Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

Vencedores dos Convites Duplos | 74.14, 40 Anos de Música

15.02.18Publicado por O Informador

74.14-cartaz.jpg

O musical 74.14, 40 Anos de Música está de regresso após o sucesso dos anos anteriores. Com quatro sessões distribuídas pelos dias 16, Sexta-feira, pelas 21h30, 17, Sábado, pelas 17h00 e 21h30 e no Domingo, 18, pelas 17h00, esta produção celebrativa dos grandes sucessos musicais das últimas quatro décadas tem sido um verdadeiro sucesso quando sobe ao palco e desta vez pelo Salão Preto e Prata do Casino Estoril não será exceção.

Contando com Henrique Feist, FF, Susana Félix, Soraia Tavares, Mariana Pacheco, Daniel Galvão, Joana Almeida e Valter Mira no elenco encenado por Henrique Feist e com direção musical a cargo de Nuno Feist, 74.14, 40 Anos de Música promete surpreender o público e para que tu possas ter essa oportunidade, eis que quinze convites duplos estiveram em sorteio aqui pelo blog.

Destinados à sessão de Sexta-feira, pelas 21h30, cinco foram os convites disponíveis para vos presentear, e os vencedores foram o Pedro Sousa, Catarina Brilha, Fátima Andrade, Carlos Rodrigues e Maria José Major. Já para a sessão das 17h00 de Sábado, os vencedores dos dez bilhetes duplos são a Sandra Marques, Susana Coelho, Maria Lídia Inácio, Maria Fernanda Almeida, Gizela Mota, Susana Margarida Silva, Rita Isabel Penedo, Fernando Soares, André Xavier e Marilina Simões. O sorteio foi feito através do sistema random.org.

Vencedores dos Convites Duplos | Enfim Nós

15.02.18Publicado por O Informador

enfim.nós.jpg

Enfim Nós tem andado em digressão pelo país e na semana do Dia dos Namorados, esta divertida comédia romântica visita o Teatro Armando Cortez, em Lisboa, para que nos dias 16 e 17 se apresente ao público. Com Marta Fernandes e Rúben Silva a darem vida a Fernanda e Zeca, respetivamente, esta produção teatral é encenada por Cláudio Torres Gonzaga e conta com a visita do público da capital pelas 21h30 de ambos os dias. 

Para vos poder presentear, eis que para a sessão de dia 17, Sábado, dois convites duplos estiveram em sorteio, chegando a hora agora de revelar que os vencedores, sorteados através do sistema automático random.org, foram a Cacilda Cabaço e o Carlos Santos. Ambos irão ser contactados via email com a informação necessária para o levantamento dos seus bilhetes ser feito nas melhores condições. 

Conclave | Robert Harris

15.02.18Publicado por O Informador

IMG_4196.JPG

Autor: Robert Harris

Editora: Editorial Presença

Edição: 1ª Edição

Lançamento: Janeiro de 2018

Páginas: 272

ISBN: 978-972-23-6148-4

Classificação: 5 em 5

 

Sinopse: O Papa morreu.

Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.

São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais.

Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se-á a figura espiritual mais poderosa da Terra.

 

Opinião: Robert Harris não para e com cada obra que lança surpreende pela sua fantástica capacidade de criação e elaboração de histórias que cativam pelo seu conteúdo mas também através da forma como são contadas. É assim que do início ao fim me senti rendido a Conclave, a surpresa que o autor me fez numa narrativa que explora o ato da escolha do próximo Papa após a morte de outro. 

A Igreja na literatura, geralmente, é um dos temas que não me consegue atrair, no entanto todo o mistério criado através dos olhos de Lomeli após a morte do Papa e perante a organização do próximo conclave onde a eleição do próximo responsável pela Igreja será feita cativou-me de forma total, não existindo margem para dúvidas sobre esta excelente obra de Harris. 

O cardeal Lomeli, próximo do agora anterior Papa é surpreendido pela notícia de que o ciclo terminou e o próximo Conclave terá de ser marcado. Assim começa esta narrativa que junta cento e dezoito cardeais, de todo o Mundo, na Casa de Santa Marta para que ao longo de três dias seja eleito, por votação sigilosa, pessoal e segundo as regras, o próximo responsável da Igreja. Lomeli com esta repentina notícia fica encarregue de tomar as rédeas sobre a preparação do Conclave, fazendo as convocatórias necessárias e recebendo na véspera do primeiro dia de votação os nomes que irão eleger e entrar na disputa pelo lugar. Um a um ou acompanhados, os cardeais chegam para descansarem, conversarem e reunirem ideias para que pela primeira vez que tenham de escolher um nome tenham a certeza sobre em quem vão votar. Uma votação feita, duas votações e a eleição tarda em acontecer e será a partir daí que as intrigas ocorridas ao longo do período de isolamento surgem, ficando segredos do passado a descoberto com mistérios revelados e vidas paralelas a serem colocadas em questão, gerando várias mudanças súbitas nas votações seguintes onde é necessário eleger um nome. 

Este é daqueles livros onde apetece contar tudo o que se vai passando, desde a chegada de um nome desconhecido para todos os restantes que acreditam que o elenco está completo e reunido até à descoberta de um pecado físico que se acaba por juntar a várias listas de dinheiro passado de mão em mão para que os votos num momento importante como o de um Conclave sejam dirigidos a determinado nome. Os pecados da Igreja vão passando de século em século e nem num dos momentos mais importantes os factos obscuros de alguns são deixados de lado, já que a intriga e a verdade deve andar de mão dada para que o lugar seja ocupado pelo melhor, o que realmente merece e tem poderes para honrar o que deverá ser a Igreja perante os fiéis.