Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Informador

Pensamentos que podem ser de qualquer um!

O que ler agora... Ajuda-me!

Preciso de ajuda! Estou prestes a terminar a leitura de Enquanto Salazar Dormia... como tal e porque a lista de livros em espera aqui por casa é maior que aquela que pensava, vou pedir a vossa preciosa ajuda para me escolherem o que começar a ler pelos próximos dias!

Não custa nada! É só ler a lista que se segue dentro de momentos e seleccionar a vossa escolha! Revelarei ainda esta semana as vossas preferências e consequentemente a obra que irei ter como companheira pelos próximos tempos!

Conto contigo, vá!

 

Morto ou Matado

Tenho andado a ver a segunda temporada da série Elementar e com isso e graças à legendagem colocada pela FOX, surgiu-me uma questão gramatical que queria partilhar com todos vocês para tentar perceber se fui eu que aprendi mal o sentido e uso das palavras Morto ou Matado ou se afinal serão mesmo as legendas da série que são mal feitas.

«Já se encontrava matado» ou «Já se encontrava morto», qual das duas formas é a correta? Somente em Elementar tenha esta dúvida em vários episódios e sempre com as duas mesmas palavras de Morte. No meu entender e pelo que aprendi, a segunda opção é a correta, mas quem faz a tradução das falas das personagens coloca sempre o Matado em destaque não usando uma única vez o Morto em frases deste género. Não percebo se sempre fui eu que estive mal ou se será mesmo a equipa responsável pelas legendas em Portugal de Elementar que não faz uso dos adjetivos de forma correta. 

Morto ou Matado, quando devemos usar um ou o outro?

Oportunidades

Muito bonito pensar naquelas frases feitas que afirmam que devemos dar oportunidades a pessoas, mesmo que estas errem uma vez ou quando ainda não as conhecemos verdadeiramente para as colocar de lado. Infelizmente não consigo ser assim, indo tal ideia contra as minhas vontades e crenças sociais. 

Primeiro nas primeiras cruzadas não dou logo grandes conversas para que não pensem que surge ali uma amizade espontânea e daquelas que são para a vida. Gosto de analisar as pessoas, perceber o que são, se têm pontos com que nos possamos identificar e saber como são com quem tomou a iniciativa de nos apresentar. Isto se os conhecimentos acontecerem no dia-a-dia e fora do mundo laboral. Já no que toca ao ambiente de trabalho, aí as coisas são diferentes. Não dou nos primeiros dias grande espaço para conversas e só com o tempo é que alguns, mesmo só alguns, conseguem ter um maior à-vontade comigo. Quando não gosto e quando no início percebo que existem várias falhas não vale sequer a pena dar o minímo de espaço para que cheguem mais perto do que o direito exigido pelo local em que nos encontramos. 

Acabou o sossego!

Final de tarde de Sábado! Chegada a casa por volta das 18h30 porque até aí estive a trabalhar! Tenho estado relaxado, em sossego e com um silêncio profundo como som de fundo! Até que chegam os meus pais e tudo fica alterado!

A mamã, olhem que chique, na maioria dos dias parece que tem o diabo no corpo ou na mente e consegue arranjar mil e um pretextos para implicar com qualquer merdinha que seja. Irra que tem mesmo de existir muita paciência nesta hora!

Depois de um tempinho de final de tarde a solo e em paz chega a turbulência para irritar qualquer simples mortal! Ouço dizer que todas as mães têm o seu toque de irritação, será mesmo verdade?

Código do multibanco esquecido!

Eis o momento em que a empregada de uma loja de centro comercial me pergunta se quero colocar o contribuinte na factura, respondo-lhe que sim ao mesmo tempo que dou o «ok» no multibanco. Na hora de colocar o código e de ditar o número para a moça, eis que o meu cérebro bloqueia de uma tal forma que acabo por me esquecer dos quatro números que permitem fazer o pagamento das compras. 

Tive de parar, olhar em frente, dizer os números que compõem o contribuinte e depois sim voltar a olhar atentamente para o terminal de multibanco, pensar um pouco, lembrar-me entretanto do código do terminal do trabalho e depois sim pensar naqueles dígitos que me acompanham há uma década como se nunca se tivessem varrido da mente. 

Bruxos e bruxinhos

Tenho uma amiga que conhece um bruxo, como ela diz! Sim, um bruxo que consegue prever o futuro e sente o que irá acontecer! Há dias e sem saber que ela iria ao médico no dia seguinte, ele disse-lhe «Maria, Maria, cuidado que irás tomar uma medicação que irá tirar o efeito da pílula». O que aconteceu depois? Ela tinha a dita consulta médica marcada e saiu de lá com novos medicamentos para tomar, onde um tira mesmo o efeito da pílula. Com isto a durar alguns quatro ou cinco meses ela pode, se não tiverem outro tipo de cuidado, engravidar! Nesse campo e logo quando o aviso do bruxo foi feito tudo indica que um bebé poderá aparecer por esta via!

Os bruxos existem mesmo e agora as meninas andam todas loucas por quererem saber pormenores da sua vida futura! Acham mesmo que eu quero ir ao bruxo para saber o que me irá acontecer daqui a uns dias, semanas ou meses? Tenham dó, prefiro andar na ignorância sobre o futuro do que saber de ante mão o que irei ter ou não ter na vida!

Atenção livreiros

O que passará pela cabeça de quem está à frente de uma livraria para colocar etiquetas com os preços nos livros daquelas que custam a sair e ainda deixam marca no produto? A sério mesmo que os senhores não fazem o teste e não pensam em colocar etiquetas que sejam facilmente retiráveis e sem deixar qualquer marca?

São as etiquetas dos preços que são colocadas pelos livreiros e aquelas famosas chamadas de atenção de capa a revelarem que o livro já conta com várias edições. Livrarias, distribuidores e editoras é tudo farinha do mesmo saco no que toca a colar tudo e mais alguma coisa nos livros para que vendam e fiquem com mais alguma coisa chamativa perante os futuros compradores.

Teresa ajuda no Money Droop

Será somente impressão minha ou em algumas questões do The Money Droop e com algumas das duplas que dão mais ao programa a Teresa dá ligeiras dicas de resposta certa? Pode somente ser uma ideia que tenho mantido, mas o que é certo é que já não é a primeira vez que reparo em tal situação!

Ora revela quando vê as respostas que determinada data ou nome dizem-lhe algo! Ora parece tentar levar os concorrentes mais para um dos lados da mesa...

Existe ali alguma ajuda em determinadas situações! Mas isto não passa de uma ideia de espetador desconfiado!

Regresso inesperado!

Playboy.jpeg

E eis que a imprensa nacional acabou de ficar de novo com menos roupagem! A revista Playboy voltou às bancas para uma renovada temporada que deverá durar tanto como as duas anteriores, uns ligeiros meses, quem sabe!

Mafalda Teixeira, a atriz que tem um namoro eterno com Kapinha, foi a eleita para a reinauguração da publicação, no entanto a julgar pela foto de capa, esta sessão não tem nada de Playboy!

Um outro pormenor é... 4,95€ para ver umas fotos de uma atriz que nem é das mais badaladas da nossa praça em trajes menores, ler uma entrevista a uma outra atriz feita por Fernando Alvim e ainda acompanhar a grande entrevista a Pedro Boucherie Mendes não é demais? É, para mais quando já anteriormente quem lançou esta revista no nosso país percebeu que a mesma não funcionava!

Estreia hoje... Rapazes Nus a Cantar!

11196550_979786315387119_481824135_o-723x1024.jpg

Estreia hoje no Auditório do Casino Estoril uma nova temporada de Rapazes Nus a Cantar!, o espetáculo de Henriques Feist que já esteve em cena há uns anos e que volta assim aos palcos com um elenco renovado e um texto com algumas alterações ajustadas à realidade mundial e principalmente nacional!

Dança, canto e representação estarão presentes nesta comédia musical concebida originalmente por Robert Schrock. Com a nudez masculina em destaque, Rapazes Nus a Cantar tem reunido pelos países por onde já passou uma grande variedade de público que não se coibe de se sentar pelas salas para aplaudir o artista sem guarda-roupa mas com talento. A boa disposição deste espetáculo já passou por Roma, Sidney, Cidade do Cabo, Londres, Oslo, Amesterdão, Hamburgo, Joanesburgo, Madrid, Paris, Tóquio, Houston, São Francisco, Forte Lauderdale, Portland, Chicago e São Diego. Isto não é ser grande?

Séries históricas

Mr. Selfridge! A Bíblia! Um Mundo Sem Fim! Três séries históricas, uma baseada em factos verídicos, a outra que conta ao de leve factos que aconteceram mas que cria todo um novo enredo e aquela em que milhões acreditam ser a representação da história religiosa e cuja qual eu coloco muitas reticências!

Três produções internacionais, três enredos e o início do gosto por produtos históricos! Confesso que à medida que vou assistindo a séries que relatam, demonstram ou criam factos possíveis ou verdadeiros do que se passou vou ficando com uma maior curiosidade em ver ainda mais este tipo de produtos televisivos. 

A Guerra dos Tronos está na moda há cinco anos mas ainda não vi um único episódio! Downton Abbey fez sucesso e gerou muita boa critica e ainda não vi qualquer temporada! Do que andarei à espera para colocar a gravar ambas as séries? Só mesmo que passem de novo num dos canais de cabo para as ver de início e até ao último episódio!

Sexo canino e um braço!

Anda uma pessoa a criar um pequeno bulldog francês para depois quando se chega a casa cansado de uma corrida de meia hora o menino achar que no chão da varanda tem de fazer do nosso braço suado uma linda fêmea para a prática do acasalamento.

Pois é bem verdade! Venho eu a chegar da corrida aliada ao andamento que comecei a praticar há umas semanas, quando me deito a brincar com o Tomé pelo chão da varanda antes de entrar em casa e o maroto logo achou que o meu mau cheiro deveria servir como atrativo para acasalar. Não percebi o que se terá passado naquele cérebro, mas o que é certo é que algo nele despoletou e logo tive de aplicar a autoridade e dizer-lhe que não, aquilo não se fazia com o dono. 

Deve ter ficado sentido por não o deixar praticar o ato com o meu braço, mas não sou um material de acasalamento canino e não quero cá essas coisas. Ficou meio amuado, sim porque os bulldogs são de amuar e mostrarem depois indiferença para com quem os reprime, mas pelo menos ficou a lição para os dois. Ele que não pode fazer aquelas coisas connosco e eu que não me devo deitar no chão a brincar com ele quando venho do treino diário todo suado e meio encharcado!

Pág. 1/9

Mais sobre mim

foto do autor

Pesquisar

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Segue-me...

Facebook ___________________________________________________________ Instagram ___________________________________________________________ Twitter ___________________________________________________________ Pinterest Visita o perfil de O Informador no Pinterest. ___________________________________________________________ Goodreads
Envelhenescer
Três Homens Num Barco
Confissões de Inverno
O Templário Negro
Larga quem não te agarra
As Desaparecidas
Sentir
A Livraria
A Magia do Acaso
Hotel Vendôme
A Química
Não Gosto de Segundas Feiras
___________________________________________________________ BlogsPortugal
___________________________________________________________ Bloglovin Follow _____________________________________________________

 Subscreve O Informador

Mensagens

Comentários recentes

Atual Leitura

_________________________________________________________

Parceiros Literários

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Espaço Cultural

_______________________________________________