Agora, quase quinze anos depois da última sessão, eis que o regresso aos palcos acontece e o sucesso volta a espreitar esta produção do produtor que tem lutado pelo teatro em Portugal.

Com Alexandra de novo à frente de um elenco onde constam nomes como o de Anabela, Carlos Quintas, Hugo Rendas, Patrícia Resende e Tiago Diogo, o espetáculo Amália, cujo não vi da primeira vez, marca assim o seu regresso com uma estreia auspiciosa, levando a assistência para o mundo da fadista que levou o nosso país além fronteiras. A criança que foi, excelentemente interpretada, a jovem e a grande e soberba diva do fado com que caminhou até à morte fizeram de Amália Rodrigues um ícone. Uma criança que cantarolou pelas ruas de Lisboa e que desde cedo, mesmo contra a vontade familiar, foi conquistado quem a ouvia para que se iniciasse nos palcos, aqueles palcos que a levaram ao estrelato onde Paris, Rio de Janeiro e o Japão estiveram na sua agenda de espetáculos ao longo de uma vida onde os amores não foram esquecidos mesmo em tempo de revolução política. 

Em Amália - O Musical de Filipe La Féria toda a vida de Amália é recontada de forma cativante, emotiva e festiva onde o Fado toma lugar entre textos e guitarradas que puxam pelo público para que não sinta que esta produção não é mais uma, é a melhor da autoria de La Féria, aquela que fez sucesso e que agora voltou com um elenco renovado mas com estrelas de outrora a interpretar os mesmos ou outros papéis porque o tempo passa mas a marca deixada entre nós de Amália jamais ficará esquecida. 

Filipe La Féria está de novo de Parabéns por voltar a apostar num sucesso que tanto público recebeu e que está disposto a voltar para recordar. Com duas pequenas atrizes a darem os primeiros passos e com garra para o Fado, com uma Anabela adorada pelo espetadores do Politeama e com Alexandra que por muito que se vá, como eu ia, com a ideia que iria ver mais do mesmo, fiquei deveras surpreendido com a estrela maior que enquanto Amália na fase mais velha encanta logo de início ao lado da pequena Amália que conquistou desde logo pela sua simplicidade em palco. 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários Recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________