Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Atual leitura... O Homem Mais Inteligente da História [Augusto Cury]

O Homem Mais Inteligente da História.jpg

Psiquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor, Augusto Cury é autor de diversas obras reconhecidas internacionalmente pelo modo como expõe a investigação  sobre os diversos temas que aborda. Da educação com Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes, ao bem-estar com Felicidade Roubada e passando ainda pelo futuro da humanidade através da publicação de A Saga de um Pensador, estes são apenas alguns dos títulos lançados em Portugal através da editora Pergaminho e que sempre têm obtido o sucesso e alcançado os tops de vendas. Não conheço a obra de Augusto Cury enquanto leitor, o que irá mudar agora através da leitura do novíssimo O Homem Mais Inteligente da História.

Boneca de Luxo [Truman Capote]

boneca de luxo.jpg

Autor: Truman Capote

Editora: Dom Quixote

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Junho de 2009

Páginas: 120

ISBN: 978-972-20-3132-5

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Holly Golighly é mais do que uma boneca de luxo. Deslumbrante, espirituosa e ternamente vulnerável, inquietando as vidas dos que com ela se cruzam, é retratada por Truman Capote em Breakfast at Tiffany’s (Boneca de Luxo), um romance tocante e singelo sobre a amizade, que constitui uma autêntica história de sedução. 

Verdadeiro clássico da literatura americana contemporânea, nele se inspirou Blake Edwards para o filme homónimo protagonizado por Audrey Hepburn.

 

Opinião: Boneca de Luxo é um dos clássicos mundiais da autoria de Truman Capote que através da facilidade que conta a história conquista o leitor que se vê confrontado com a vida de Holly logo a partir das primeiras páginas, sem querer parar de saber o que terá acontecido a esta jovem mulher que vê desfilar todas as oportunidades para ficar bem na vida, mas é como acompanhante que consegue viver. 

Através de um narrador que vive no mesmo edifício de Holly e que a mesma batiza por Fred, o nome do seu irmão, vamos conhecendo o dia-a-dia desta jovem solitária, de horários trocados, dona de um certo mistério e detentora de uma sensualidade única. O que fará Holly para ter hábitos de vida diferentes dos restantes residentes do prédio onde habita em Nova Iorque? Aos poucos o leitor é convidado a conhecer os encontros ocasionais de Holly com o seu vizinho Fred que vai ganhando espaço e lugar na vida desta figura noturna que parece ter na solidão uma arma forte contra os que a rodeiam. 

Escrito nos finais de 1950, Boneca de Luxo retrata de forma perspicaz o sonho de jovens de todos os tempos em alcançar a fama e o êxito, mesmo que se comentam erros e se caia em perigosas mentiras que mudam uma vida. Incentivada por um agente de Hollywood para brilhar como atriz, Holly parte de um meio pequeno para a grande cidade com a finalidade de encontrar oportunidades para que aos poucos o seu nome se torne conhecido, só que o interesse pela vida e dinheiro fáceis tornam-se bem mais atraentes, o que aliado à sua beleza e juventude atrai os homens poderosos e influentes, só que nem tudo corre da maneira que a jovem deseja. 

20|20 Editora na Feira do Livro de Lisboa

eu amo livros.png

As novidades para a 87ª edição da Feira do Livro de Lisboa não param de surgir e acabaram de chegar as últimas notícias do grupo 20|20 Editora e sabem o que vos digo desde já? Paula Hawkins, autora de A Rapariga no Comboio e de Escrito na Água está de presença marcada pelo evento nos dias 10 e 11 de Junho. 

Este ano o grupo que reúne as editoras Booksmile, Elsinore, Nascente, Topseller e Vogais irá contar com doze pavilhões, três palcos e vários motivos de atração entre os dias 1 e 18 de Junho pelo recinto da Feira do Livro. Fazendo a evolução de um pavilhão em 2010 até aos doze em 2017, quem passar pelo espaço da 20|20 Editora não irá ficar indiferente à variedade de livros apresentados, tal como às diversas atividades, atrações e experiências que irão ocorrer ao longo dos dias. De sessões de autógrafos com autores nacionais e internacionais, a workshops, showcookings e conversas com vários dos nomes que publicam as suas obras através das diversas editoras do grupo, muita coisa está prevista acontecer. 

Paula_Hawkins.jpg

O nome mais sonante que estará à disposição para conversar com os seus fãs será Paula Hawkins. O ano passado a expetativa estava elevada mas a autora não conseguiu visitar Portugal na altura do certame, mas desta vez a sua presença está confirmadissima no espaço da 20|20 Editora, fazendo com que nos dia 10 das 15h00 às 18h00 e 11 das 14h30 às 16h00 a Feira receba uma das autoras que mais vende no Mundo atualmente. A Rapariga no Comboio já vendeu mais de vinte milhões de exemplares e os números continuam a crescer agora na companhia de Escrito na Água que mal foi lançado entrou diretamente para o primeiro lugar dos tops de vendas mundiais. 

Para além de Paula Hawkins são vários os nomes das cinco editoras do grupo a marcarem presença na Feira do Livro, como é o caso de Paulo Moura, António Marujo, Nuno Tiago Pinto, Maria João Viana, Cristina Leal, Filipa Veiga, Paula Raposo Esteves, Maria da Luz Rodrigues, Marisa Valadas, Carina Barbosa, João Magalhães, Paula Beirão Valente, Nelson Nunes, Maria João Fialho Gouveia, Sofia Rito, Sofia Loureiro, Juliana de’Carli, Magda Roma, Ana. R. Bravo, Maria Antónia Peças, Susana Alves e Carolina Santo. 

O que é um blog de sucesso?!

Ao longo da leitura de Ser Blogger, da autoria de Carolina Afonso e Sandra Alvarez, fui percebendo que vários dos blogs «de sucesso», que servem de exemplo ao longo deste bom guia explicativo, podem ser conhecidos mas pelos dados revelados em alguns dos casos acabei por constatar que ser um blogger de sucesso é ter menos visualizações que eu e mesmo em alguns casos um menor número de seguidores pelas redes sociais. 

Existe um caso partilhado pelo livro em que no total do mês o blog consegue ter as mesmas visualizações que o meu num só dia bom ou em três dias normais, tendo o mesmo estilo de público alvo que eu, entre os 24 e os 35 anos de idade e uma percentagem maior de mulheres a visitarem que homens. Existe uma diferença de visitantes e visualizações abismal entre os valores daquele exemplo de blog e do meu caso, mas se um é de sucesso sem números, O Informador não o é, pelo menos segundo o meu ponto de vista, mesmo tendo um maior volume de visitantes. A análise foi feita recorrendo a vários bloggers nacionais, mas se uns são conhecidos e com um grande número de visualizações, existem os que aparecem e que são somente conhecidos dentro do «nicho» do tema que abordam, tendo bem menos pessoas a passarem diariamente pelo espaço online.

Ter um blog de sucesso é sempre uma questão de pensamento da pessoa! Para mim o meu não é de sucesso, é um blog que tem crescido com dedicação mas que ainda está longe do sucesso. Existe depois quem olhe para o seu projeto e o considere cheio de trunfos e estrelas mas poucos são os que por lá passam. 

Todos os Dias Morrem Deuses [António Tavares]

todos os dias morrem deuses.jpg

Autor: António Tavares

Editora: D. Quixote

Lançamento: Abril de 2017

Edição: 1ª Edição

Páginas: 176

ISBN: 978-972-20-6247-3

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: 1953. Este é um ano rico em acontecimentos: Eisenhower é eleito Presidente dos EUA, Churchill ganha o Prémio Nobel da Literatura, os Rosenberg são acusados de espionagem e executados, Tito torna-se o timoneiro da Jugoslávia… 

E, porém, os factos que atraem o protagonista deste romance - um jovem jornalista sem dinheiro que deambula por uma Lisboa de cafés e águas-furtadas - são claramente delicados em tempo de censura, pois prendem-se com as múltiplas conspirações que rodeiam a morte e a sucessão de Estaline na União Soviética. 

Não só é preciso que escreva com pinças para fintar o regime, como a informação que lhe chega de fora é escassa e contraditória, obrigando-o a dar largas à sua imaginação…

Muitos anos depois, de regresso à aldeia onde nasceu e a que o liga a memória da mãe, sente o rasto da velhice na metáfora de uma fogueira que vai consumindo o que ainda lhe sobra desse passado e relembra as mulheres que o marcaram e os deuses que ajudou a criar na sua prosa diária.

 

Opinião: Decorre o ano de 1953 e encontramos-nos em Lisboa, na vida de um jovem jornalista responsável pela área internacional de um jornal nacional. Os acontecimentos do Mundo que marcaram a História daí em diante têm de ser relatados, nem sempre como acontecem, mas sim como convém, tendo o cuidado com o controlo da época, tal como com a criação floreada por vezes de certos temas que não chegavam com grandes bases a Portugal para serem noticiados à sociedade. Era necessário criar história dentro do que era possível fazer, nem que para isso se inventasse um pouco com o que acontecia do outro lado do planeta e que estava bem distante para se confrontar a notícia com a verdade dos factos. 

A premissa de Todos os Dias Morrem Deus é boa, no entanto não a vi com um bom desenvolvimento, tendo os factos históricos desfilados muito rapidamente e sem grande pormenorização, sendo feito algo corrido sem conseguir dar destaque à História como devia ter acontecido. O leitor fica com aquela ideia que, sim isto aconteceu, ok, talvez se fique com a noção que já se devia ter, mas não se levam os acontecimentos mais além, para as repercussões, por exemplo, que uma decisão levou junto da população. 

Dupla leitura

Ao perceber que estou a ler dois livros ao mesmo tempo um colega não literário e que nem sequer se lembra do último livro que leu no tempo de escola afirma... «Não se devem ler dois livros ao mesmo tempo!». Sério? Quem são as pessoas sábias em literatura que ao não sentirem gosto pelas palavras ainda opinam sobre o modo como os outros o fazem?

Mostrei que é possível mas como existem seres com quem não vale a pena sequer entrar em contradição deixei-o ficar com a sua opinião, tendo dado a minha e mostrando que é possível sim, basta querer, ter concentração e gostar de ler, em detrimento de passar dias a dormir e a olhar para o vazio em espera de que algo aconteça e que lhe bata na cara como se de um copo de água bem gelada se tratasse para o acordar. 

Não percebo como quem não gosta consegue ter uma opinião tão bem formada sobre assuntos particulares e que somente são entendidos por quem desfruta dos mesmos. Não leem, não têm sequer capacidade de concentração numa coisa e acham que todos têm de ser iguais. Não conseguem seguir dez séries ao mesmo? Não conseguem seguir várias conversas numa mesa ao mesmo tempo? Quando estão a conduzir somente conseguem ter visão sobre um dos lados ou pela frente? Sinceramente não entendo as pessoas que acham que o ser humano só se tem de concentrar numa só coisa quando o seu tempo pode perfeitamente ser partilhado.

TAG Feira do Livro

A Mulher que Ama Livros lançou a TAG Feira do Livro e a Holly Reader foi uma das nomeadas para lhe seguirem o exemplo. Agora e porque as meninas não estavam contentes, eis que fui chamado a responder também às várias questões da TAG, mas desta vez ainda não irei fazer vídeo. Quem sabe numa próxima. 

Vamos lá então...

  1. Um livro que se passe em Lisboa - A Magia do Acaso, da autoria de Tiago Rebelo e lançado pela editora ASA. Podem saber um pouco mais sobre a obra e a opinião que tenho sobre a mesma aqui.

  2. Indica um livro para ler no Verão - Larga quem não te agarra, da autoria de Raul Minh'Alma e lançado pela Manuscrito. A razão desta escolha é simples e pode ser explicada com dois fatores. Primeiramente de leitura simples e depois também porque ao ser um livro de reflexão e já que os dias de férias, por exemplo, também servem para recarregar baterias, nada melhor do que pensar no ano que está um pouco em modo pausa para recomeçar de novo, dando novas oportunidades aos outros e a nós próprios. Podem saber um pouco sobre a obra e a opinião que tenho sobre a mesma aqui

  3. Indica um livro doce - Feliz Aniversário, da autoria de Danielle Steel e lançado pela Bertrand Editora. A escolha desta sugestão é simples. Algo mais doce do que a união familiar? Este é um romance simples e onde o amor acontece. Quando pensei em doçuras logo pensei em Danielle Steel e dentro das opções, nada melhor que este título que nos transporta por um bom ambiente familiar, como se estivéssemos a percorrer um percurso recheado de coisas boas para ir saboreando ao longo da vida. Podem saber um pouco mais sobre a obra e a opinião que tenho sobre a mesma aqui

     

  4. Qual o autor que deveria ir à Feira do Livro - Danielle Steel, que sabem que é uma das minhas autoras de romance preferidas. J. K. Rowling seria interessantíssimo ouvir falar sobre os seus mundos fantásticos junto dos fãs. 
  5. Elege as tuas três editoras preferidas - Não criando um top mas sim enumerando de forma aleatória. Editorial Presença e Bertrand Editora pelo facto de serem as editoras de sempre e com as obras com que mais me tenho identificado ao longo dos anos. Seja no romance, no suspense, estas duas editoras têm nomes fortes, com capas que dão nas vistas e que me conseguem prender. Mais recentemente tenho ficado fã da Topseller dentro do estilo thriller e até agora nenhuma outra me conseguiu conquistar dentro deste estilo como a editora do grupo 20|20.
  6. Indica um livro muito bom com mais de 18 meses - O Quarto de Jack, da autoria de Emma Donoghue. Posso parecer cliché com esta escolha, mas este é um dos meus livros de coração e que aconselho vivamente por mostrar a perseverança e vontade de vencer na vida. 

  7. Já pediste autógrafos? Mostra - Não sou de pedir autógrafos por vergonha talvez de me dirigir às pessoas de forma a lhes roubar um pouco do seu tempo quando todos temos direito ao nosso espaço de forma livre. Existem as sessões de autógrafos mas mesmo ai não sou de ficar em espera em busca de uma assinatura e um comentário igual por vezes a tantos outros. Tenho um livro do NunoNepomuceno ainda por ler que o autor me enviou autografado e sei que existem mais uns que foram enviados também já com o autografo dos seus autores, mas nada pedido por mim ou por me ter dirigido à pessoa com a finalidade de pedir a sua assinatura numa das suas obras. Já agora Obrigado Nuno!

    autografo nuno nepomuceno.jpg

  8. Dois livros que compraste nos anos anteriores e ainda não leste - Neste campo vale mais recorrer ao provérbio... «Vale mais uma imagem que mil palavras.» Não sei quais foram comprados na Feira do Livro ou oferecidos no Natal e assim, mas sei que já por cá andam há uns meses e mesmo anos em espera para serem lidos!

    livros em espera.jpg

  9. Revela dois livros que pretendas comprar este ano - Escrito na Água de Paula Hawkins, a autora de A Rapariga no Comboio que lançou assim o seu segundothriller. E tentar completar a coleção já extensa das obras de Danielle Steel que sei que me faltam uns lançamentos antigos pela biblioteca cá de casa e que ainda não li. 

A Guerra e Paz na Feira do Livro de Lisboa

guerra e paz feira do livro de lisboa.jpg

Prestes a começar mais uma edição da Feira do Livro de Lisboa, que decorre de 1 a 18 de Junho, no Parque Eduardo VII, como sempre, a editora Guerra e Paz, que irá marcar presença pelo pavilhão B29 com as suas publicações ao longo de todo o evento, acaba de divulgar a lista das sessões de autógrafos já confirmadas.

Sendo assim e pelo dia 3, às 17h00, darão a conhecer a coleção Os Livros Estão Loucos? Estão em Festa num evento especial junto dos leitores e visitantes da Feira. Logo no dia seguinte, Domingo, 4, será a vez de Marco Neves, pelas 15h00 e Luís Pereira de Sousa, pelas 17h00, marcarem presença na feira para autografarem as suas obras. No Sábado, 10, pelas 17h00, Elizabete Agostinho estará disponível para conversar com os seus leitores, seguindo-se Jorge Rio Cardoso no Domingo, 11, pelas 15h00. Já na Terça-feira, 13 de Junho, será Maria Helena a autografar as suas obras pelas 16h30 e na Quinta-feira, 15, pelas 15h00, estão Io Appolloni e Carlos Quintas com a biografia da atriz e pelas 17h00 será a vez de João Lapa e Alexandre Fernandes a estarem presentes no certame da Guerra e Paz.

Atual leitura... Todos os Dias Morrem Deuses [António Tavares]

todos os dias morrem deuses.jpg

A escrita de António Tavares já não me é estranha. Em 2015 li O Coro dos Defuntos, obra vencedora do prémio Leya. Agora, ano e meio após o primeiro contacto com as criações do autor, eis que irei pegar em Todos os Dias Morrem Deuses para ver se a experiência de quatro estrelas em cinco volta a ser repetida ou ainda melhorada. 

Nesta narrativa tudo acontece a partir de 1953, ano em que vários acontecimentos importantes aconteceram em Portugal e no Mundo e onde um jovem jornalista se cruza com as conspirações da época para conseguir fugir da censura. Uns anos depois as memórias fazem-se sentir num regresso à aldeia que o viu nascer!

Um romance que espero ser inspirador sobre uma vida que enfrentou várias épocas sociais e que no final da corrida consegue fazer uma retrospetiva sobre tudo o que foi passando. 

Últimas confirmações do Grupo Porto Editora na Feira do Livro de Lisboa

feira do livro de lisboa 2017.png

O espaço do grupo Porto Editora na 87ª edição da Feira do Livro de Lisboa está cada vez com um maior número de eventos a decorrer e semana após semana têm sido confirmados autores para sessões de autógrafos e conversa com os leitores. Eis os últimos nomes confirmados, onde posso desde já destacar Cristina Ferreira, Luísa Ducla Soares e José Rentes de Carvalho. 

De 1 a 18 de Junho são dezenas de autores nacionais e internacionais a terem lugar cativo no espaço Autores que nos Unem no certame do Grupo Porto Editora com lançamentos, tertúlias, workshops, sessão de autógrafos, showcookings e conversa com os leitores, muita coisa irá acontecer ao longo dos dias de Feira e até os mais pequenos terão o seu espaço com complementos ao longo do evento. 

autores que nos unem circulo.jpg

Eis os autores que foram confirmados mais recentemente para estarem presentes na Feira do Livro este ano. Luís Naves, autor do livro 43 Anos e 6 Meses de Má Política (3 de Junho), Onésimo Teotónio Almeida, com o recentemente lançado A Obsessão da Portugalidade (3 de Junho), Paulo M. Morais com Voltemos à Escola (3 e 4 de Junho), José Rentes de Carvalho com o lançamento de A Sétima Onda (3 e 4 de Junho), Pedro Correia e Rodrigo Gonçalves estarão com o livro Política de A a Z (3 de Junho), António Marujo e Rui Paulo da Cruz com A Senhora de Maio: Todas as perguntas sobre Fátima (3 de Junho), João Pedro George, autor da biografia de Mota Pinto (4 de Junho), Helena Garrido com o livro A Vida e a Morte dos Nossos Barcos (4 de Junho), Maria da Conceição, coautora de Uma Mulher no Topo do Mundo (4 de Junho), Francesc Miralles, um dos autores de Ikigai (4 de Junho), Filipa Fonseca Silva, lança o livro Amanhece na Cidade (7 de Junho), Guilherme Valadão, autor de Era Uma Vez em Angola (10 e 15 de Junho), Isabel Valadão, autora de O Rio das Pérolas (10 e 15 de Junho), Pedro Andersson com o livro Contas-Poupança (10 de Junho), Cristina Ferreira, a apresentadora da TVI e autora de Sentir (13 de Junho), André Freire, autor de Para lá da «Geringonça» (17 de Junho), João Pedro Porto, autor do romance A Brecha (17 de Junho), Álvaro Laborinho Lúcio com O Homem que Escrevia Azulejos (18 de Junho), Sara Cardoso, com Escolho Ser Feliz (18 de Junho) e Dulce Regina, autora de Descubra as Suas Vidas Passadas com a Astrologia Kármica (18 de Junho).

Viajante à Luz da Lua [Antal Szerb]

viajante à luz da lua.jpg

Autor: Antal Szerb

Editora: Guerra e Paz

Lançamento: Abril de 2017

Edição: 1ª Edição

Páginas: 272

ISBN: 978-989-702-267-8

Classificação: 3 em 5

 

Sinopse: Mihály, um homem de negócios de Budapeste, vai pas­sar a lua-de-mel em Itália com a mulher, Erzsi. Os pro­blemas começam na primeira paragem, Veneza, mas é em Ravena que um antigo amigo de Mihály perturba o casal com histórias do passado.

Ao perder o comboio para Roma, Mihály foge da mu­lher e vagueia pelo país, numa viagem de autodescober­ta. Dividido entre o desejo e o dever, o que quer e o que os outros esperam de si, a boémia da adolescência e as responsabilidades de adulto, Mihály reencontra os seus fantasmas e questiona o sentido da vida.

Amor e morte cruzam-se neste romance trágico-cómico de 1937, uma obra-prima do húngaro Antal Szerb, traduzida em diversos países, e que chega final­mente a Portugal.

 

Opinião: Viajante à Luz da Lua é um Clássico da Literatura Húngara e por ai já me fez ter interesse na sua leitura. Primeiramente porque é um clássico bem comentado e depois porque não estou habituado a ler autores húngaros e com este romance consegui fazer o dois em um. Mas no final da leitura fiquei com uma sensação estranha sobre a opinião que posso dar sobre a obra. 

De leitura fácil, recurso a um bom vocabulário que não necessita de ser elaborado para agradar ao leitor e com uma história fluída, no entanto e embora tenha acompanhado toda a narrativa que me prendeu, não consegui encontrar-me do lado de Mihály. O protagonista da história é um ser complicado, de baixa auto-estima e com um género bem individualista gerado também pela sua timidez e incapacidade de compreensão dos outros, no entanto o leitor entende estas descompensações mas não consegue encontrar um ponto com que se identifique para pegar na leitura e se ir debatendo por um final feliz. Percorremos Itália com uma visão de turista a descobrir o país e ao mesmo tempo em busca da perfeição que num ser complicado é difícil de alcançar. Fiquei com a sensação de uma boa história mas com uma grande falha quanto ao assumir a personalidade de cada personagem de forma direta, tal como o pouco cuidado de descrição para com os locais percorridos. 

Atual leitura... Viajante à Luz da Lua [Antal Szerb]

viajante à luz da lua.jpg

Diretamente da literatura húngara do século XX para Portugal do século XXI, chega até nós através da Guerra e Paz Editores a obra de Antal Szerb, Viajante à Luz da Lua. Num romance entre o amor e a morte com Itália como pano de fundo, esta obra que foi traduzida por vários países chega finalmente a Portugal e até mim.

Irei pelos próximos dias conhecer as vivências de Mihály por Itália numa aventura que começa como uma escapadela romântica para acabar por se transformar em momentos de solidão e de auto descoberta sobre a presença de um ser no universo e perante uma vida que o enfrenta no dia a dia.

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários recentes

  • O Informador

    Uma comédia muito bem disposta, sem dúvida!

  • Carla Moita

    Olá Ricardo,Eu estou desempregada no estrangeiro, ...

  • Anónimo

    Adorei a peça e ri até chorar quase do princípio a...

  • O Informador

    O que aconteceu esta semana vejo como uma tentativ...

  • Alexandra

    Completamente de acordo. Acho que ela demonstrou m...

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________