Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Mau serviço da Agência de Seguros

09.06.18Publicado por O Informador

tranquilidade.jpg

Regressemos a uma história que tem decorrido pelos últimos meses e que finalmente parece ter sido resolvida, o Seguro do Automóvel com a ficha de cliente com o contribuinte errado. Atenção que ainda só parece. Vou falar sobre o «Contribuinte? Errado», que já deu origem também ao texto «Lembram-se do Contribuinte? Errado!». Existem de facto novos desenvolvimentos nesta matéria e a última semana em que era possível fazer o pagamento foi chata, mesmo chata no que toca a este tema, já que a seguradora, ou melhor, o agênciado Tranquilidade que me prestou serviços até aqui, levou esta questão até ao último dia possível. 

O primeiro aviso de que tinha o contribuinte errado nos dados de cliente foi feito em Fevereiro, mês em que fiz o pedido de alteração na agência para que quando fosse emitido o novo pedido de pagamento não voltasse a existir qualquer erro. Até Maio nada foi feito, uma vez que recebi o documento com os dados para pagar o segundo semestre com o contribuinte errado. Voltei à agência e perguntei que se passava para nada ter sido feito. Deram indicação que iriam fazer novo pedido e para não efetuar pagamento porque iria receber novo documento retificado. As semanas passaram e nada de novo aconteceu. Eis que chegou a última semana possível para pagar, visto o prazo do seguro em vigor estar a terminar, volto à loja para perceber o que se passava e garantiram-me que nesse mesmo dia iriam enviar-me novo registo e um documento justificativo por não ter ainda a carta verde para os próximos seis meses. Acham que recebi alguma coisa nesse dia? Nada de nada! Isto foi a uma Segunda-feira, deixei passar um dia e na Quarta seguinte liguei, liguei e voltei a ligar a pedir esclarecimentos, sem me atenderem, enviei mensagem, sem resposta e ao final da tarde consegui que me atendessem onde me deram indicação que nesse mesmo dia iria receber os documentos. Mais uma vez as palavras que deram foram em vão. Eis que chega a Sexta-feira, último dia útil em que podiam fazer alguma coisa, fui até à agência e as coisas tinham que ficar resolvidas nesse dia. Disseram-me que seria tudo enviado até às 11h30. Mais uma vez... Nada! 12h30 enviei nova mensagem escrita, que não obteve resposta.