Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Vergonha de blogger

Quem me conhece sabe que a lidar com desconhecidos e com uma pequena multidão sou um pouco, para não parecer assim tão mal, acanhado, mas aos poucos e em certas situações começo a perder a dita vergonha, principalmente nos temas que dizem respeito ao blog. 

Lembro-me perfeitamente como se tivesse a acontecer agora mesmo da primeira vergonha que apanhei aquando do levantamento de um convite teatral em Lisboa. Dirigi-me à bilheteira e assim que disse o meu nome, a pessoa que estava no atendimento disse-me de imediato que seguia o meu blog. Eu, sem esperar tal reação que não foi feita de forma discreta, fiquei em modo tomate, envergonhado até mais não, sem saber que dizer e somente com vontade de ter o bilhete na mão e desaparecer com uma vergonha tão grande que não consigo explicar. Fiquei super constrangido por ter sido reconhecido pela primeira vez por uma pessoa que seguia o blog e com quem falava por email para combinar as formas de parceria. 

Após esta vergonha existiram várias situações em que senti estar a ser reconhecido por leitores, ficando envergonhado e tentando disfarçar ou sair mesmo do local, mas nada como a primeira vez. Tudo bem mais tranquilo. Agora começo a ficar mais calmo e ambientado com a situação. Já vou a bilheteiras e sou reconhecido porque me seguem pelas redes sociais, falamos e não fico com tensão só de pensar que vão dizer que sou o Ricardo d' O Informador, já não sentido aquele nervoso miudinho de ter de falar com pessoas que conheço somente pelo Instagram, Facebook ou Twitter

Já tenho curriculum...

Confesso aqui e agora que ao estar dez anos numa empresa nunca tinha feito um curriculum vitae para me meter por novos caminhos.

Agora que tudo terminou lá arregacei as mangas e fui até à página do Europass onde dediquei durante uns bons minutos o meu tempo a relatar a experiência profissional, a educação e formação, as competências pessoais e alguma informação adicional que acho importante destacar, já que trabalhei para três empresas ao longo destes dez anos, só que tudo não passou de alterações estratégicas de patrões e altos cargos que fizeram com que mudassem a empresa de nome várias vezes e acho que isso até pode ser relevante destacar, mostrando que fui um funcionário que mesmo com os finais de contrato e alteração de empresa numa fui dispensado e por lá teria continuado se não tivesse existido o incêndio que culminou num final antecipado. 

Agora com curriculum feito e o estado na segurança social ainda a ser analisado e com a mensagem Deferido a não me deixar descansado, aguardo que esta situação fique definitivamente resolvida para a partir dai perceber realmente que caminho seguir. 

Diário dos Imperfeitos [João Morgado]

diario dos imperfeitos.jpg

Autor: João Morgado

Editora: Casa das Letras

Lançamento: Fevereiro de 2017

Edição: 1ª Edição

Páginas: 384

ISBN: 978-989-741-673-6

Classificação: 4 em 5

 

Sinopse: Diário dos Imperfeitos é uma viagem à intimidade das pessoas. Vítima de um acidente, a Gaivota é uma mulher que precisa de redescobrir todas as emoções sequestradas dentro de si. Ao mesmo tempo, reaprende a conhecer o seu corpo - uma aventura refreada pela moral, pela sombra do pecado e pelo medo que pode levar à própria insanidade. Uma luta interior entre o bem e o mal, que leva a uma inevitável conclusão: todas as pessoas são imperfeitas!

Como irá reagir de novo à sua realidade? Voltará a ser quem era? E os que estão a seu lado, como vão sobreviver a esta viagem?

Uma escrita intimista, que procura descortinar os sentidos e as emoções dos diferentes personagens. Do prazer mais carnal ao amor puro, passando pela falsa moral da sociedade e da religião. Pelo meio, a filosofia simples de duas personagens inusitadas - a mulher que lê pensamentos e um pintor de sóis na parede. São eles que levam o narrador a perceber os sentimentos da Gaivota e nos ajudam a reflectir sobre temas tão controversos como o amor, o desejo, o sentimento de culpa ou o próprio nojo.

 

Opinião: Um acidente de viação dá o mote para que Gaivota e o nosso narrador se encontrem para uma viagem no tempo onde uma amnésia espontânea e a falta de rigor e vontade de uma mulher outrora desconhecida de todos se comece a desenrolar perante o olhar atento do leitor. Aos poucos o nosso herói, que não desiste de lutar pela sua companheira, percebe que poderá através da escrita ajudar Gaivota a sair do refúgio que criou para que as suas emoções sejam provocadas como forma de reação.

Uma história dentro da história começa a ser criada onde dois jovens se conhecem, conquistam, passam por conturbadas experiências de vida, mas conseguem chegar a um final que posso-vos dizer... Poderá ser previsível e quando lá cheguei pensei que seria mais que óbvio o que estava a ler, no entanto a narrativa foi tão bem embrulhada que nem coloquei a hipótese, em momento algum, que tudo se iria baralhar de uma forma sublime e bem apresentada.

Desconhecia por completo a obra e escrita de João Morgado mas bastaram os primeiros capítulos, que em Diário dos Imperfeitos são contados através do recurso a dias, para perceber que este livro é uma completa surpresa. Com um recurso fantástico às emoções que se desafiam de forma suave e verdadeira ao longo da narrativa, o autor consegue nesta obra levar as personagens ao fosso onde o isolamento toma lugar, para logo de seguida as colocar a sorrir de forma sincera e onde a perceção que aquilo pode acontecer, que tudo pode ser real, surge. Uma autêntica montanha russa onde o personagem masculino central, também narrador e escritor, acredita que consegue resgatar Gaivota do seu frágil estado com o cruzamento da sua própria história com a que lhe é contada por palavras escritas dia após dia, como se tudo se estivesse a desenrolar de forma real à sua frente, como se Laura e Santiago, as personagens fictícias, existissem. A reação de Gaivota ao sentir-se próxima do que lhe é relatado, as emoções da história que a puxam para a realidade onde existe uma vida e todo o Mundo para serem desfrutados. Um encontro de sentimentos onde os conflitos pessoais de cada um são confrontados com uma realidade nem sempre perfeita mas com a qual é necessário criar bases e alicerces para se conseguir atingir a felicidade. 

As fitas de finalistas...

Por esta altura do ano, finais de Abril e início de Maio noto uma certa afluência ao blog por um motivo especial. As dedicatórias para as fitas de finalistas.

Na verdade há uns anos postei de forma pública duas dedicatórias que fiz pelas fitas da minha Afilhada, quando saltou da pré para a primária e na de um Primo de faculdade. Desde ai que por estas semanas as visitas a esses dois textos sobem e os mesmos tornam-se constantes entre as publicações mais vistas de cada dia. 

Atual leitura... Diário dos Imperfeitos [João Morgado]

Vencedor do Prémio Literário Vergílio Ferreira 2012, Diário dos Imperfeitos é a primeira obra de João Morgado com que irei ter contacto. Já li bons e maus comentários acerca deste romance e não há nada como experimentar para ter a minha visão literária acerca da escrita e criação do também autor de Diário dos Infiéis. João Morgado foi distinguido também com as suas obras, contos, poesia e crónicas com o Prémio Literário António Saraiva 2016, Prémio Nacional de Literatura LIONS 2015, Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha 2015, Prémio Literário Alçada Baptista 2014 e com Prémio de Poesia Manuel Neto dos Santos 2015.

Diário dos Imperfeitos é a partir daqui a minha atual leitura e mais dia menos dia lá vos voltarei a falar deste livro para vos contar a derradeira opinião. 

Escultura insólita para o Centerário de Fátima

cristal atlantis.jpg             cristal.jpeg

O centenário das aparições de Fátima está ai e várias são as empresas a criarem símbolos para assinalarem o momento. Mas existem peças que acabam por surpreender. Reparem bem na obra que a Atlantis criou, de forma bastante cuidada, para assinalar os cem anos de Fátima. 

Uma peça de cristal a representar Nossa Senhora de Fátima mas feita com tanta dedicação que acabou por se tornar num mau produto final. 

Dia do Bulldog na Comercial

bulldog dia.png

A Rádio Comercial tem sempre algo a celebrar dia após dia e hoje, Sexta-feira, 21 de Abril de 2017, e porque estão na Disneyland Paris a celebrar os 25 anos do espaço com emissão especial, decidiram celebrar o dia do bulldog. O meu Tomé aparece assim, para vos cumprimentar em língua francesa neste seu dia! 

Novidades do Desempregado

Não, ainda não sou considerado um desempregado! Aparentemente estava quase tudo despachado com os documentos necessários para poder, ao fim de mais de um mês colocar os papéis e começar a pensar em seguir em frente. Tudo parecia estar a correr bem, quando falta afinal um comprovativo de aviso de receção!

Primeiramente, penso que tenho todos os documentos e lá vou eu, de forma rápida porque estou farto e cansado desta situação direito ao Centro de Emprego do Concelho onde habito. Dirige-me a um grupo de funcionárias no local que deveriam estar em pausa, pelo aspeto da situação, e coloquei a questão sobre onde poderia dirigir-me para dar entrada para o desemprego, isto porque logo percebi que não estava no sítio certo. De forma rápida e para me despacharem logo me entregaram um cartão com telefone e email da central da região onde me teria de dirigir para poder tratar da situação numa fase inicial. Tentei colocar uma questão sobre uma cópia e não um original que tinha comigo mas rapidamente me disseram que essa questão teria de ser colocada no local onde iria e não por ali. Ou seja, existe Centro de Emprego local mas para questões iniciais, pelo menos, somos reencaminhados para mais de trinta quilómetros de distância porque será mais fácil. Fácil para quem está sentado em amena cavaqueira porque não achei graça alguma ter de pegar no carro e lá ir. 

Não perdi tempo e meti-me a caminho para me despachar o quanto antes. Ao longo da viagem e com o contacto que me deram anteriormente fui tentando ligar para o Centro de Emprego para onde me estava a dirigir, já que podemos fazer marcação para que seja mais rápido. Mais de meia hora de viagem, com várias tentativas de contacto e ninguém me atendeu. Desisti, estacionei o carro e perguntei onde ficava o espaço. Lá fui excelentemente bem indicado que consegui à primeira encontrar o suposto final disto tudo. Entrei, tirei uma senha para «inserção no desemprego», logo veio o segurança perguntar qual o motivo de ali estar e fiquei a saber que a senha a ser retirada teria de ser a de «outros» entre mais de dez opções. Ok. Lá me fiquei e fui imediatamente chamado, pois pensei eu, porque fui chamado sim mas para uma tiragem, como no hospital e fiquei escalado para esperar uma hora, nem foi muito na verdade. 

O Homem que Sabe Pensar [James Allen]

o homem que sabe pensar.jpg

Autor: James Allen

Editora: Alma dos Livros

Lançamento: Novembro de 2016

Edição: 1ª Edição

Páginas: 72

ISBN: 978-989-997-050-2

Classificação: 2 em 5

 

Sinopse: Um clássico intemporal que tem inspirado milhares de leitores em todo o mundo, influenciado pensadores, filósofos e teólogos ao longo de décadas e, desde que foi publicado, tem sido citado e elogiado vezes sem conta por autores das mais diversas áreas. Mostra-nos que a nossa mente guia os nossos passos ao longo do caminho da vida e que aquilo que pensamos influência diretamente a nossa vida, algo que, muitas vezes, subestimamos. Mas, como começar e onde é que podemos procurar respostas? Como é que alcançamos a clareza de mente necessária que nos traz a iluminação e a felicidade? Este livro oferece respostas claras a essas perguntas.

 

Opinião: O Homem que Sabe Pensar reflete o poder do pensamento na nossa vida e no caminho que cada um, de forma individual, segue. O bem e o mal em opções diárias aparecem de forma coordenada para se seguir em frente e é ai que começam a surgir os caminhos que a mente vai selecionado para que se percorram sentidos derivados dos acontecimentos anteriores. 

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow

Comentários recentes

  • O Informador

    Não existiam canais televisivos e jornais diários ...

  • sotnas

    Nasci no inicio da decada de 50 do século passado....

  • O Informador

    Claramente que se não tiverem este tipo de notícia...

  • C.S.

    Mas provocar o pânico é tão mais divertido... Ou m...

  • O Informador

    Sem dúvida!

Atual leitura

_________________________________________________________

Mensagens

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________

 Subscreve O Informador